Equipe Personare
  • Por Equipe Personare
  • Leia em 4 min.
  • 17/11/2019
  • Atualizado em 13/02/2020 às 22:17

Vaporização do útero: como fazer e quais ervas usar

Técnica utiliza ervas em vapor para umidificar o canal vaginal e melhorar a circulação sanguínea

Vaporização do útero: como fazer e quais ervas usar

vaporização do útero é mais do que uma técnica natural, é um ritual energético. O útero feminino guarda as memórias de uma vida inteira. Memórias negativas podem ficar acumuladas nas paredes do útero e, por isso, fazer limpezas nesse órgão podem nos ajudar a seguir em frente e deixar para traz energias que não são positivas.

Uma das técnicas de limpeza dessas memórias negativas é a vaporização do útero. O processo consiste na utilização de ervas e em como seus benefícios podem beneficiar o canal vaginal. Esse vapor ajuda a umidificar a área, melhorando a lubrificação e a circulação sanguínea.

Quando a parte física está sem a circulação sanguínea considerada sadia, a causa emocional pode se manifestar muito mais fácil no nosso sistema físico, podendo ocasionar na ausência de prazer sexual e de lubrificação.

Vaporização do útero: passo a passo

  • Escolha as ervas indicadas para seu caso e coloqueas-as em um balde.
  • Depois, despeje uma panela de água fervida por cima.
  • Posicione o balde entre suas pernas – é importante que esteja nua da cintura para baixo ou de saia e sem calcinha.
  • Cubra-se com um cobertor para concentrar o vapor. Se conseguir adaptar o “assento” do balde, de modo que consiga ficar sentada nele, é ainda melhor, pois facilita a chegada do vapor até a vulva. Se não conseguir, mantenha-se em pé mesmo.
  • Contraía o canal vaginal para que o vapor possa subir.

Ervas para vaporização do útero

Vários tipos de ervas podem ser usados para vaporização do útero. Mas eu tenho algumas sugestões:

  • Problemas menstruais: faça de uma a três vaporizações no período pré-menstrual, todo mês, até regularizar os sintomas que está querendo tratar. Ervas indicadas: agripalma, artemisia, manjericão, alecrim, calêndula e camomila.
  • TPM: faça de uma a três vaporizações no período pré-menstrual, todo mês, até regularizar os sintomas que está querendo se tratar. Ervas indicadas: artemisia, orégano, folhas de framboesa e pétalas de rosa vermelha.
  • Menopausa: faça a vaporização de acordo com sua necessidade. Ervas indicadas: manjericão, folhas de framboesa, malva branca, sálvia e camomila.
  • Fertilidade: faça a vaporização na fase pré-ovular e ovular. Ervas indicadas: alecrim, artemisia, calêndula, camomila, pétalas de rosa vermelha e lavanda.
  • Pós-aborto: a vaporização só deve ser feita após sanar o sangramento provocado pelo aborto. A frequência pode ser de acordo com os sintomas, sejam eles físicos ou emocionais, enquanto houver alívio com o uso da técnica, usando cerca de uma a três vezes por semana. Ervas indicadas: artemisia, orégano, calêndula e lavanda.
  • Pós-parto: no caso de cesárea, a vaporização só pode ser feita após sanar o sangramento provocado pela cirurgia. Em caso de parto normal ou natural, pode-se iniciar imediatamente. Ervas indicadas: orégano, alecrim, mil- folhas, confrei, calêndula e mil- folhas.

Contra indicações

  • A vaporização não pode ser feita nas seguintes condições:
  • Durante a menstruação ou qualquer tipo de sangramento.
  • Infecções vaginais ou feridas abertas.
  • Na gestação.
  • Caso haja qualquer outra alteração do corpo específica que contraindique contato com calor ou vapor.
Olá, essa matéria foi útil para você?
Equipe Personare

Equipe Personare

Nós, da equipe Personare, também estamos em um processo constante de conhecimento sobre nós mesmos, sobre o mundo e sobre as relações humanas. Saiba mais