Joanita Molina
Por Joanita MolinaLeia em 5 min.15/08/2017 

Magia ascensional ativa e impulsiona suas habilidades

Prática que desenvolve potenciais não é sobrenatural ou religiosa

Quando se fala em magia, muitas pessoas costumam ter ideias ou conceitos errôneos e irreais a respeito desta palavra e sua prática ao longo dos tempos. Isso porque a magia é de origem muito antiga, já foi utilizada de forma muito nociva e, ao mesmo tempo, também descrita ou mascarada como uma prática obscura e maléfica. A palavra magia não deve ser confundida com mágica, que significa ilusão, ou com a magia no sentido de exercer fascínio, como em frases do tipo: “a magia da bela mulher”.

Curiosidade: origem da palavra magia

A palavra “magia” tem sua origem etimológica na língua persa; deriva de “magush”, que significa “conselheiro e sábio” e também de “magus” e “magi”, que significam “imagem” e “sábio”. No latim “magia”, assim como na grande maioria dos idiomas, a palavra contém a raiz “magh”, que significa “ser capaz” ou “ter poder”.

A prática da magia, encontrada em todo o mundo, pode ser usada para propósitos construtivos assim como destrutivos. Basta pensar que a energia pura é uma força neutra que não é boa e nem má. A direção positiva ou negativa é determinada pelo praticante e pelo objetivo da magia que está sendo realizada.

Magia não pode ser usada para direcionar acontecimentos

A prática da magia é baseada na interação com todas as formas de vida, natureza, macro e micro cosmos. Através disso, torna-se possível direcionar e influenciar o curso dos acontecimentos e produzir efeitos desejados. Mas esse é e foi um dos grandes problemas da prática dessa arte, pois precisa ser feita com consciência.

Cada um pode usar suas habilidades para expandir mais saúde, prosperidade, proteção, amor, etc. Mas a prática não pode ser usada para interferir na vida ou direcionar acontecimentos relativos a outras pessoas, pois dessa forma teria seu uso negativado, gerando infortúnios e sofrimento. Por isso, a prática da magia deve ter como objetivo o desenvolvimento positivo do ser.

Magia não tem a ver com religião

A magia também não está ligada a nenhum tipo de religião, apesar de trazer um conteúdo que visa se “religar com a unidade”, reconectar com o todo e buscar seu potencial máximo.

Na verdade, a magia é muito mais antiga que a religião. Uma curiosidade é que muitas religiões utilizam magia em seus rituais, ao evocarem e invocarem forças, energias e vibrações com algum propósito específico.

Magia ascensional é a mais benéfica

Existem vários tipos, formas e até mesmo linhagens e escolas de magia. A mais ampla e benéfica é a magia ascensional, cujo objetivo é o desenvolvimento e a evolução do ser, sua interação com a natureza da Terra e do Cosmos e a busca de elevação ao melhor que cada um pode ser aqui e agora.

A prática da magia ascensional está ligada ao fortalecimento e nutrição do indivíduo, através das forças presentes na natureza. O trabalho é feito por meio de uma troca de energia e respeito ao meio ambiente e a todas as formas de vida da criação.

Através da magia ascensional é possível ativar e potencializar habilidades e características naturais do ser humano.

Através da magia ascensional é possível ativar e potencializar habilidades e características naturais do ser humano.

Essas, em unidade com energias e itens específicos da natureza, podem cocriar realidades!

Por exemplo: através de técnicas específicas é possível abrir os caminhos para uma determinada situação que desejamos manifestar, ou acelerar um processo de cura que está difícil, ou, ainda, aumentar o campo de proteção de um local ou pessoa minimizando a entrada de energias nocivas.

Objetos usados na magia ascensional simbolizam nossas qualidades

Este tipo de magia utiliza objetos ritualísticos – como varinha mágica, caldeirão, espelho, etc. – que representam as forças internas que trazemos conosco. Por meio do uso deles, conseguimos externalizar, fortalecer e intensificar nossas qualidades, habilidades e atributos.

Por exemplo: a varinha mágica jamais é usada com o objetivo de trazer forças externas para uso pessoal. Ao contrário, ela é apenas a representação e o simbolismo da intenção, do poder de criar através do pensamento. Ao utilizá-la, o objetivo é potencializar e fortalecer a habilidade e a força que já existem dentro de nós.

Como funciona na prática?

A prática da magia ascensional requer o aprendizado e a combinação de diversas técnicas, como:

  1. Meditações e visualizações (aqui você encontra o áudio de algumas Meditações)
  2. Concentração e domínio mental
  3. Equilíbrio dos 4 corpos (emocional, físico, mental e espiritual) e dos Chakras (veja aqui como equilibrar seus Chakras)
  4. Desenvolvimento e manutenção de seu círculo mágico de proteção, que é o seu próprio campo de energia e espaço sagrado

Magia: por uma vida com mais consciência

Antigamente, esta prática era rotulada como a “grande ciência sagrada” e geralmente é vista ou tida como um acontecimento sobrenatural. Mas, na realidade, a magia tem o objetivo de fazer com que seus praticantes encarem e vivam a vida sob um aspecto mais elevado e espiritual, por meio de atividades consideradas “místicas”, de estudo e autoconhecimento, buscando alcançar a sabedoria e a elevação das potencialidades do ser humano.

A magia também pode ser descrita como uma prática de simpatia e similaridade mútua, da comunicação direta com as forças naturais, assim como o conhecimento prático dos poderes existentes na natureza. Esta prática ainda é considerada um tipo de arte que, através da interação com o todo, traz uma busca evolutiva. Ela parte do princípio da unidade do homem com toda a criação – e de acordo com essa unidade, a capacidade que o homem traz dentro de si de criar sua própria realidade.

Tudo isso é preciso para que o praticante possa alcançar energias de várias formas e manifestações. Outras práticas dentro da magia incluem rituais que visam entrar em contato com os aspectos do universo, da natureza, da criação e de suas manifestações, como o de iniciação, o de consagração dos objetos ritualísticos, a projeção astral, os ritos de celebração, a manipulação de símbolos, entre outros.

Neste tipo de magia também são realizados movimentos ritualísticos, cujo objetivo é se conectar com forças internas e externas. Por exemplo, a elevação dos braços tem como função buscar uma conexão com energias superiores, ou puxar a energia do sol para dentro de si. Já um movimento em espiral, que pode ser feito com os braços ou andando em círculos, conecta o praticante com o movimento natural dos átomos e da formação do universo, ajudando-o a expandir seu campo energético.

Para manter a sintonia e a sincronicidade com as energias que são emanadas pela natureza, a magia ritualística honra o que pelos celtas era chamado de Roda da Vida, que são 8 rituais de luz mais importantes do ano, cada um deles ensinando um aspecto dos ciclos da natureza. São eles:

  1. Samhain (noite das bruxas)
  2. Litha (solstício de verão)
  3. Imbolc (noite do fogo)
  4. Mabon (equinócio de outono)
  5. Beltane (ritual do amor)
  6. Yule (solstício de inverno)
  7. Lammas (ritual da colheita e prosperidade)
  8. Ostara (equinócio de primavera)

Estes rituais são os momentos do ano nos quais a energia da magia está em maior expansão e é possível alcançar os melhores resultados por meio da prática. Além disso, durante esses períodos, um sacerdote ou sacerdotisa pode direcionar os ensinamentos das forças da natureza para ajudar os praticantes em sua realidade diária. Este líder espiritual tem a devida formação e conhecimentos para realizar a ritualística de forma que a mesma seja totalmente firmada no positivo e trabalhada de forma correta, completa e integrada, sem deixar margem para negatividade.

No entanto, a prática da magia não se limita a esses rituais, ela pode ser realizada em qualquer momento do seu dia a dia.

A magia pode ser utilizada por qualquer pessoa que deseja encontrar e manifestar o potencial positivo máximo de si mesmo e de cocriar com as forças da natureza uma realidade extremamente benéfica e elevada.

Joanita Molina

Joanita Molina

Mestra ascensa, líder espiritual e sacerdotisa de magia ascensional. Realiza os 8 rituais de luz do ano e 9 festivais de luz de gaya.