Logo Personare vertical
Pesquisar
Loading...
Aromaterapia e negócios: como saber e usar aromas na sua empresa

Aromaterapia e negócios: como saber e usar aromas na sua empresa

Alguns cheiros podem ajudar a atrair clientes e potencializar a venda de produtos e serviços

A sua empresa ou marca tem cheiro? Você sabe a importância que as emoções e os sentidos, como o olfato, têm na decisão de compra? É aí que entra em jogo a combinação de Aromaterapia e negócios, assim como a Aromacologia e o Marketing olfativo.

Áreas diferentes e, ao mesmo tempo, complementares que podem ser usadas para proporcionar a melhor experiência aos seus clientes.

Vamos entender um pouco mais dessa relação entre aroma e negócios e de como você pode usar a Aromaterapia para atrair clientes e potencializar as vendas de produtos e serviços.

A relação entre aroma e emoções

Quem aqui nunca entrou em uma loja e sentiu um aroma agradável que remeteu a uma fase da vida ou algo que trouxe boas lembranças?

Lembro da primeira vez que entrei na loja da Melissa. Assim que senti aquele aroma de tutti-​frutti, automaticamente me vi criança brincando na rua, pois era o mesmo cheiro de chicletes famosos à época.

E, toda vez que passo em frente a uma padaria e sinto aquele aroma de bolo assado quentinho, no mesmo instante eu volto lá na casa da minha avó, que fazia os melhores bolos que já comi.

Percebem que dois sentidos aqui prevalecem? O olfato e o paladar. O fato de você entrar na loja e consumir, muitas vezes está diretamente ligado a uma emoção, percepção, lembrança ou sensação.

Isso acontece porque, ao inalarmos algum aroma, em questão de segundos ele está no sistema límbico – região na qual está o hipocampo responsável pelas memórias e também o hipotálamo, a parte do cérebro que processa pensamentos e sentimentos.

O que é Aromacologia?

A The Fragrance Foundation e o Sense of Smell Institute criaram e patentearam em 1989, em Nova York, o termo  AROMA-CHOLOGY® , que é o estudo da relação entre psicologia e a tecnologia de fragrâncias, assim como a influência dos cheiros sobre as emoções e sentimentos.

Isso significa que podemos usar tanto a Aromaterapia como a Aromacologia a nosso favor para proporcionar a melhor experiência ao cliente, o que acaba gerando vontade de consumir e de divulgar a marca, fidelizando o consumidor.

E como isso é feito? Por meio da criação de uma identidade olfativa. A ideia é que, todas as vezes que o cliente sentir aquele cheiro, se lembre da sua loja, empresa, produto ou marca.

Segundo Martin Lindstrom, autor do livro “Brandsense – segredos sensoriais por trás das coisas que compramos”: a marca deve se transformar em uma experiência sensorial, o que envolve som, toque, cheiro e sensação. As marcas que criam essa conexão através dos sentidos se tornam muito mais fortes.

O que chamam de branding é a estratégia da gestão da marca, que reflete a personalidade da empresa e define quem é a empresa através da sua missão e valores, tornando-a exclusiva e única.

A relação entre Marketing e aromas

Ouvimos muito hoje em dia sobre o Marketing Sensorial, uma área relativamente nova, que trabalha pela percepção, gerando um vínculo a uma determinada marca e aliando os cinco sentidos (visão, olfato, paladar, audição e toque).

Marketing Sensorial não vende produto ou serviço, vende experiências prazerosas e memoráveis, que fazem o cliente voltar e indicar os seus produtos e serviços.

Também chamado de Marketing Olfativo, ele é uma importante ferramenta de negócios, pois ajuda a distinguir sua marca das outras, pois trata o cliente como alguém especial, levando-o a este mundo de sensações, e melhora as relações no ambiente de trabalho.

Através da aromatização de pontos de venda, lojas (física ou virtual) de qualquer segmento, consultórios, clínicas, spas, dentre outros, é possível ainda estimular o bem-estar do cliente e aumentar sua permanência no local, deixar o espaço mais agradável e estimular o desejo de consumir, fortalecendo uma experiência de consumo e uma lembrança positiva de sua marca.

Por que usar Aromaterapia no seu negócio

A palavra perfume deriva do latim “per fumum“, que significa “através da fumaça”. Na antiguidade, a fumaça que era formada quando folhas e flores caíam na gordura enquanto as carnes eram assadas, fez com que os seres humanos percebessem que seu aroma não só era intenso, como também trazia bem-estar.

Da prática das fogueiras e da queima de plantas perfumadas surgiu o incenso, como uma necessidade não só do ponto de vista curativo, mas também nos rituais religiosos, de todas as culturas.

Os antigos egípcios acreditavam que toda alma possuía uma fragrância. Cleópatra a usava para atrair seus parceiros amorosos, por meio dos famosos banhos de rosas preparados no intuito de seduzir.

Outra sacada nesse sentido são as campanhas publicitárias e eventos utilizando aromas como forma de reter a atenção do cliente, seja em anúncios perfumados em revistas, em comunicações ou lançamentos de novos produtos com cheiros específicos. Atualmente, grandes marcas investem no aroma personalizado e no marketing olfativo.

Como criar uma identidade olfativa

1. Consultoria

Esse trabalho começa com uma reunião do profissional especializado em aromas, como o aromaterapeuta, com o empreendedor, na qual é feito um briefing. Entre as questões discutidas estão:

  • as necessidades do negócio
  • qual o público-alvo (faixa etária, sexo, gênero)
  • quais os aromas preferidos
  • as formas de aromatização
  • a circulação dos clientes e funcionários
  • horário de funcionamento e infraestrutura do ambiente
  • formas e estratégias para as lojas virtuais também.

Cada caso deve ser analisado de forma personalizada, para entender a real necessidade de cada cliente. Essa consultoria costuma demandar alguns meses até a finalização do projeto.

2. Amostras ou sinergias

Após a criação da fragrância, são confeccionadas amostras ou sinergias (blends) para o cliente experimentar e escolher o aroma que mais lhe agrada.

Essa sinergia é composta de mais de um óleo essencial ou essência sintética, e a escolha entre uma e outra pode ser explicada na primeira reunião com o cliente.

Dicas de óleos essenciais para os negócios

Como cada empresa tem um perfil diferente, a escolha dos aromas para determinar sua identidade olfativa precisa ser feita por meio de um trabalho personalizado.

No entanto, é possível dar algumas dicas gerais de uso dos óleos essenciais no seu negócio, que ajudarão a trabalhar questões do dia a dia entre sua equipe e clientes. Não é uma fórmula exclusiva, mas pode trazer alguns benefícios ao seu negócio.

Passo a passo: Aromaterapia no seu negócio

  1. Basta diluir de 3 a 5 gotas de cada óleo indicado com um pouco de água em um difusor elétrico. A quantidade é indicada para áreas de até 30 m².
  2. Como alguns óleos essenciais têm contraindicações, o melhor é sempre consultar um aromaterapeuta para orientações de como utilizá-los em locais onde há muita circulação de pessoas.

Lembre-se que sua marca, produto ou serviço pode ter um valor agregado quando você cria algo personalizado e exclusivo, e que a criação desse aroma poderá trazer  a lembrança e a memória do seu produto, negócio ou marca.

Para mais informações, escreva para mim.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Solange Lima

Solange Lima

Terapeuta integrativa e numeróloga. Utiliza técnicas como Florais, Aromaterapia, Cromoterapia e Reiki. Realiza atendimentos online. Saiba mais