Simone Kobayashi
Por Simone KobayashiLeia em 5 min.05/07/2017 Atualizado em 29/05/2020

Desvendando o significado dos Chakras

Centros de energia em desequilíbrio sinalizam o que é preciso melhorar

O significado dos Chakras é, na língua sânscrita, “roda de luz“. Os Chakras são centros de energia que representam os diferentes aspectos da natureza sutil do ser humano – corpos físico, emocional, mental e energético.

Os sete principais Chakras ficam localizados ao longo da coluna vertebral do corpo humano. Segundo a Tradição Hindu, eles seguem as cores do arco-íris.

Confira o significado dos Chakras:

Chakra Coronário

Cor: lilás e dourado

Pedras mais usadas: Quartzo Branco, Ametista, Diamante, Fluorita

Representa: a nossa ligação com o Alto, a Energia Superior, o Universo

Função: é evoluir, ascender e se aprimorar como ser humano

Percebemos o Chakra Coronário em desequilíbrio quando apresentamos falta de inspiração, confusão, tristeza relacionada à falta de esperança, alienação ou hesitação em servir ao bem comum.

Chakra Frontal

Cor: azul índigo

Pedras mais usadas: Sodalita, Azurita, Lápis Lazuli, Cianita

Função: como ele representa a mente e a intuição, tem uma dupla função, o que faz com que ele seja um dos mais difíceis de manter o equilíbrio, pois o excesso de uma característica leva à falta da outra.

Quando em desequilíbrio, pode desencadear falta de concentração, medo, cinismo, tensão, pesadelos, e excesso ou falta de sono. Também é recorrente ter um acúmulo de pensamentos.

Chakra Laríngeo

Cor: azul claro

Pedras mais usadas: Água Marinha, Quartzo Azul, Turquesa, Larimar

Função: ele tem ligação com a maneira que cada um se expressa. A função principal desse chakra é o se expressar. Por isso, a autoexpressão e a comunicação são as palavras-chaves dele. Ajuda a relacionar e exteriorizar o que sentimos e o que pensamos.

Percebemos que o Chakra Laríngeo está em desequilíbrio quando apresentamos problemas na comunicação – geralmente a falta dela – o uso insensato do conhecimento e a falta de discernimento.

Nesse caso, a pessoa pode falar demais ou dizer bobagens por querer esconder o que sente. Num outro extremo, pode tender a falar pouco e “engolir sapos”.

Chakra Cardíaco

Cor: verde e rosa

Pedras mais usadas: Quartzo Rosa, Quartzo Verde, Turmalina Melancia, Esmeralda

Função: ele simboliza o centro das emoções. Esse chakra é o centro do amor e sabedoria nas relações emocionais. Gera estabilidade e confiança, além de trabalhar as manifestações reprimidas e as feridas emocionais.

Quando o Chakra Cardíaco se mostra em desequilíbrio, pode gerar repressão do amor, instabilidade emocional, sensação de opressão e/ou peso no peito.

Chakra Plexo Solar

Cor: amarelo

Pedras mais usadas: Citrini Amarelo, Cristal com Enxofre, Topazio Imperia, Calcita Amarela

Função: é onde “mora” o ego de cada um, representa a força do indivíduo. Sua funções primordiais são o poder e a vontade. Também mostra como está nossa digestão (de situações), nossos humores e controle.

Quando o Plexo Solar está com excesso energético pode gerar egoísmo, egocentrismo, fúria, medo, ódio e dificuldade em assimilar/digerir. E quando está com baixa energia, a pessoa fica apática, sem força de vontade e insatisfeita.

Chakra Sacro

Cor: laranja

Pedras mais usadas: Jaspe, Ágata de Fogo, Granada, Coral

Função: tem ligação com a criatividade e a vitalidade. As funções principais do Chakra Sacro são sexualidade, vitalidade e criatividade.

Ele corresponde à nossa autoestima, à energia sexual e à expressão do “eu” através da sexualidade e/ou criatividade. É no centro energético do bem-estar físico, do prazer e da realização que se percebem as mágoas, sentimentos de culpa e medo (pecado).

Quando este Chakra está em desequilíbrio pode gerar dificuldades sexuais, ausência de objetivos, sentimento de impotência, confusão, ciúme, inveja ou desejo de possuir. Impacta diretamente no desejo e na vontade de viver, alcançar outros patamares, enfrentar desafios e viver o presente.

Chakra Básico

Cor: vermelho

Pedras mais usadas: Turmalina Preta, Quartzo Fumê, Ônix, Hematita

Função: é a sobrevivência, que inclui a própria segurança e as necessidades físicas básicas, tais como comer, beber e dormir, além do sexo e do abrigo

Quando o Chakra Básico está em desequilíbrio, pode gerar insegurança, falta de “gana”, atitudes mais violentas, ganância ou fúria. A pessoa ainda apresenta uma demasiada preocupação com a própria sobrevivência, tensão, o “viver para ter”.

Saiba qual Chakra está em desequilíbrio

Saber o significado dos Chakras pode ser proveitoso, pois ajuda a buscar o equilíbrio e desafia as pessoas a se autossuperarem.

Para que isso aconteça, é preciso investigar qual Chakra encontra-se em desequilíbrio, ou seja, com excesso ou falta de energia.

A partir do momento que enxergamos o negativo e a crise como parte de um processo, iniciamos um movimento de autoaperfeiçoamento, que representa um impulso para o movimento, o crescimento, o aprendizado e a evolução.

A maneira ideal de saber como estão nossos Chakras é através do autoconhecimento. Mas como as vezes a autoanálise é difícil, temos algumas ferramentas que nos ajudam a perceber esses desequilíbrios.

A interpretação energética por meio de um questionário ou a medição dos chakras com um pêndulo pode ser feita por um bom terapeuta holístico, que mapeia o que está em desequilíbrio.

É importante entender que os “opostos”, como o excesso e a falta energética, completam-se. Isso significa que eles funcionam como sinalizadores, mostrando onde não estamos sendo verdadeiros conosco e em que aspecto poderemos melhorar.

Para equilibrar e ativar cada um dos Chakras, é possível fazer uso de ferramentas terapêuticas, como meditação, visualização, e pedras e cristais.

Sabendo do significado dos Chakras, agora, confira abaixo um passo a passo de meditação e visualização, e abra as portas para um novo mundo: o seu Eu interior.

Meditação com a pedra do Chakra

  1. Faça a meditação entre 10 e 20 minutos. Para começar, coloque a pedra sobre o chakra em desequilíbrio ou entre as mãos.
  2. Sente-se em posição confortável. Relaxe o corpo e respire lenta e profundamente.
  3. Olhe detalhadamente a pedra por algum tempo, até ser capaz de fechar os olhos e “vê-la” em todos os seus detalhes.
  4. Continue respirando profundamente, deixando os pensamentos fluírem, sem querer apagá-los ou detê-los.
  5. Quando tiver alcançado um nível razoável de relaxamento, “veja” a pedra em pensamento.
  6. Numa contagem de 1 a 7 ela vai crescendo dentro da sua visualização até ficar do tamanho de uma montanha.
  7. Assim que a pedra atingir esse tamanho, veja você mesmo andando na superfície da pedra e a explore. Percorra-a por fora e, se encontrar algum caminho, explore-a por dentro também.
  8. Assim que estiver satisfeito com suas explorações, volte ao lugar onde começou e conte novamente de 1 a 7. Mas dessa vez visualizando a pedra diminuir até o tamanho normal.
  9. Respire profundamente algumas vezes e movimente-se delicadamente para voltar ao estado de alerta normal. Abra os olhos.
  10. Escreva tudo o que viu, ouviu ou sentiu durante sua visualização. Essa mentalização pode ser feita uma ou duas vezes na semana.
Simone Kobayashi

Simone Kobayashi

Terapeuta Holística atuante em São Paulo e OnLine. Dedica sua vida profissional à junção de técnicas terapêuticas como o Reiki, Florais, Acupuntura, Análise Energética, Limpeza Energética, Harmonização, Barras de Access e Cura quântica.