Pesquisar
Loading...

Alimentos proibidos e permitidos na dieta. Isso é real?

Será mesmo que existem alimentos proibidos e permitidos na dieta? Faça o exercício e veja quais são os seus

Alimentos proibidos e permitidos na dieta é algo que sempre aparece quando alguém está tentando rever seu programa alimentar, seja qual for o seu objetivo. E o desejo por tudo o que não pode só aumenta, não é mesmo? Ou seja, é uma reação à privação. 

Sabia que quando os alimentos estão mais disponíveis ficam menos atraentes? Por isso, a proposta aqui é fácil de seguir: se dê permissão para comer qualquer coisa. Sem a lista de alimentos proibidos e permitidos na dieta, portanto, você elimina a necessidade urgente de comer demais. 

Quem faz dieta há muitos anos e está sempre experimentando uma “nova”, terá que primeiramente reconhecer a sua mentalidade de dieta e a cultura em que vivemos, que estimula a manter essa mentalidade. 

É uma transformação na vida. Recuperar a confiança é a base e pode levar um tempo. É libertador soltar as amarras da dieta e se permitir estar em paz com a comida.

Medos levam aos alimentos proibidos e permitidos na dieta

Existem vários medos que podem acompanhar nesse processo, como perder o controle e não parar de comer, de não saber lidar com a comida e de não comer de forma saudável. Por isso, estar acompanhada nessa jornada poderá facilitar o processo. 

Um dos primeiros pontos é aceitar a comida “proibida” como uma comida. Se permitir entrar em contato com os sinais internos do corpo, reconhecendo quando quer começar e parar de comer. 

A confiança é um dos aspectos fundamentais: na sabedoria interna e nos sinais do corpo, como em se permitir comer. 

Estar ciente e acolher quando pensamentos negativos e sentimento de culpa surgirem. Saber que fazem parte da jornada e aos poucos vão perdendo força. 

Quer se permitir experimentar sua lista?

Mas, atenção. Escolha um momento em que esteja bem para fazer esse exercício, se sabe que tem um gatilho como está ansiosa, cansada, entediada, isso pode interferir na experiência. Deixe para outro momento. 

  1. Faça uma lista dos alimentos “proibidos”
  2. Então, escolha um e se dê a permissão para comer.
  3. Sobretudo, experimente, saboreie e use os sentidos para comer o alimento escolhido.
  4. Por fim, sinta o cheiro, note as cores, formas, texturas e deguste cada mordida.

O que você notou? Perceba como foi a vivência em seu corpo, nos pensamentos e nos sentimentos. O gosto era você como imaginava? 

Se gostou do alimento, este pode ser incluído na sua lista. Isso porque lhe proporciona alegria e prazer. Se não achou o gosto bom, portanto, pode se tranquilizar e não pensar mais nele. 

É comum alguns alimentos “proibidos” termos o pensamento de desejo e o gosto não corresponder, às vezes era algo que gostava quando criança e acabou mudando. 

Atenção às armadilhas do “comer o que quiser”

Uma armadilha para teer atenção é ao se dar a permissão de comer o que quiser, adicionar também a quantidade que quiser e sempre que tiver vontade. Ou seja, é preciso respeitar os sinais do corpo para receber uma quantidade em que fique bem e satisfeita. E, portanto desrespeitar os sinais do corpo para comer o que quiser não é a proposta. 

Em relação a adequar a quantidade boa para seu corpo, alguns aspectos podem te auxiliar: 

  • Notar como está o gosto. Isso geralmente ocorre quando a comida deixa de ser saborosa. Ou seja, você pode já ter comido o suficiente. 
  • Ter atenção aos sinais do corpo de preenchimento para parar de comer. Levar a atenção ao corpo e não a se ainda tem no prato. 
  • Desacelere. Ao comer mais devagar, você consegue cuidar mais os sinais do corpo, o gosto do alimento e prestar atenção na sua satisfação.
  • Deixe as distrações de lado, como, por exemplo, celular, TV e computador. Muitos excessos alimentares acontecem por não haver atenção ao que estamos comendo. 
  • Lembre-se de ter paciência nessa jornada para ressignificar a sua relação com o corpo. 
Luiza Camargo Mendes

Luiza Camargo Mendes

Psicóloga, instrutora de Mindfulness e Mindful Eating, praticante de meditação e yoga, que encontrou no Mindful Eating um grande significado para sua atuação.

Saiba mais sobre mim