Raquel Ribeiro
  • Por Raquel Ribeiro
  • Leia em 5 min.
  • 19/06/2020
  • Atualizado em 16/06/2020 às 20:52

Como identificar se você está presa a um amor do passado

Sabia que nem só os fracassos e sentimentos ruins te prendem ao que passou? Relacionamentos que considera de sucesso também podem estar impedindo de encontrar um novo amor

Como identificar se você está presa a um amor do passado

É muito comum percebemos que estamos conectados a fracassos do passado: traição, abuso, frases desagradáveis e situações que despertaram raiva, ressentimento, arrependimento, rejeição, abandono.

Com o que foi ruim, o que doeu, o que é imperdoável. Ficamos revivendo isso, às vezes, por anos.

Mas existe um outro lado da moeda que quase ninguém conhece: as pessoas também mantêm conexão com uma relação do passado que considera de sucesso.

O sucesso conecta muito, mas acaba passando despercebido. O problema é que gera efeitos e pode estagnar a sua vida amorosa.

Como identificar que você está presa ao passado

Apego ao passado

Recentemente, atendi uma mulher que claramente vive essa situação. Solteira há 10 anos, Mariana teve um único namoro sério, dos 21 aos 26 anos.

Ela diz quer encontrar um namorado, mas não tem tido muito sucesso. Nos meus atendimentos, eu costumo procurar padrões de comportamentos e pensamentos familiares e pessoais.

Depois de algumas sessões, Mari percebeu que um pensamento a acompanhava por uma década, sempre que estava conhecendo alguém: “Putz, que preguiça. Se eu não tivesse terminado com o Vitor, estaria vivendo a vida que eu sempre sonhei para mim”.

Ahá! O apego ao passado começou a aparecer em forma de arrependimento e culpa por ter terminado.

Foco no que era bom

Quando existe essa conexão com um relacionamento que se considerou um sucesso, é bem comum desconsiderar as sombras dele e focar apenas no que era bom.

Mas a relação estava quilômetros de distância de ser a ideal, quase a distância de São Paulo ao Alaska! Perguntei como ela definia o namoro com Vitor. A resposta foi: “Era um relacionamento ok”.

Nessa hora, o meu lado terapeuta que fala as coisas claramente apareceu com voz fofa: “Mari, você quer um relacionamento incrível ou quer se contentar com um “relacionamento ok”?”.

Essa é uma questão que se conecta ao merecimento de viver uma relação incrível, e não aceitar nada menos do que isso. Isso se chama autoestima e, sim, pode ser melhorada.

Raiva e ressentimento

Na sessão anterior, eu havia orientado que ela fizesse uma lista com características que gostaria que o próximo namorado tivesse. Ela fez a tarefa de casa e comentou sobre o resultado: “Que bosta, a lista descrevia exatamente o Vitor”.

Curiosamente, foi ela quem quis a separação. O relacionamento estava apático. Não sentia mais amor por ele. A comunicação era monossilábica.

No dia fatídico do término, aquele papo que todo mundo conhece, a única coisa que Vitor falou foi: “Você encontrou outra pessoa?”. Nada além disso.

Mari se lembra com raiva e ressentimento desse momento. “Poxa, ele não quis nem conversar, tentar melhorar!”. Depois desse dia, nunca mais se falaram.

Vínculo energético

Apesar da distância física, o vínculo energético se manteve e era importante para ela. De alguma forma, fazia com que ela se sentisse menos sozinha.

Na infância, ela foi uma menina bastante solitária e não queria mais sentir-se daquela forma. Lembrar um pouco do Vitor ajudava a acalmar o coração.

Verificamos as seguintes crenças “Estou casada com o Vitor” e “Tenho um pacto de amor eterno com o Vitor” com o Teste da Cinesiologia – deu sim para ambas.

Aprenda a fazer o Teste da Cinesiologia

Era como se ela estivesse com o posto de namorado ocupado pelo Vitor. Lógico que não ia começar um outro namoro assim.

Então, com o ThetaHealing, desfizemos as crenças, o pacto, fizemos o divórcio energético e muitas outras técnicas. Ela finalizou a sessão com o coração leve!

Você está conectado ao seu passado?

Partindo dessa situação, convido você a refletir honestamente sobre si mesmo e analisar se existe, mesmo que sutilmente, uma conexão com alguém do passado com quem você se relacionou e considera que foi um sucesso.

Alguns sinais podem te ajudar:

  • De vez em quando, o ex vem à sua mente
  • Você compara seu ex com qualquer homem que se aproxima
  • Você arruma desculpas para ficar solteira como: “Estou velha demais para encontrar alguém”
  • Tem preguiça de conhecer pessoas
  • Não se interessa por ninguém
  • Foge de relacionamentos
  • Morre de medo de se casar
  • Está em um relacionamento mas não se entrega de maneira profunda

Exercício para liberar o passado e atrair nova relação

Para você dar o passo rumo a uma nova (e incrível) relação, é importante reconhecer que esse relacionamento terminou por algum motivo, afinal, se era incrível, não teria porque terminar.

Para isso, tente começar fazendo o exercício a seguir:

  1. Puxe na memória e tente lembrar e escrever os sentimentos que não eram tão legais assim. Esse é um exercício que te ajuda no processo de se desconectar mentalmente.
  2. É realmente importante uma desconexão em níveis mais profundos – energético e espiritual. Para esse outro nível, pode fazer uma visualização em que vocês dois agradecem pelo tempo que passaram juntos.
  3. Imagine-os dizendo que sentem muito por tudo o que deu errado na relação, que amam o fato de terem se conhecido e pedem perdão por qualquer coisa que tenha ofendido ao outro.
  4. Diga que qualquer pacto entre vocês está desfeito e, então, imagine que vocês se afastam.
  5. Se quiser, pode criar um clima para fazer esses processo, apagar as luzes, acender velas, colocar uma música que você intui que pode te ajudar nesse momento.
  6. E talvez, seja necessário olhar para isso mais algumas vezes, sozinha ou com ajuda profissional.

Depois disso, você vai perceber que quanto mais libera sucessos e fracassos do passado, mais pronta estará para atrair uma relação nova e incrível.

Porque sim, você merece!

Olá, essa matéria foi útil para você?
Raquel Ribeiro

Raquel Ribeiro

Raquel Ribeiro é doutora em psicologia pela USP, terapeuta e instrutora oficial de ThetaHealing, certificada pelo Think (Thetahealing® Institute of Knowledge). É sócia do Aretê, que oferece cursos, atendimentos e vivências de ThetaHealing®. Saiba mais