Por que os homens se cuidam pouco?

Ao longo do tempo, coube ao homem uma postura mais rígida, sobrando pouco espaço para cuidar de si

Por que os homens se cuidam pouco?

Quem na família não tem um parente homem que não cuida da sua saúde? Afinal, por que os homens se cuidam tão pouco?

Pensando na quantidade de pacientes masculinos que tenho nas consultas de psicanálise, acredito que eu seja um ponto fora da curva, já que atendo desde crianças a adultos homens.

No entanto, de todos os casos, apenas um se enquadra numa busca por ajuda direta. Ou seja, na sua maioria, eles vieram por indicação de alguém, que até mesmo entrou em contato comigo relatando a necessidade deste homem de fazer análise.

É interessante perceber que vivemos numa sociedade em que parece que homem não tem autonomia sobre sua própria saúde e que há sempre alguma mulher que toma essa responsabilidade para si.

Quantas vezes você já deparou com alguma mulher preocupada com a saúde do homem próximo a ela? Quantas vezes você presenciou um homem ouvindo “você tem que cuidar da sua saúde”?

Será que precisamos mesmo continuar a observar os homens não se cuidarem e esperar que alguém os conduza para um tratamento?

Estudos apontam para o relapso dos homens com sua própria saúde física e mental:

  • 49% dos homens que participaram do estudo está acima do peso;
  • 39% declara ter hipertensão;
  • 43% revela que tem colesterol alto;
  • Quase 80% relata comer muito açúcar, sal ou gordura;
  • Apenas 35% se exercita pelo menos três vezes por semana.

O que estes dados revelam? Que mesmo neste lugar de acreditar que alguém tem de cuidar deles, estes homens ainda estão com problemas de saúde e não estão buscando solução.

Como resultado disso, os homens acabam morrendo mais cedo do que as mulheres por inúmeros fatores, incluindo a morte súbita e o câncer. Este desleixo com a saúde é algo que realmente chama atenção por toda a lógica em torno do que é ser homem.

Ser homem não é ser uma máquina

Na Psicanálise, se estuda muito o que é ser mulher, mas também faço meus questionamentos em torno da dinâmica do que é ser um homem.

Vivemos rodeados de mudanças sobre o comportamento e, com isso, estamos entendendo melhor o que é ser homem, o que é ser viril e o que é um pensamento que massacra mulheres e homens.

Eles, muitas vezes, acabam envolvidos em posições muito sofridas, como, por exemplo, a de que “homem não chora”.

Você já pensou em quantos homens já sofreram de maneiras diferentes porque não foram educados a pensar que homem realmente não chora e, com isso, não pode exprimir seus sentimentos?

Imagina a repercussão desse pensamento ao longo de toda a vida de um homem que aceitou isso como sua verdade?

Ao longo da humanidade, a expressão ficou muito mais fértil no terreno da mulher, enquanto o homem ficou restrito a uma postura mais rígida, mais fechada e de provedor.

Daí, há tanta relação do homem com válvulas de escape para diminuir suas tensões diárias, como o imenso amor pelo futebol, os grupos de amigos e a alta ingestão de álcool.

Até o sexo serve como forma de reduzir o estresse, enquanto a mulher, em muitos casos, tende a diminuir sua libido quando tem algum tipo de problema.

O que é mais interessante de perceber no universo masculino é que eles, mesmo com seus amigos, sentem muita dificuldade de falar de problemas emocionais – isso se realmente falam.

Parece que sofrer calado é quase uma norma para os homens, e este lugar é muito cruel.

Já percebi também que há casos em que a parceira nem mesmo admite que o homem tenha problemas, porque não consegue imaginar que a pessoa que fica no lugar do provedor tenha algum tipo de fragilidade.

Quando se dá conta disso, ela acaba se desfazendo do “sonho” de que é um homem e um homem forte. Mas ninguém é de pedra, não é verdade?

A importância do autocuidado

É essencial que haja um novo olhar dos homens para si próprios. Independentemente se tem ou não alguém preocupado com sua saúde, é importante para qualquer pessoa buscar descobrir como anda sua saúde, tanto física quanto mental, para ter maior qualidade de vida.

Quando falo sobre qualidade de vida, me refiro a ter maior disposição para executar as tarefas diárias e até mesmo incluir atividades de lazer, como a prática de algum hobby ou atividade física, por exemplo.

Existem doenças muito silenciosas que das quais os homens são as maiores vítimas, como é o caso de AVC e diabetes, que ocorrem, muitas vezes, pelo descuido com alimentação e falta de exercícios físicos.

Assim como as mulheres, os homens também quando estão com algum tipo de dor, como dor de coluna, acabam recorrendo a paliativos, como analgésicos, sem se preocupar em buscar descobrir o que está ocasionando os sintomas e, assim, a automedicação pode gerar novos problemas de saúde.

Quando penso no autocuidado dos homens, fico pensando na relação entre homens e protetor solar. Já pensou nisso? Quantos usam continuamente? Cuidado com a pele é coisa de macho? É sim, é tanto de macho quanto de fêmea e qualquer outro tipo de gênero que exista.

Mas observa como são as construções de pensamento tão restritas em torno do que é ser homem? Como se o câncer de pele não acometesse pessoas do sexo masculino.

Ser uma pessoa responsável por sua saúde física e mental requer quebrar alguns padrões de pensamentos e se descobrir uma pessoa capaz, não se sentindo refém do que os outros pensaram antes de você existir.

Acredito que vivemos um momento em que todos estão tendo a possibilidade de se questionar se seus pensamentos e atitudes estão de acordo com o que realmente querem ser. Então, por que não se permitir pensar sobre o cuidado com a sua própria saúde?

Olá, essa matéria foi útil para você?
Bruna Rafaele

Bruna Rafaele

Psicanalista, especialista em Saúde Mental. Faz atendimentos presenciais no Rio de Janeiro e consultas online no Personare. Saiba mais