Mindful Eating reduz chances de desenvolver compulsão alimentar

Ativar os sentidos na hora da alimentação aumenta sensação de saciedade

Mindful Eating reduz chances de desenvolver compulsão alimentar

Comer de forma tão rápida – como estamos acostumados a fazer – é um processo oposto à proposta do Mindful Eating (Comer Consciente). Dar mais atenção ao alimento antes da ingestão eleva os sabores da alimentação, promovendo mais saciedade. Mudando a postura em relação ao alimento, as chances de desenvolver compulsão alimentar diminuem, já que o cérebro passa a responder com a liberação de hormônios de prazer.

Mindful eating na prática

De que forma fazemos essa mudança? Mais do que olhar o alimento, podemos observá-lo, perceber suas cores, formas e texturas. Podemos trazer o quitute próximo das nossas narinas, fechar os olhos e absorver o aroma que ele propaga. Se o alimento for palpável, que tal explorar o tato e detectar sua maciez ou aspereza? Talvez até escutar os ruídos que este processo é capaz de gerar.

Como tratar a compulsão alimentar com a ativação sensorial

Nas minhas experiências clínicas com pacientes, ressalto para eles a relevância da ativação sensorial. É o momento em que devemos começar a nos relacionar com o alimento que está a nossa frente, independentemente do que seja (um lanche, refeição, bebida). Durante a ativação – momento antes de ingerir o alimento – nossos sentidos se tornam mais conscientes, proporcionando uma alimentação mais prazerosa e de mais saciedade.

A ativação sensorial consiste em despertar o espectro sensorial para aguçar o paladar e gerar mais saciedade. Se você conectar de forma mais profunda a visão, o olfato, a audição e o tato, eles, somados, proporcionam uma refeição mais saborosa. Quando evidenciamos os sentidos, enviamos informações ao cérebro, que libera mediadores químicos de hedonismo (felicidade) e prazer no corpo. Juntos, esses processos minimizam possíveis episódios de transtornos compulsivos alimentares e de fome psicológica (comer sem necessidade fisiológica).

Confira no vídeo a seguir como trazer seus sentidos para o momento da refeição. Acompanhe o passo a passo da ativação sensorial:

Por que comemos rápido demais?

Ao tentar responder a pergunta acima, nos deparamos com uma questão histórica de sobrevivência. Na Antiguidade, o homem comia o alimento de forma veloz, pois possuía receio de que outros povoados pudessem roubar sua comida!

Analisando o contexto histórico até os dias atuais, entretanto, podemos concluir que o perigo de roubar a comida é praticamente inexistente na atualidade. Hoje, são outros os fatores que geram essa pressa para comer, inerente à espécie humana, como por exemplo: o estresse, a fome em si e a nossa própria programação mental, que passa a informação de que devemos comer rápido para sobrar mais tempo para a atividade seguinte.

Assim, ao tentar “puxar o freio” para termos uma refeição mais plena e prazerosa, temos os princípios do Mindful Eating (Comer Consciente), também conhecido como a Atenção Plena na Alimentação. A técnica se embasa a partir dos preceitos do Mindfulness, direcionando-os especificamente para a alimentação.

 

Marcelo Anselmo

Marcelo Anselmo

Fisioterapeuta e Professor de Educação Física; Mestre em Educação; MBA em Marketing; Especialista em Gerontologia; Certificado em Gerenciamento de Estresse; Especialista em Mindfulness e Mindful Eating. Contato: marcelo@plenitudebemestar.com.br