Roberta Struzani
Por Roberta StruzaniLeia em 3 min.04/10/2018 

Como fazer pompoarismo com instrumentos

Ben-wa, personal, colar tailandês e cone vaginal são acessórios que trabalham diferentes habilidades motoras da vagina

Pompoarismo é uma arte milenar de se movimentar a vagina de formas inusitadas. Essa prática melhora a saúde íntima, prevenindo e tratando doenças, além de ser conhecida por seus benefícios sexuais. Se você tem dúvidas de como fazer pompoarismo com acessórios, vou explicar como usar cada instrumento, destacando os benefícios para a saúde íntima da mulher.

Os instrumentos do pompoarismo foram criados há muitos anos, no Oriente. Para tornar mais perceptível a prática de contrair e relaxar o músculo vaginal, as gueixas começaram a introduzir seus colares de pérolas, criando técnicas de expulsar e engolir as bolinhas. Assim surgiu o colar tailandês, primeiro instrumento do pompoarismo. Após isso, muitos instrumentos começaram a ser criados, cada um com uma finalidade diferente.

Acessórios do pompoarismo

Diferente do que muitas pessoas pensam, os músculos não precisam só de força. O mesmo acontece com a vagina. Precisamos relaxar a região, ter força, resistência, coordenação motora, sensibilidade e consciência corporal. É por isso que temos diferentes instrumentos, porque cada um deles irá trabalhar diferentes habilidades motoras da nossa vagina. Os instrumentos usados no pompoarismo são: ben-wá, personal, colar tailandês e cone vaginal.

O principal objetivo dos instrumentos é aumentar a consciência corporal, o que facilita na hora de sentir o movimento

 

Ao longo da minha carreira, entretanto, pude observar que região íntima das mulheres sofre alterações ao longo dos anos. Passamos pelos mesmo sinais, como se nossas vaginas recebessem informações no coletivo, e vamos modificando-as igualmente. Percebendo isso, eu notei a necessidade de retirar alguns instrumentos, pois, sendo mal utilizados, poderiam prejudicar a mulher ao invés de ajudar. É por isso que no workshop atualmente realizamos todas as habilidades da musculatura vaginal – também chamada de MAP – com o uso só de dois instrumentos.

Ben-wá

Trata-se de um instrumento que normalmente tem duas bolinhas do tamanho de bolinhas de ping-pong, mas dependendo do avanço da pompoarista pode ter mais. Essas bolinhas possuem no seu interior outros metais que, quando se movem dentro do canal vaginal, causam vibração. Elas são ligadas por um cordão e possuem um outro pedaço de cordão que fica do lado de fora da vagina, servindo como um puxador para ajudar a tirar a bolinha de dentro. Os sininhos que estão dentro da bolinha causam uma vibração que ativam o reflexo da vagina de se contrair involuntariamente.

Exercício de pompoarismo com ben-wá

Introduza as duas bolinhas dentro do canal vaginal, deixando só a cordinha de segurança para fora. Movimente bastante o quadril, rebolando, pulando, para que os sininhos internos possam vibrar, acordando e despertando a musculatura vaginal involuntariamente com o vibrar do sininho.

Exercício com o ben-wá trabalha consciência corporal e coordenação motora

Personal

O personal é um vibrador simples, usado no pompoarismo para acordar os músculos vaginais, perceber as diferentes partes da vagina – chamadas de anéis dentro do pompoarismo – e simular os movimentos sexuais do pompoarismo para treino fora da cama.

Exercício de pompoarismo com personal

Ligue o personal e introduza dentro do canal vaginal. Então, contraia a musculatura vaginal, depois retire o personal e, novamente sem o personal, contraia. Vá fazendo várias vezes seguidas, sem e com o personal.

Personal é um dos instrumentos usados no pompoarismo para trabalhar a musculatura vaginal

Colar tailandês

são cinco bolinhas, podendo ser pequenas, médias ou grandes, ligadas por um cordão. Assim como o ben–wá, também tem a parte que fica fora da vagina para ser puxada. É o instrumento que requer maior habilidade, mas há também exercícios de principiante. Sua principal habilidade adquirida é a coordenação motora, já que é preciso sugar as bolinhas e expelir.

Exercício de pompoarismo com colar tailandês

Introduza duas bolinhas no canal vaginal, e contraindo a vagina fortemente, tente sugar a próxima bolinha para mais perto da vagina. Depois relaxe e tente de novo. O intuito é aproximar a bolinha e, num segundo passo mais evoluído, engolir a bolinha literalmente com o canal vaginal.

Colar tailandês auxilia na coordenação motora, com o exercício de sugar e expelir as bolinhas

Cone vaginal

O cone vaginal tem de diferentes pesos, que são trabalhados como em academia, do cone mais adequado a sua força, aumentando gradativamente. No entanto, vejo hoje na prática que uma vagina com extrema tensão pode mascarar a força. Com isso, acaba apontando um pesinho às vezes maior, o que aumenta ainda mais a tensão.

Atualmente, com a prática de tantas alunas e pacientes, eu observo a necessidade de se trabalhar com o bem-wá e com o personal ao invés do cone vaginal e do colar tailandês, embora seja opcional de cada uma. Quando se trabalha com o cone vaginal, as principais habilidades trabalhadas são a resistência e a força da musculatura.

Exercício de pompoarismo com cone vaginal

Com o cone vaginal sendo colocado igual um absorvente interno, você deverá se esforçar para mantê-lo dentro do canal vaginal, contraindo a vagina para que ele não caia. Caso não precise se esforçar para que isso aconteça, então você precisa de uma gramatura maior. A gramatura perfeita é aquela que você precisa se esforçar para segurar na vagina. Com as pernas semi-abertas, segure o máximo de tempo que puder sem deixar o cone cair. Vá cronometrando dia a dia a sua evolução.

Exercício com o cone vaginal fortalece a musculatura vaginal

No geral, o principal objetivo dos instrumentos é aumentar a consciência corporal, o que facilita na hora de sentir o movimento. Ao movimentar o instrumento, você tem uma referência da sua evolução. Por exemplo: quanto mais tempo você segura o personal na vagina, mais resistente sua musculatura está; quanto mais consegue sugar o colar tailandês para dentro, maior a sua coordenação motora; quanto mais movimenta o bem-wá, mais forte está sua musculatura vaginal, e assim por diante. Ou seja, suas capacidades tornam-se perceptíveis com o uso de instrumentos.

Frequência dos exercícios

Os exercícios devem ser realizados diariamente se possível. Com três minutos por dia já é possível ter resultado. Como tudo na vida, no entanto, quanto maior o tempo de dedicação, maior e mais rápidos serão os resultados.

Contraindicações dos instrumentos

Não se pode utilizar os instrumentos quando se é virgem, pela possibilidade de romper o hímen. Os instrumentos também devem ser evitados por gestante no primeiro trimestre de gestação. Mas vale ressaltar que, mesmo que sejam realizados depois disso, deve-se pedir autorização médica. Os instrumentos, junto com os exercícios, pode acelerar o trabalho de parto fora de hora, caso seja uma gestação de risco.

O pompoarismo beneficia o trato urinário, melhorando a saúde de mulheres que têm infecção de urina (cistite) com frequência. No entanto, enquanto estiver apresentando sinais de infecção, deve-se evitar a realização dos exercícios.

Mulheres que apresentam atrofia vaginal, seja por idade avançada, por desuso sexual ou por respostas do corpo pós-câncer ou quimioterapia, precisam de uma avaliação médica ou fisioterapêutica, deve-se auto avaliar. No caso de uso dos instrumentos, é preciso tomar muito cuidado para não machucar a área que está sensível, dando preferência para o personal ao invés dos demais instrumentos nas primeiras semanas de treino.

Outro recurso é realizar fisioterapia ginecológica com intuito de aumentar a resistência da mucosa vaginal, para só depois usar os instrumentos. Ardência e vermelhidão, contudo, podem acontecer nos primeiros dias e, depois, os exercícios com instrumentos aumentam a resistência de forma positiva. Mas é preciso uma avaliação profissional para afirmar que está tudo dentro do esperado.

Mulheres que sentem dor durante a relação sexual, o que chamamos de dispareunia, devem evitar os instrumentos e procurar uma fisioterapeuta ginecológica para ajudar a corrigir o quadro. Essa indicação também se aplica às mulheres vagínicas – que não conseguem ter penetração vaginal -, pois a vagina se contrai involuntariamente, impedindo a penetração e também causando dor.

Durante a menstruação, o útero fica mais aberto e toda região mais suscetível, portanto é preferível evitar o treino com instrumentos nesse período. No entanto, não é uma contraindicação absoluta. Algumas mulheres que estão com a saúde boa optam em treinar nesse período propositalmente para ajudar a regular a menstruação, aumentar o fluxo menstrual, diminuir os dias do sangramento, assim como tratar cólicas menstruais.

Caso esteja com candidíase, coceira ou ardor, evite o treino com instrumentos devido ao atrito deles com a mucosa. Busque uma opinião médica, se trate e depois retome seus treinos normalmente, pois o pompoarismo sempre ajuda a melhorar a saúde íntima e dar suporte para qualquer tratamento ginecológico.

Como limpar e guardar os instrumentos

Os instrumentos podem ser lavados com sabonete neutro, enxugados e guardados numa nécessaire ou estojinho que tenha escolhido para seu kit. Mas também existe um sabonete especifico para limpeza dos instrumentos que contém microcápsulas responsáveis pela assepsia do produto. Há ainda um talco que pode ser colocado no instrumento para impedir que eles derretam e grudem, aumentando a durabilidade do produto e higiene.

Roberta Struzani

Roberta Struzani

Terapeuta especializada em sexualidade e saúde ginecológica. Realiza atendimentos presenciais e online focados no autoconhecimento, na elevação da autoestima e na saúde do aparelho reprodutor feminino. Sua principal ferramenta de trabalho é o Pompoarismo.