Simone Kobayashi

Como liberar os ressentimentos, remorsos e sentimentos nocivos

Abra espaço para pensamentos e sentimentos saudáveis

Como liberar os ressentimentos, remorsos e sentimentos nocivos

O que sentimos e pensamos são matérias-primas para nossa receita de vida. Não adianta reclamar da comida e escolher os mesmos ingredientes e temperos.

Às vezes chegamos a mudar de trabalho, de cidade, de parceiro e depois de um tempo a mesma situação se apresenta, aquela mesma que aconteceu no “antigo” trabalho, na cidade onde morava ou com o outro parceiro. Isso acontece por causa dos ingredientes que você escolhe usar todos os dias.

Os pensamentos geram sentimentos que se transformam em reações automáticas. Com o tempo, essas reações se transformam em hábitos, que viram comportamentos. Todos esses ingredientes juntos formam nosso dia-a-dia.

Por onde começar?

Geralmente nossa expectativa é que as transformações aconteçam imediatamente. Queremos já! Três dias de meditação, uma semana de floral e cadê o resultado?!

Reações automáticas que foram acumuladas em uma década de ressentimentos serão transformadas em apenas uma semana de afirmação e respiração consciente? Liberar uma vida de comportamentos e hábitos nocivos não é tão imediato quanto se espera.

Peço desculpas a quem gosta de fórmula mágica, mas não é assim. Não adianta esconder e enterrar o remorso, o ressentimento ou qualquer sentimento considerado negativo.

Primeiro porque ele é seu e surgiu por algum motivo, por uma necessidade ou como um alerta de algo que é importante para você. Segundo, é justamente por desconsiderar e ignorar que esses sentimentos retornam e se tornam mais e mais nocivos.

O que eles são? Alertas! Podem ser grandes ou pequenos, dependendo do quanto foram escondidos e relegados ao último plano; e fortes ou fracos, dependendo de quanto tempo eles estão conosco.

Ao perceber o ressentimento, o remorso ou outro sentimento nocivo, observe o seu ciclo: o que sente, como reage, seus hábitos e como se comporta. Que alerta ele apresenta? É preciso cuidar exatamente desse sentimento que nos chama a atenção.

Qual a necessidade que está sendo relegada e onde estamos nos machucando? Talvez seja a necessidade de autonomia, autocuidado, aceitação, segurança… Algo precisa do seu cuidado. Se fizermos de forma consciente e amorosa estaremos usando novos ingredientes, atendendo o pedido de nosso Ser pede.

Coloque em prática: diga adeus aos ressentimentos

Olhar para as histórias que contamos sobre nós mesmos é uma forma de ressignificar remorsos e ressentimentos.

Ao ampliar a visão ou mudar o ponto de vista, podemos enxergar os sentimentos de outra forma, como um alerta das reais necessidades. Vamos praticar?

Escreva em detalhes a sua história dando atenção a como se sentiu, o que você achou que os outros estavam sentindo e quais diálogos internos aconteceram. Para não deixar algo escapar, você pode gravá-la e fazer anotações ao escutar a gravação.

Comece colocando no papel as palavras que chamam a atenção, volte e escute quantas vezes for necessário para registrar tudo o que aconteceu, quanto mais detalhes melhor.

Em seguida, releia suas anotações:

  • Primeira releitura: sublinhe os sentimentos e anote os possíveis alertas.
  • Segunda releitura: sublinhe as justificativas dos sentimentos.
  • Terceira releitura: risque todos os “achismos” e “outros” e coloque pontos de interrogação em tudo que não é fato.

Reescrever o que aconteceu com atenção amorosa, ou seja, sem crítica ou julgamento às necessidades que não foram atendidas na época vai ajudar a perceber as reações em cadeia.

Por exemplo, palavras como “então” ou “porque” geralmente indicam uma reação.

Trazer para o agora vai te ajudar a questionar se essas mesmas necessidades foram ou estão sendo atendidas.

Um ponto importante é saber se os alertas atuais têm a mesma proporção de antes, ou não. Por exemplo, se atrasar para uma prova ou uma entrevista de emprego têm consequências maiores do que um atraso para um lanche com os amigos.

Logo, reagir da mesma forma em diferentes situações não seria saudável. É importante identificar essas reações e acolhê-las.

Ao final da releitura, podemos perceber o quanto isso nos transforma em quem somos agora e quantos aprendizados esses acontecimentos nos trouxeram.

Sem todas as nossas experiências seríamos outras pessoas. E com as experiências que estamos colocando neste momento, como seremos? Isso é uma ressignificação amorosa.

O trabalho interno, a autoanálise e o autoconhecimento são essenciais, mas nem sempre é fácil resolver sem ajuda. Buscar o apoio profissional é fundamental.

Um terapeuta holístico pode ajudar a perceber esses desequilíbrios através de técnicas como a Análise Energética, que facilita o processo de limpeza; a Cura Quântica, o Reiki e a Terapia Floral, que nos liberam de sentimentos nocivos e abrem espaço para experiências mais plenas e saudáveis.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Simone Kobayashi

Simone Kobayashi

Terapeuta Holística atuante em São Paulo e OnLine. Dedica sua vida profissional à junção de técnicas terapêuticas como o Reiki, Florais, Acupuntura, Análise Energética, Limpeza Energética, Harmonização, Barras de Access e Cura quântica. Saiba mais