Pesquisar
Loading...

Como parar de sofrer por amor

Nem sempre é fácil, mas é possível encontrar maneiras sobre como parar de sofrer por amor. Entenda mais como ter ajuda nesse processo

O fim de uma relação pode despertar uma dor quase insuportável, que diversas vezes se prolonga por muito tempo. Mas como parar de sofrer por amor e se abrir para novas possibilidades de viver e amar?

Essa é a pergunta que queremos responder neste texto. Nos próximos parágrafos, vamos falar sobre dor e sofrimento, mas também sobre como mudar nossa frequência para sintonizar sentimentos positivos e benéficos.

O “segredo” de como parar de sofrer por amor

Na verdade, não existe segredo, cada um faz da melhor forma que pode e que é capaz no momento. Talvez essa forma não seja boa ou rápida o bastante para as expectativas. Mas isso não quer dizer que não esteja ajudando no processo de transformar esse sofrimento em algo mais saudável e positivo.

Uma situação, fato ou acontecimento ruim no presente ou passado causa dor. Por exemplo, a perda ou a separação de alguém que amamos gera uma dor momentânea e pontual que, de tão forte que chega a ser física, realmente sentida no corpo.

Essa dor, entretanto, precisa ser localizada, cuidada e tratada. Isso porque, quando não-cuidada, ela segue voltando até ser percebida – e isso gera sofrimento.

A diferença entre os dois é que o sofrimento é mais persistente e contínuo. Ele vem sempre que relembramos o que aconteceu. Porém, por mais que o sofrimento pareça incontrolável, infinito e fora do nosso poder de alcance, ele não é. Sim, temos o poder de modificá-lo.

Podemos parar de nutri-lo ao mudar nossa tendência de reviver momentos dolorosos, tentando pensar neles menos vezes ou durante menos tempo. Por isso, o “segredo”, ou melhor, a maneira de como parar de sofrer por amor é não alimentar a dor e, consequentemente, o sofrimento.

Ok, mas como isso funciona na prática?

Deixar de nutrir o sofrimento é o primeiro passo para ser menos nocivos conosco e descobrir como parar de sofrer por amor. Aprender a lidar com as emoções negativas é um processo árduo, mas extremamente necessário para termos uma vida mais feliz e saudável. 

Por isso, vale a pena se esforçar para superar os obstáculos e usar a experiência para crescer como pessoa. Para ajudar nesse processo, temos uma dica bem prática e fácil:

  • Faça uma lista de momentos bons, leves, divertidos, especiais e, principalmente, não relacionados com o que faz você sofrer.
  • Deixe essa lista à mão (ou na cabeça) para usá-la a qualquer momento.
  • Reviva esses momentos na memória sempre que for preciso ou possível, especialmente quando percebe que os pensamentos, memórias ou sentimentos nocivos se apresentam.

Essa é uma estratégia que pode ajudar a sermos menos danosos conosco. Ao nos concentrarmos em reviver momentos positivos, estamos conectando e fortalecendo uma frequência mais positiva para nós mesmos. 

Mas atenção para o verbo “conectar”. A ligação com a frequência não acontece em um passe de mágica! Parar de cair não é o mesmo que já saber lidar com os sentimentos que colocam você nesse lugar de sofrimento.

Relembrar momentos positivos é um início de mudança. Seja persistente, pois, com esforço e dedicação, podemos alcançar um futuro mais feliz e seguro. Aqui você pode conhecer os 3Rs que bloqueiam sua vida

Cuidado com o modo automático

A perda, separação ou não reciprocidade pode desencadear uma reação automática que mostra como estamos pensando. Por exemplo: “Fui/estou sendo rejeitado, trocado, traído, esquecido, desconsiderado” ou, ainda, “não sirvo mais, não sou suficiente”, etc. 

Esses são padrões de pensamentos que fazem as reações reativarem as emoções já armazenadas. Aí vem o medo: “Como serei sem essa relação, sem essa pessoa, sem esse status, situação, etc?” Essa é a resistência do antigo tentando sobreviver. 

É uma luta, afinal, a sobrevivência – mesmo que seja de uma forma ou ponto de vista – é um modo de ataque, defesa ou fuga. Nesse nível procuramos culpados, perigos e inimigos. Mas será que isso é realmente necessário?

O modo de vida automático nos faz aprender a sobreviver. É por isso que somos capazes de superar obstáculos. Mesmo quando tudo parece estar contra nós, continuamos em pé e lutando pelo que acreditamos. 

Mas, mais do que superar com garra, luta e força de vontade, se continuamos nos agarrando ao passado, ainda é sofrimento. E assim, a resposta à pergunta “como parar de sofrer por amor?” fica ainda mais longe.

No automático, seguimos lutando, dando e recebendo farpas e espinhos. Porém, esse modo de sobrevivência nos torna autômatos, robôs, sem vida e escolha própria. E ser humano é ter sentimentos, emoções e uma consciência. 

Vivemos em um mundo onde tudo está na linha do automático – trabalho, estudos, relacionamentos. Todavia, essa forma de viver nos afasta da felicidade plena. Precisamos aprender a desligar o modo automático para viver com mais consciência e qualidade de vida.

Não é fácil, mas é possível

Sempre que escolhermos parar de nutrir a dor e começarmos a nutrir outros pensamentos e sentimentos saudáveis, estaremos nos afastando do sofrimento e, por consequência, entendendo como parar de sofrer por amor. Não é fácil, mas, sim, possível. 

O indicador de limite ou aceitação são os sentimentos. Eles indicam em que campo atrativo nós estamos. Se estivermos em desconforto e sofrimento, provavelmente estamos nas frequências mais densas e nos desgastando. 

Perceber quais os pensamentos por trás da reação é importante para sabermos qual caminho seguir. Se estamos apenas reagindo é sinal de que o modo automático está ativado. Ou seja, não estamos fazendo uma escolha, estamos somente sobrevivendo.

E, se essa reação estiver causando desconforto, é hora de mudarmos para uma nova frequência. Às vezes, o sofrimento é tanto que toma nossos pensamentos e nos leva a crises.

Quando isso acontece, é hora de procurar ajuda para sair desse looping de dor e sofrimento.

Um terapeuta pode ajudar a perceber esses desequilíbrios através de técnicas tradicionais ou holísticas e vibracionais, como:

Autoanálise é indispensável

Você deve ter percebido que tudo o que falamos até agora sobre como parar de sofrer por amor envolve muita autoanálise. Sim, ela é indispensável em todo esse processo. Perceber os pensamentos por trás da reação nos mostra qual é nosso limite e/ou por que estamos buscando aceitação.

Caso estejamos buscando aceitação, é possível questionar: “Quem eu busco ser para controlar e mudar a situação? E por que?”. Quando nos identificamos com a situação, ela tende a permanecer igual. Já quando reconhecemos que somos separados dela, podemos agir de forma mais construtiva. 

Podemos, por exemplo, trabalhar no ser que “acreditamos” precisar. Fazer esses questionamentos abre a percepção para mais possibilidades, inclusive a de parar de sofrer por amor. Questione, se perceba e escolha. Saia do automático, saia do desconforto e saia do sofrimento.

Fora do sofrimento há vida! Uma vida mais leve, amorosa e segura. O que nos nutre e sustenta para florescer é o Amor, em especial o primeiro e mais importante: o amor-próprio. Esse, inclusive, ajuda muito também a paz interior. 

Por fim, deixe ir. Escolha parar de sofrer por amor ou apego. Entregue o que foi para aprendizado e aprimoramento. Abra mão de padrões antigos que só se agarram para não morrer, mas que já estão morrendo. Renda-se ao novo! Uma nova situação e um novo eu que podem ser mais leves, amorosos e sem sofrimento.

Simone Kobayashi

Simone Kobayashi

Terapeuta Holística atuante em São Paulo e OnLine. Dedica sua vida profissional à junção de técnicas terapêuticas como o Reiki, Florais, Acupuntura, Análise Energética, Limpeza Energética, Harmonização, Barras de Access e Cura quântica.

Saiba mais sobre mim