Mindfulness como ferramenta de apoio aos sintomas do TDAH

Prática da atenção plena melhora o funcionamento do cortex pré-frontal

Mindfulness como ferramenta de apoio aos sintomas do TDAH

O Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDA/TDAH) por muito tempo teve sua existência questionada. Mais que uma dificuldade em prestar atenção, é um transtorno neurobiológico, que afeta funções executivas do cérebro. O Mindfulness pode ser utilizado como uma ferramenta de apoio aos portadores de TDA/TDAH, ajudando-os a perceber quando estão desviando a atenção, para conseguir renovar a concentração em determinado assunto.

Pesquisas apontam que a prática da atenção plena – princípio do Mindfulness – diminui a ativação das amígdalas e, por isso, melhora o funcionamento do cortex pré-frontal. Localizada por trás do lobo frontal do cérebro, essa estrutura está associada à capacidade de monitorar conflitos de atenção.

Com a prática do Mindfulness, é possível notar melhora na regulação atencional, emocional e de conduta. A prática também vem sendo incorporada em intervenções protocoladas.

Entre as pesquisas, Teasdale (1995) demonstrou que a prática efetivamente melhora capacidades como o controle de atenção e redução do índice de respostas automática. Heeren and Philippot (2011) e Semple (2010) apresentaram numerosos trabalhos sobre a melhoria das funções executivas com a prática, tais como: memória, atenção e controle cognitivo. Estes trabalhos  tiveram como base programas estruturados, com duração de oito a dez semanas, aplicados a pais e filhos. Os estudos indicaram melhoria na atenção, impulsividade e comportamento autodirigido.

O que é autorregulação?

A autorregulação é a capacidade de dirigir a nossa própria conduta até uma meta, ou seja, direcionar o comportamento a um alvo determinado. Através das funções executivas, temos as ferramentas necessárias para isso.

Portanto, o TDA/ TDAH é uma condição em que o cérebro tem forte tendência à dispersão e distração. A Dra. Kathia Matias também afirma que ele pode vir acompanhado de outras características como impulsividade, hiperatividade (TDAH) e que também apresenta comorbidades – existência de duas ou mais ou doenças simultâneas, como transtornos de humor e ansiedade, alimentares e de personalidade.

Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade

O psicólogo e professor Russel Barkley, médico e pesquisador no Departamento de Psiquiatria da State University of New York Upstate Medical University, nos Estados Unidos, foi um dos grandes responsáveis por uma vasta obra literária nesta área. Segundo ele, o Déficit de Atenção é um transtorno da autorregulação, relacionado aos processos neuropsicológicos que dependem dos lobos frontais do cérebro.

Lobo frontal, segundo a psiquiatra Katiha Matias, é o maestro do nosso comportamento e apresenta três regiões comprometidas com raciocínio, tomada de decisões, emoções e sentimentos:

  • Região Ventromediana: altera a tomada de decisões (razão x emoção);
  • Região Somatossensorial: localizada no hemisfério direito (tomada de decisões com emoções e sentimentos). Sua desregulação é responsável pelos sintomas físicos de taquicardia, sudorese, tremores entre outras;
  • Região Dorso Lateral: a desregulação compromete a tomada de decisões (emoções e sentimentos). Aqui há prejuízo na cognição, seja para fala ou números.

A comunidade científica já inclui o Mindfulness como apoio no tratamento multidisciplinar para o TDA/TDAH e considera os seus efeitos positivos, assim como terapia, psicoeducação, psiquiatria e medicações. A mente humana é muito complexa e toda ajuda na nossa evolução, funcionamento e bem-estar é muito bem-vinda.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Fernanda Miguez

Fernanda Miguez

Instrutora Sênior em Mindfulness pela Mindfulness Trainning International (MTI) e Mindfulness-Based Stress Reduction for Teens (MBSR-T), professora em Cultivating Emotional Balance. Idealizadora do projeto Potência Teen, voltado à saúde emocional de adolescentes e jovens adultos. Saiba mais