Rodrigo Siqueira

Meditação para insônia: como usar mindfulness para dormir melhor

Pesquisas mostram que a prática de meditação Mindfulness atua no sistema nervoso simpático, proporcionando redução dos sintomas de depressão, ansiedade e da insônia

Meditação para insônia: como usar mindfulness para dormir melhor

Eu já tive problemas para dormir e, eventualmente, essa dificuldade se apresenta. E você? Os piores dias já se foram (que bom!) e o Mindfulness me ajudou muito.

Antes de comentar como ele pode te ajudar a combater a insônia, é importante que você saiba que não está sozinha ou sozinho.

Segundo a Associação Brasileira do Sono (ABS), 73 milhões de brasileiros sofrem de insônia. Isso equivale a aproximadamente 4 em cada 10 brasileiros.

A insônia pode ser caracterizada tanto pela dificuldade em pegar no sono – chamada insônia inicial – como voltar a dormir após acordar na madrugada.

Claro, existem quadros mistos em que tanto demoramos para dormir assim como acordamos uma ou mais vezes à noite e não voltamos a dormir.

Os tratamentos para insônia não farmacológicos (ou seja, sem uso de remédios), em geral, abordam 2 dimensões:

  1. Higiene do sono, que inclui a mudança ou a organização de hábitos e atividades que visam a melhor indução e qualidade do sono;
  2. Psicoterapia, incluindo técnicas de relaxamento. Aí que entra o Mindfulness.

O que é mindfulness?

Trata-se da habilidade de se direcionar a atenção para o momento presente, com aceitação e não julgamento.

É estar consciente do que se passa, mas observar a experiência presente com uma atitude de aceitação.

Mindfulness para combater a insônia

Vou te dar um exemplo. Sabe quando nos deitamos para dormir e logo vários pensamentos começam a surgir em nossa mente, dificultando nosso sono? Aposto que você sabe como é…

Tentamos parar os pensamentos, afinal, eles nos impedem de pegar no sono. Mas o que realmente acontece? Você sabe, raramente isso funciona. Parece que tentar parar os pensamentos ou esvaziar a mente tem um efeito contrário.

Mindfulness seria observar os pensamentos com uma atitude de não julgamento.

É ver o que acontece quando você apenas deixa seus pensamentos seguirem seu curso. Em vez de tentar bloquear ou reverter o fluxo de um rio, apenas ficamos na margem do rio observando o fluxo das águas.

Aqui, não queremos mudar ou bloquear pensamentos, mas, sim, mudamos como nos relacionamos com eles.

Inclusive, já sugeri três formas de se desenvolver a habilidade de Mindfulness.

E a meditação?

A meditação do tipo Mindfulness é uma forma de treinar essa forma de prestar atenção ao momento presente.

De fato, pesquisas mostraram que a prática de meditação Mindfulness atua no sistema nervoso simpático, proporcionando redução dos sintomas de depressão e ansiedade e ajudando na questão da insônia.

Durante a prática, treinamos nossa habilidade de prestar atenção ao momento presente de forma menos julgadora.

Podemos, por exemplo, focar nas sensações físicas da respiração, nos pensamentos, nas emoções e em outras sensações físicas que surgirão.

Não vamos tentar impedir que isso ocorra. Vamos apenas observar o que estiver surgindo e, em seguida, voltamos a nossa atenção à respiração. De forma natural, os pensamentos, as emoções e as sensações vão partir.

“Mas eles voltam!”, você pode pensar. Sim, e, mais uma vez, não lutaremos contra.

Veja o que acontece quando você abre mão do desejo de bloquear seus pensamentos. Toda vez que os pensamentos voltam, é outra oportunidade de praticar o desapego e de retornar à sua respiração.

Vamos tentar?

Lembre-se: a qualidade do sono é fundamental para nossa saúde. Caso os sintomas sejam severos, não exite em buscar orientação médica e/ou terapêutica.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Rodrigo Siqueira

Rodrigo Siqueira

Coach com metodologia baseada em Mindfulness e Psicologia Positiva. Head de Educação e Treinamento da SatiEducation.com e professor na área de Liderança e Desenvolvimento Pessoal e Profissional. Saiba mais