Pesquisar
Loading...

Nutrição emocional: saiba como se “alimentar” para além da comida

Você pode evitar o chamado "comer emocional", substituindo o hábito por atividades que lhe deem prazer. É isso que ensina a nutrição emocional

Aprender a identificar as emoções e lidar com cada uma de forma harmoniosa é fundamental para o seu bem-estar. Esse processo ajudará a evitar que o chamado comer emocional não se torne disfuncional a ponto de prejudicar a sua saúde. Para isso, a dica é conhecer mais sobre a nutrição emocional.

Neste artigo, você aprenderá como não descontar suas emoções no que come, além de dicas e exercícios práticos para canalizar o que sente em atividades mais saudáveis.

Cinco passos para trocar a comida por atividades que dão prazer

  1. Respire profundamente três vezes, trazendo presença para a atividade.
  2. Pegue lápis e papel e liste todas as atividades de que você gostava na infância, como desenhar, pintar, dançar, cantar, ouvir música, mexer na terra. Inclua também profissões, como vendedora, modelo, médica, aeromoça – escreva tudo o que vier à mente, sem julgamentos.
  3. Adicione à lista atividades que dão prazer a você hoje, aquelas que se sente bem executando, que trazem bons sentimentos. Vale das mais simples, como ouvir o barulho de chuva, até aquelas que envolvem outros fatores, como viajar para a praia. Outras ideias: conectar-se com a natureza, conversar com alguém, apreciar o aroma de um óleo essencial, dar uma volta no quarteirão ou praticar um exercício.
  4. Pense em opções que vão além da comida e envolvam outros tipos de experiência. Abra o seu leque de possibilidades e, assim, a sua relação com a comida não se torna sua única válvula de escape.
  5. Guarde as suas anotações. Toda vez que alguma emoção vier à tona, como ansiedade, tristeza, raiva ou estresse, pegue essa lista e sinta qual atividade você pode fazer naquele momento sem que precise recorrer à comida para se sentir mais aliviada. Veja aqui por que descontamos frustrações na comida.

Escolhas mais conscientes tem a ver com nutrição emocional

Depois dessa análise, caso você opte pela comida depois daquela situação difícil, sua escolha terá sido consciente e não por impulso. Entender esse processo, mas não deixar de agir diferente quando algo ocorrer, não vai tornar sua relação com o que você come melhor.

Lembre-se: o exercício de nutrição emocional precisa ser praticado. Quanto mais você coloca o passo a passo em ação, mais conscientes vão se tornando as suas escolhas. Assim, você nutre as suas emoções com atividades que favorecem a saúde.

Olhar para cada uma de suas emoções e saber identificá-las sem fazer algo que prejudique o seu bem-estar é um ato de amor-próprio. Além disso, a comida tem um papel positivo de nutrir, lembrar, unir, conectar pessoas. Permita-se viver essa relação de paz.

Priscila Monomi

Priscila Monomi

Nutricionista e Terapeuta de Thetahealing, desenvolve um trabalho de conscientização dos motivos que levam a pessoa a comer, identificando crenças alimentares e de vida. Em seus atendimentos online, une conhecimentos da nutrição consciente e intuitiva e técnicas terapêuticas.

Saiba mais sobre mim