Carolina Senna
Por Carolina SennaLeia em 3 min.26/06/2020 

Quais eram seus sonhos em 2004?

Ao completar 16 anos, o Personare compartilha um aprendizado especial com você

Você lembra do que acontecia de importante na sua vida em 2004? Lembra dos sonhos que você tinha e de onde queria estar em 5, 10…16 anos?

Muitas vezes olhamos para nossa vida com uma sensação de estagnação. Parece que rodamos, rodamos e nos encontramos no mesmo lugar. Os personagens mudam, o contexto também, mas a história central parece se repetir.

Quando paramos pra olhar para um período mais amplo de tempo, percebemos o quanto avançamos. Seja pela idade, seja pelo que a vida nos convidou a fazer, crescer e ver ao longo de 16 anos.

Em 2004, o Personare nasceu. De um sonho de três jovens, nos seus 20 e poucos anos, um projeto de levar a Astrologia séria ao público do Brasil foi ao ar. O Personare foi idealizado para difundir a Astrologia como uma ferramenta profunda de autoconhecimento. E esse mergulho em si como a chave para uma vida melhor.

16 anos e milhões de Mapas Astrais depois. Com muitas reviravoltas e evoluções, aprendemos algo que pode fazer muita diferença na sua vida também.

A gente tende a enxergar a vida como um caminho linear. Mas ela é um grande ciclo. E você pode assumir a torre de comando desse processo.

O ciclo em geral começa num incômodo. Se inicia na tal sensação de estagnação ou em problemas que você esteja vivenciando. Do incômodo você pode buscar informações sobre si, usar a Astrologia, a Psicologia, a Numerologia ou outro estudo de autoconhecimento para entender o seu momento ou a sua personalidade. Mergulhar no porquê de você viver isso.

Ao entender essas razões, algumas pessoas já naturalmente começam a melhorar seu olhar ou a forma de viver seus desafios. Outras, precisam de terapias e ferramentas para ajudar a lidar com as questões internas.

Aí entra o aprendizado que tivemos na história do Personare. Entendemos que o autoconhecimento é sempre um ponto importante do ciclo, mas ele precisa ser seguido de uma vivência terapêutica. Com conteúdos ou práticas que ajudem você a dissolver dores antigas, machucados ou até traumas que acabam atrapalhando o desenrolar da sua vida.

Terapias, Thetahealing, Constelação Familiar, Reiki, só para citar alguns, são estudos e técnicas que podem e devem ser usados para lidar com essas dores internas. Podem ser experimentadas pontualmente ou num processo terapêutico constante.

Quando lidamos de forma terapêutica com esses desafios internos, começamos gradativamente a fazer escolhas diferentes e perceber a vida caminhando. Algumas situações podem até se repetir, mas acabam não tendo mais o mesmo peso de antes.

Outras técnicas, como a Meditação, a Aromaterapia e o Yoga podem ser ferramentas de apoio diário para criar um rotina que cuide de você. Porque muitas vezes parece que o cotidiano e a vida só existem pra tirar a gente do eixo. Mas cabe a nós saber voltar pra esse eixo.

Precisamos contar com um leque de técnicas, ações e atividades que possamos usar para voltar para o nosso ponto de serenidade interior. Para voltar e cultivar esse ponto. Independente do que esteja ocorrendo fora.

E é aí que entra nosso crescimento. Desde 2008, além dos estudo de autoconhecimento, o Personare oferece mais de 80 técnicas e estudos com conteúdos gratuitos no sites, produzidos por mais de 120 especialistas nesses assuntos.

Tudo para abrir esse leque de opções para você experimentar e selecionar aquilo que faz sentido na sua vida.

Quando a gente sabe como voltar para o nosso centro… O externo pode até chacoalhar, a vida pode até trazer um ano como 2020 (que tira a gente da zona de conforto a cada segundo), mas temos ferramentas para usar e voltar para o equilíbrio interno.

Conte com o Personare pra isso. Nesses 16 anos que completamos agora, podemos dizer que nosso leque é amplo. Vai do autoconhecimento ao bem-viver.

Carolina Senna

Carolina Senna

Sócia-fundadora do Personare e diretora da empresa há 14 anos. Nesta trajetória, passou a entender a fundo as causas e consequências dos grandes males da "vida moderna", como estresse e depressão.