Como identificar se estou com depressão

Sono, disposição, reclusão e como a pessoa se comporta podem ser sinais da doença; procure identificá-los para procurar ajuda o mais rápido possível

Como identificar se estou com depressão

Muitas vezes, a própria pessoa depressiva não entende o porquê dela se sentir tão angustiada, triste, desanimada e apática. Em grande parte, ela nem sabe que está depressiva. Por isso, é fundamental saber como identificar sinais da depressão.

Muitas pessoas acabam passando pela doença sozinhas, porque a falta de compreensão sobre si faz com que se sintam cada vez piores consigo mesmas e aceitem as maldades alheias como suas verdades.

Quanto mais quem sofre com a depressão falar sobre como se sente, mais fácil pode se tornar sua rotina. E quanto mais pudermos identificar a doença em outras pessoas, mais poderemos ajudá-las.

Então, aprenda como identificar sinais da depressão e procurar ajuda assim que for possível.

Os sinais da depressão

A expressão

A pessoa com depressão ri, apesar de todos acharem que ela precisa demonstrar tristeza o tempo todo. Também, a pessoa com depressão nem sempre tem um sorriso no rosto, mesmo que ela esteja em condições que pessoas sem depressão estejam muito felizes.

O sono

A pessoa com depressão pode até acordar cedo, mas para ela sair da cama é algo difícil, mesmo que ela não durma bem.

Aliás, o sono da pessoa deprimida é muito complexo. Ela pode ter muito sono e ao mesmo tempo sentir que não repôs as energias. Com isso, vem a sensação de que acordou mais cansada do que foi dormir.

Ou ela pode passar por uma fase um pouco mais associada a uma crise de ansiedade, em que o corpo e a mente ficam mais agitados e, assim, não consegue deitar e dormir ou tem um sono picotado durante a noite e o dia.

A disposição

A pessoa com depressão se sente muito indisposta para fazer atividades que em algum momento de sua vida já lhe deram prazer. Ela até mesmo pode ser muito boa no que faz, mas sua mente doente acaba não permitindo que  tenha a concentração e a capacidade laborativa normal.

Assim, o trabalho de pessoas com depressão, muitas vezes, é extremamente prejudicado, porque elas sentem dificuldades de concentração e  a memória fica muito reduzida.

Também podem surgir bloqueios na sua criatividade e insegurança para se expor frente aos demais funcionários e ao público no seu ambiente de trabalho.

A reclusão e a exclusão

Quando a interação profissional começa a ruir, isso causa mais prejuízos para sua saúde, pois, por preconceito, as pessoas não aceitam a maneira como a pessoa deprimida fica. Acham que “ela faz corpo mole”, “não reage”, “não está satisfeita com o emprego” e “precisa procurar outro lugar para trabalhar e se sentir mais feliz”.

Surgem várias falas diretas e indiretas sobre a saúde mental da pessoa deprimida e, além da depressão causar por si só a reclusão da pessoa doente, os membros de sua equipe também podem excluí-la.

Esta atitude no ambiente do trabalho é muito cruel e covarde, porque acaba causando muitos malefícios à saúde da pessoa deprimida, que nem sempre demonstra seus esforços na luta contra os males da depressão, mas certamente faz o possível para seguir com sua vida da melhor maneira possível.

O assédio

Infelizmente, muitas pessoas me relatam que entraram em depressão por ter sofrido algum tipo de assédio no trabalho. Ou que já sofriam de depressão e o seu quadro se agravou ao ponto de ter que se retirar do emprego por causa desse trauma.

É importante ressaltar que este tipo de maldade que acomete pessoas que demonstram algum tipo de fragilidade é muito mais comum do que se imagina.

O que (não) fala

Quem tem depressão geralmente fica mais silencioso ou, às vezes, reclama mais da vida do que alimenta o diálogo com assuntos leves. Mas isso não é uma escolha.

Em mutos casos, as pessoas expressam como se sentem de formas variadas. Querer cortar o canal de comunicação da pessoa que sofre de depressão com as demais só porque ela não consegue manter uma conversa sobre assuntos divertidos não vai surtir um bom efeito na sua saúde mental e gera maior isolamento.

Além disso, quem tem depressão, como qualquer outra doença, não precisa fingir ser outra pessoa. Certo? Assim como ninguém precisa ficar neste lugar.

Depressão X tristeza

Sempre gosto de lembrar que depressão e tristeza não são a mesma coisa.

  • A depressão muda a maneira como a pessoa sente a vida
  • A tristeza tem relação com algum tipo de frustração. Ela não abala a maneira da pessoa viver, ou seja, não é uma doença e dura um período menor.

Precisamos desmitificar a visão sobre a depressão, uma doença tão incapacitante que afasta tantas pessoas do seu ambiente pessoal e profissional. A depressão invade a vida da pessoa como um todo, como sua saúde física, seus sonhos e seus laços afetivos.

Quem tem depressão vive num combate intenso e diário, assim como uma ferida que não sangra. Por isso quem não tem a doença muitas vezes não tem noção, mas precisamos respeitar e até admirá-la pela coragem da pessoa de desafiar suas dores emocionais a cada dia.

Sendo assim, será que podemos oferecer mais sofrimento a quem está doente oferecendo mais dor? Por isso, compartilhe com o máximo de pessoas possíveis este artigo para amenizar o mal estar de quem convive com a depressão.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Bruna Rafaele

Bruna Rafaele

Psicanalista, especialista em Saúde Mental. Faz atendimentos presenciais no Rio de Janeiro e consultas online no Personare. Saiba mais