Equipe Personare
Por Equipe PersonareLeia em 3 min.25/10/2016 

O que são os Arcanos Menores?

Grupo de 56 cartas do Tarot engloba âmbitos emocional, mental, material e prático. Veja significados | Glossário Personare

Retirando os 22 Arcanos Maiores de um baralho completo de Tarot, temos os Arcanos Menores – 56 cartas referentes à vida prática, ao cotidiano material, às ideias e aos sentimentos. Estes arcanos se dividem em 4 naipes ou reinos – Ouros, Copas, Espadas e Paus – e cada grupo de cada naipe possui dez arcanos numerados e quatro arcanos com figuras da corte medieval: Pajem (ou Princesa), Cavaleiro (ou Príncipe), Rainha e Rei.

Sem dúvida, os Arcanos Menores são os que mais geram dúvidas entre leigos, estudantes e consulentes. Para entender o que são os Arcanos Menores, é necessário ter noção de alguns fundamentos simbólicos do Tarot e como ele influencia a interpretação das cartas (para saber mais sobre isso, confira esse artigo). A simbologia desses arcanos tem como base a teoria dos quatro elementos da natureza, que também determina o nível de atuação deles. Cada naipe corresponde e traz em sua estrutura visual os objetos e as referências ligados a cada um dos elementos.

São eles:

A Teoria dos Quatro Elementos

Os quatro elementos se referem aos elementos naturais: Fogo, Água, Ar e Terra, essenciais à vida humana no planeta. O conceito dos quatro elementos é bem antigo. Remonta à cultura da Índia e da China e estão, portanto, nas bases do Budismo e do Hinduísmo. Mas a raiz da teoria ocidental dos quatro elementos está na Grécia Antiga, quando os filósofos pré-socráticos atestavam ser estas as quatro forças básicas que constituem a matéria.

A ideia perdurou até a Idade Média e acabou sendo disseminada durante o período do Renascimento, quando parece ter influenciado a estrutura dos baralhos de Tarot. Estão presentes e são determinantes em diversos segmentos artísticos e filosóficos como a Literatura, a Alquimia e a Astrologia (clique aqui para saber como os quatro elementos performam na Astrologia), por exemplo. Cada sistema se apropria dos quatro elementos e oferece uma interpretação quase unânime sobre eles, já que são forças universais que constituem e também afetam a natureza de dentro e de fora do ser humano.

Além de estarem nos Arcanos Menores, cada um representando um naipe, os quatro elementos podem ser vistos nos Arcanos Maiores de baralhos considerados tradicionais (Tarot de Marselha, por exemplo): na mesa d’O Mago e ao redor da donzela d’O Mundo. Eles representam, ali, a maneira como a pessoa lida ou manipula os elementos disponíveis (O Mago; clique aqui e saiba mais sobre esse arcano) e o que alcança com eles e por meio deles (O Mundo; para saber o significado desse arcano, clique aqui).

Para que serve o Tarot?

Tendo em mente a ideia de que o Tarot é um arcabouço de símbolos, é fácil perceber que ele funciona, basicamente, como a representação de situações ou pessoas. No enfoque da previsão, ele serve para prever o futuro, analisar acontecimentos passados e avaliar o que está em jogo no presente, mas sempre dependendo do contexto em que for utilizado.

Já o enfoque da orientação analisa as cartas associando-as a estágios em que nós nos encontramos em certo momento e como podemos resolver problemas, tomar atitudes certas e aproveitar o que é importante.

Ler o Tarot é projetar o que queremos saber a respeito de um momento, situação ou pessoa, representando o objeto e definindo seu rumo ou a atitude mais prudente em relação a ele.

Equipe Personare

Equipe Personare

Nós, da equipe Personare, também estamos em um processo constante de conhecimento sobre nós mesmos, sobre o mundo e sobre as relações humanas.