Thaís Khoury
Por Thaís KhouryLeia em 6 min.28/06/2020 

Significado dos sonhos na quarentena

Como o confinamento altera o conteúdo dos sonhos

Seus sonhos mudaram na quarentena? Você vem sonhando mais ou sonhando menos? Tem tido mais pesadelos ou sonhos mais tranquilos? Quem acompanha meus artigos sabe que uma das funções dos sonhos é a de compensação.

E o que isso quer dizer? Quer dizer que essa função tem justamente o papel de regular e balancear nossa energia psíquica quando uma atitude consciente se torna unilateral ou quando a mente está, de alguma forma, polarizada comprometendo o equilíbrio e a saúde mental.

Por essa razão, não é incomum que durante a quarentena, quando as atividades exteriores estão diminuídas, a atividade interna aumente. E isso implica, dentre outras coisas, sonhar mais.

O oposto também pode ocorrer quando há exacerbamento da ansiedade e do estresse que podem afetar diretamente a qualidade do sono e até mesmo gerar a complicada insônia, ocasionando a impossibilidade de sonhar ou de reter os sonhos na consciência.

Para isso, algumas práticas de relaxamento, respiração e meditação podem ajudar em casos mais leves do problemas. A psicoterapia e a medicação serão indicadas para casos mais graves em que há comprometimento global da saúde e da vida da pessoa.

Sonhos na quarentena e saúde mental

Todo mundo sonha e não conseguir sonhar nunca, embora raro, pode ser um sinal de alerta que deve ser investigado. É importante diferenciar que não sonhar por conta de uma questão neurológica ou enfermidade severa é diferente de não se lembrar do que sonhou.

Sabe quando você acorda com a sensação de que sonhou, mas não consegue acessar as imagens do sonho? Pois este é o caso.

O uso de medicamentos, álcool, o cansaço extremo por conta de uma rotina causticante podem dificultar a fixação dos sonhos na consciência, mas isso não quer dizer que não estejam ocorrendo e quando esses elementos não estão presentes, os sonhos voltam a fluir normalmente.

A maioria das pessoas consegue se lembrar dos sonhos com alguma frequência e, portanto, dispõem de um material riquíssimo para o autoconhecimento e autodesenvolvimento.

Dar atenção a eles é muito saudável e desejável, mesmo se tratando dos chamados pesadelos que, por mais desagradáveis que sejam, oferecem igualmente informações valiosas sobre como estamos funcionando psicologicamente e não raro fisicamente.

Por exemplo: uma pessoa que está doente e com febre alta pode ser acometida de símbolos que representem esse estado, como um incêndio, uma fogueira, um forno ou símbolos opostos que compensam o estado físico e tragam algum alívio como um local frio, um tanque de água ou um refrescamento num oásis no meio do deserto.

Obviamente não quer dizer que todo mundo que sonhar com esses símbolos estará com febre, o que quero dizer é que podem ocorrer representações oníricas de estados orgânicos.

Como já expliquei anteriormente, os símbolos oníricos não devem ser analisados fora do contexto de vida da pessoa, já que para cada um o mesmo símbolo pode ter significados diferentes ou se apresentar em cenários diferentes.

Os efeitos da pandemia em nossos sonhos

Pois bem, voltando aos sonhos na quarentena, muitas pessoas estão levando a quarentena bem à sério e já estão confinadas/isoladas a alguns meses.

E, além disso, estão sem perspectivas de quando esse cenário irá se modificar ou de quando a vida voltará ao movimento.

As atividades mais simples como passeios, interações sociais, ir às compras, visitar um parente ou ir à farmácia se tornaram arriscadas e para muitos são fontes de muita preocupação, ansiedade e estresse.

Elas foram drasticamente reduzidas ou completamente modificadas com os serviços de entrega se tornando cada vez mais comuns.

Os protocolos de distanciamento, higiene, o medo do contato e da morte tornaram-se mais presentes e constantes.

A incerteza sobre o futuro e sobre a economia agravam o estresse, aumentando-o significativamente. Há também um grupo mais reduzido de pessoas que sentiram alívio ao não precisar se deslocar, trabalhar de casa ou interagir socialmente o que lhes permitiu algum descanso.

Tanto num grupo quanto no outro, os sonhos parecem ter aumentado consideravelmente. Não pretendo aqui catalogar os símbolos, mas, sim, trazer algumas reflexões pessoais sobre o que alguns estados mentais coletivos podem produzir em termos de representações oníricas.

O Isolamento e confinamento nos sonhos

Não é incomum que nesse momento surjam símbolos que aliviem a angústia do confinamento e da solidão, especialmente para quem está sozinho.

Os sonhos que envolvem aglomeração de pessoas, contato com familiares, contatos afetivos podem surgir como forma de apaziguar o desconforto gerado pela situação.

Outro símbolo bastante comum a esses períodos são as prisões / cadeias e, às vezes, torturas sejam elas físicas ou psicológicas, especialmente se o confinamento é com alguém com quem não se tem uma boa relação.

Estar aprisionado em algum espaço pode demonstrar o quanto essa situação está afetando psiquicamente a pessoa sonhadora.

Ainda que, de fato, o confinamento não seja algo que nenhuma espécie aprecie, nossa capacidade reflexiva e introspectiva pode nos ajudar a ressignificar o estar aprisionado ao estar protegido.

Criar movimento dentro desse espaço pode ser libertador para a mente. Dançar, escrever, fazer artesanato, cultivar plantas, cantar criam espaços de alívio mental que podem ajudar a desfocar a mente do aprisionamento.

O medo, o nojo e a perseguição

Algumas pessoas têm relatado sonhos em que há preocupação com a contaminação pelo vírus.

Podem surgir situações em que saem desprotegidas, sem máscaras ou que afastam outras pessoas com receio do contato, ou que têm nojo de tocar em objetos com medo de serem contaminadas.

O sonho reflete uma realidade e, de certo modo, reforçam a necessidade de cuidado.

Entretanto, também podem aumentar o nível de ansiedade, especialmente em pessoas que não estão em confinamento ou praticando distanciamento social por precisarem trabalhar ou para comprar insumos ou remédios.

Outra situação possível de surgir nos sonhos, neste período, são os sonhos persecutórios em que o sonhador precisa fugir ou lidar com personagens ou objetos que o perseguem, podendo servir como uma espécie de alerta aos mais descuidados.

O medo de adoecer, morrer ou perder pessoas queridas pode resultar em representações que denotam risco, perda de objetos, morte de pessoas e animais, especialmente para quem está em constante exposição ao vírus, vivendo com pessoas sintomáticas, em recuperação ou diante de mortes reais de pessoas próximas.

Transbordamento das emoções nos sonhos na quarentena

Os sonhos com água também podem surgir nesse momento, já que o confinamento e falta de contato social obriga, de certo modo, a um movimento introspectivo e de maior contato consigo mesmo. Nessas horas, as emoções ficam mais evidentes e, às vezes, incontroláveis.

Os sonhos com grandes quantidades de água como tsunamis, inundações, afogamentos podem aparecer afim de descarregar uma parte dessa pressão interna que surge da necessidade de expressão emocional.

Aqui é importante buscar contatos, ainda que virtuais, com amigos ou pessoas de confiança para poder desabafar, reorganizar os pensamentos, já que o outro pode oferecer uma outra perspectiva do problema.

Como é um momento de maior contato com as emoções, todas os caminhos de autoconhecimento são favorecidos.

Um contato mais consciente consigo mesmo pode ser um incrível apaziguador das emoções, especialmente quando estão tão afloradas.

Se desejar doar um sonho para meu Projeto Sonhos da Quarentena, acesse o link e preencha o formulário conforme instruções e me ajude a criar mais conteúdos sobre o assunto.

Thaís Khoury

Thaís Khoury

É psicóloga clínica e utiliza a interpretação dos sonhos, a calatonia e a expressão criativa em seus atendimentos. Também é vegana e fundadora do Veganíssimo, empresa que produz alimentos 100% vegetais.