Logo Personare vertical
Pesquisar
Loading...

Como meditar: é possível vencer os obstáculos

Sensações como dormência na perna, mente dispersa, dúvidas e cobranças são comuns e podem ser superadas. Saiba como.

Como meditar: é possível vencer os obstáculos

Se você começou a meditar, já deve ter se deparado com algum desconforto no corpo. Às vezes as costas começam a doer e as pernas ficam dormentes. Quando o corpo está confortável, parece que o incômodo passa a ser mental, você começa a perceber que a mente divaga, dispersa e de repente você está pensando em coisas que não queria pensar. Mas, afinal, como meditar?

“Na meditação eu deveria estar calmo no presente”, você pensa. Mas o que experimenta é bem diferente, um turbilhão de pensamentos que você não quer, várias histórias do passado e preocupações ou fantasias sobre o futuro.

Além disso, você se dá conta que os pensamentos te sequestram, te levam longe do aqui e agora e automaticamente você começa a lutar contra isso, mas o resultado é cansativo.

Como meditar: o que fazer?

Nos meus primeiros anos de prática, fiz essa pergunta para minha acharya (professora), uma monja de Ananda Marga (organização internacional espiritual de Yoga e Serviço Social),  que me acompanha desde meu início na meditação. Lembro sempre da sua resposta: medita que tudo acontece.

E foi isso que fiz, simplesmente meditei, mesmo passando por essas dificuldades. Meditei sem lutar, sem esperar nada, sem querer nada. Se passaram muitos anos e muitas experiências que me deram os frutos mais valiosos que já plantei. E aqui divido com vocês.

Supere os desafios e aprenda como meditar

Pernas dormentes: muitos meditadores passam por isso, mesmo os mais experientes. Minha dica? Vai se acostumando com essa sensação e perdendo o medo. Mesmo que você não sinta mais as pernas, elas sempre voltam ao normal, sem nenhum dano.

O ideal seria permitir a dormência e ver se ela passa naturalmente. Caso fique muito desconfortável, troque a postura ou pare de meditar.

Acho importante você não criar um conceito negativo sobre meditar, por isso aconselho a pausa nesse caso. Meditar não é difícil. Pelo contrário, esse momento é para aceitar qualquer experiência.

Mente dispersa: essa é uma das características da mente, que naturalmente sai em várias direções. Os yoguis antigamente descreviam a mente como um macaco bêbado, picado por 8 escorpiões, pulando de galho em galho. Então quando observar isto, relaxe e traga ela para o presente. Lembre-se: somente estamos conscientes quando observamos no momento presente.

Apagão: é mais comum do que você imagina, a mente simplesmente apaga e você não lembra de nada. È bem parecido com o sono, mas você está sentado meditando.

Nestes casos, ajuda muito enraizar antes de começar e utilizar um sankalpa (determinação) no início da meditação. Para enraizar, visualize-se como uma árvore grande e antiga, suas pernas são como raízes profundas que sentem a terra, você está muito estável no chão.

Quando estiver bem consciente do corpo, faça seu sankalpa e repita mentalmente três vezes: “eu fico atento e consciente durante toda a meditação”.

Expectativas: fique consciente caso você tenha alguma expectativa ao sentar para meditar. Rotule cada uma delas para que fiquem bem evidentes, por exemplo: “eu espero ficar calmo na meditação”, “eu espero parar de pensar”, “eu espero que esta meditação me traga uma experiência incrível”.

Depois de listá-las, lembre-se: expectativas são ilusões, não são realidade. Fique presente e enraizado e você irá tomando a redes da sua vida. A vida acontece aqui e agora.

Dúvidas: estou meditando?

Sim, você está. Mesmo distraído, incomodado ou com qualquer sentimento, sempre que você voltar a ficar consciente no presente por pequenos momentos, você está meditando. Apenas sente, observe e relaxe na experiência.

Cobranças: não consigo meditar todo dia

As cobranças são padrões de pensamentos que acompanham o ser humano na busca da perfeição. Se elas aparecem na meditação, elas estão presentes no seu cotidiano também.

Observe-se e questione se as cobranças servem para crescer e melhorar ou se elas lhe deixam frustrado e desapontado. Normalmente elas atrapalham o caminho ao invés de motivar sua expansão.

Cultive a aceitação e veja como esta atitude faz você relaxar e ter clareza do que você realmente quer e de como agir.

Boa meditação! Namaskar

Olá, essa matéria foi útil para você?
Gunatiita

Gunatiita

Fundadora da escola UNA MEDITAÇÃO, professora de Yoga do Museu do Amanhã do RJ, idealizadora do maior evento de meditação o Rio Desperta. Saiba mais