Juliana Garcia
Por Juliana GarciaLeia em 17 min.10/05/2016 

Como anda seu nível de energia?

Essa pergunta tem tudo a ver com sua produtividade. Entenda o porquê

Essa pergunta tem tudo a ver com sua produtividade. Entenda o porquê

Mais importante do que gerir nosso tempo, é gerir a nossa energia. Se ficamos só na contagem de horas e tarefas, permitindo que as demandas externas nos suguem, a nossa energia acaba escorrendo pelo ralo. E se você não tem energia, garanto que pode ter todo o tempo do mundo e ainda assim não será o bastante para fazer o que quer e o que precisa ser feito.

Se cuido da minha energia, sou capaz de agir com muito mais concentração, amplio a produtividade e o melhor: tudo isso com maior bem-estar e sensação de integralidade. É bom ressaltar que produtividade não é sinônimo de ser um fazedor de coisas, mas sim de produzir algo.

É bom ressaltar que produtividade não é sinônimo de ser um fazedor de coisas, mas sim de produzir algo.

Ser produtivo é se colocar em movimento realizador para aquilo que tem sentido e significado. E somente com energia em alta é que você pode realizar de verdade.

A nossa energia precisa ser gerada e gerida, precisamos recarregar as baterias e cuidar para que nossa carga se mantenha de maneira equilibrada e saudável.

O que faço para gerir minha energia:

  1. Observar como está o meu corpo e o meu humor. Algumas perguntas que me faço para investigar: percebo algum ponto de dor ou tensão? Estou ansiosa, com mau humor, sonolenta, sem ânimo, dispersa? Se alguma dessas respostas for positiva, é hora de mudar a vibração.

Coisas que faço para gerar energia:

  1. Beber bastante água: noto claramente que meu rendimento aumenta quando me hidrato e também percebo como fico pior quando não estou hidratada, chegando a sentir sintomas como dor de cabeça quando não ingiro a quantidade adequada para meu corpo.

    Como anda seu nível de ingestão de água pura ao longo do dia? Observe como isso afeta o modo como você se sente.

  2. Levantar de tempos em tempos e me movimentar. Pode ser uma sessão de alongamentos, espreguiçar, mexer, pular, enfim, dar espaço ao corpo.

    Você fica longos períodos em pé ou sentado? Você oxigena seu corpo de tempos em tempos?

  3. A cada dia que passa (e a cada ano que meu corpo ganha experiência de vida) é mais fácil reparar o que funciona e o que não funciona para mim. É assim com você também? O que antes passava batido, hoje já vejo sinais claros do que não funciona ou me esgota. Por outro lado, alguns alimentos sinto que potencializam a minha energia.

    E você? Quais alimentos e substâncias lhe ajudam a ficar no eixo? E o que tira você do prumo?

  4. Procuro me cercar de elementos inspiradores, encorajadores e que ampliem a minha energia. Boas notícias, música que faça eu me sentir bem (tem momentos para música suave e outros para empolgar mesmo), livros e conteúdos que me coloquem em contato com ideias novas e criatividade, aromas gostosos, companhias agradáveis e para cima.

    Como anda seu ambiente e como ele interfere na sua energia? Como você pode fazer um pequeno ajuste hoje mesmo?

  5. Alternar entre momentos de total concentração no trabalho e pausas para a mente respirar. Podem ser 25 minutos de concentração e 15 de pausa, como no Pomodoro Technique, mas às vezes aumento o período para 45 minutos. No entanto, nesses 15 minutos de pausa é importante sair desse campo, levantar, me alongar, desenhar, enfim, não adianta alternar trabalho com trabalho, senão a mente não respira e a gente fica drenado e sem inspiração.

    Como andam seus períodos de foco e descanso?

  6. Esse é um desafio para mim: definir um tempo para trabalhar e um tempo para descanso e lazer. Muitas vezes, por trabalhar em home office e amar muito o que eu faço, as coisas se misturam e entram numa zona de indefinição. Então, se não vigio eu não trabalho e nem me recarrego direito. Daí a energia vai embora mesmo.

    Esse também é um desafio para você? Como pode dar um pequeno passo hoje para ajustar essa balança?

  7. Parar de brigar comigo mesma, “sentir o que estou sentindo” e fazer o que for necessário para me acolher, me respeitar, me recarregar e, assim, voltar com a energia renovada para manter a caminhada.

    O que mudaria se você oferecesse a si mesmo o que precisa de verdade?

Uma coisa que aprendi e posso garantir: à medida que cuida da sua energia (física, mental, emocional, espiritual), você ganha mais força e foco, além de ficar cada vez mais expert em reconhecer o que precisa em cada momento. Com atenção para se escutar, você se torna um especialista em autocuidado.

Por onde sua energia está escoando? O que poderia começar a fazer para gerir sua energia, ou seja, para se perceber? O que poderia incluir em seu cotidiano para gerar energia?

Para continuar refletindo sobre o tema

5 dicas para ser produtivo de verdade

Você conhece seus talentos?

Administre melhor seu dia e organize os compromissos

Juliana Garcia

Juliana Garcia

Escritora, criadora, consultora, psicóloga, psicodramatista. Seu trabalho gira em torno da Autenticidade e da Criatividade. Psicóloga graduada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), pós-graduada em Psicodrama pelo Instituto Mineiro de Psicodrama Jacob Levy Moreno. Cursou formações em Coaching pela Abracoaching e Condor Blanco Internacional. Foi professora do curso de pós-graduação em Psicodrama pelo Instituto Mineiro de Psicodrama Jacob Levy Moreno. Criadora de diversos cursos livres e conteúdos mais livres ainda. Contato: contato@julianaggarcia.com.br