Parceria Humana
Fernanda Miguez
Por Fernanda MiguezLeia em 3 min.14/08/2018 

Mindfulness e a quebra de crenças

Transforme pensamentos, emoções e hábitos e crie novos caminhos com a atenção plena

Há uma década, os neurocientistas acreditavam que nossos neurônios não se modificavam ao longo da vida. Atualmente já foi provado o contrário e crescem cada vez mais os estudos sobre neuroplasticidade, que é a capacidade do nosso cérebro se “remodelar” ao longo das nossas vidas pelas nossas experiências e pelos nossos pensamentos e emoções.

Mindulness: reprograme seu cérebro

Você pode imaginar o seu cérebro como uma rede de energia dinâmica conectada com bilhões de caminhos ou estradas se iluminando a cada momento que pensa, sente ou faz algo. Algumas destas estradas são frequentemente muito exploradas. Correspondem aos seus hábitos, às formas de pensar, sentir e fazer. Cada vez que pensamos de uma determinada forma, praticamos uma tarefa ou sentimos uma emoção específica reforçamos esta estrada e torna-se cada vez mais fácil para os impulsos elétricos das redes neurais viajarem nesta via. Ou seja, o foco da nossa atenção, crenças e hábitos determina quais redes neurais vão ser reforçadas ou enfraquecidas.

Quando reclamamos, ficamos melhor nessa arte. Quanto mais cultivamos emoções positivas, ficamos emocionalmente mais hábeis neste quesito.

Na prática, isso significa que quando entramos em ciclos de preocupação e ansiedade ou irritabilidade, estas serão as redes neurais que serão reforçadas. Da mesma forma, quando temos hábitos rígidos ou crenças limitantes, ficamos pouco criativos, “presos” aos mesmos caminhos cerebrais o que impossibilita ativar um arsenal de caminhos novos, ou melhor dizendo, todo o potencial inteligente da mente.

Assim, quanto mais nos preocupamos, melhor ficamos na arte da preocupação. Quando reclamamos, ficamos melhor nessa arte também. Quanto mais cultivamos emoções positivas, ficamos emocionalmente mais hábeis neste quesito.

Cérebro reptiliano

Outro ponto importante a ser colocado: no nosso cérebro ainda reside o velho cérebro reptiliano, onde se localiza a amígdala. Ela é responsável pela nossa resposta de “luta e fuga”, que é ativada quando nos sentimos em situações ameaçadoras ou de estresse e libera hormônios e produtos químicos como cortisol e adrenalina. É por isso que o estresse tem um impacto tão grande em nós e ficamos muitas vezes em ciclos tão grandes que chegamos ao esgotamento. Neste caso, “a cegueira” causada pela a agitação da mente no estresse também impossibilita a mente de encontrar estes novos caminhos.

Estar na vida em um estado Mindfulness é um exercício constante de nossa atenção e exige muita prática disciplinada. A prática acompanhada por outras mudanças de hábitos nos ajuda neste processo de transformação e descondicionamento da mente. Que tal começar agora?

Observe com atenção onde você se senta em casa, no trabalho, no restaurante. Mude de cadeira, de poltrona ou do lugar que você habitualmente escolhe.  Experimente escovar os dentes com a mão oposta que a de costume. Ou opte por alguma tarefa onde observa alguma rigidez em resistir à mudança desse hábito.

Veja como essas simples mudanças podem dar uma outra perspectiva a um pequeno momento de sua vida. Veja o que você percebe. O que mudou? O que sente de diferente? Sentiu algum desconforto? O processo de mudança passa por esta escuta e tomada de consciência.

Mindfulness no dia a dia

As técnicas a seguir ajudam a criar mini pausas durante o dia para calibrar o sistema nervoso. São curtas, mas muito efetivas se forem feitas em combinação com a prática disciplinada de Mindfulness diária.

Dois pés, uma respiração

A técnica mais curta de mindfulness. Sinta um de seus pés, em seguida o outro. Faça uma respiração consciente. Repita frequentemente durante o dia como uma pequena lembrança que você está vivendo realmente num corpo físico.

Os três Ps

  • Pause: tire um momento para você. Mesmo que seja uma simples respiração. Deixe ir a mente orientada para tarefas e simplesmente observe o momento.
  • Presença: esteja presente e consciente do que está acontecendo neste momento. Experienciando as sensações do corpo, observando os pensamentos e sentindo as emoções como são, sem tentar mudar nada.
  • Proceda: usando as palavras de forma consciente, responda compassivamente a qualquer coisa que estiver precisando da sua atenção neste momento.

Mindfulness e neuroplasticidade

A prática de Mindfulness ajuda a desenvolver competências da atenção e a capacidade de direcionar a  consciência para o momento presente, com abertura e gentileza. Isso significa ficarmos menos propensos a tomar decisões baseadas em conteúdos inconscientes, por impulsos de reatividade, e nos abre espaço para a clareza mental e uma mente sempre ávida a explorar novos caminhos.

Segundo Tarchin Hearn, mestre de Meditação e Mindfullness e autor do livro “Satipatthana: Fundamentos de Mindfulness”, cultivar esta prática é crescer conscientemente, amadurecendo na direção de uma integração suave e funcional de uma experiência corporificada e interativa, ou seja, não viver se identificando e acreditando apenas nos seus conteúdos mentais e sim tendo mais consciência do corpo, da sua sabedoria interna e dos relacionamentos com o próximo e com a natureza. É a direção oposta que nos leva à frustração, dor, agitação, fragmentação e desconfiança.  

Eu ainda complementaria que é entrar em um desconstruir, que nos conduz ao encontro da nossa verdadeira natureza e desenvolve uma mente vivaz, sempre apta a explorar o universo curioso das infinitas possibilidades. Para qual direção você quer ir?

Fernanda Miguez

Fernanda Miguez

Instrutora de Mindfulness pela Mindfulness Trainning International (MTI), sócia da Parceria Humana, engenheira elétrica formada pela UERJ. Experiência de 7 anos em gestão na área de Marketing e Comercial, com liderança Mindfulness. Email: fmiguez@parceriahumana.com.br 
Parceria Humana

Parceria Humana

Tem como missão contribuir para que qualquer indivíduo acesse a si mesmo de forma simples e natural, através das práticas Mindfulness, visando uma vida mais plena.