Ana Paula Malagueta

Mantras: conheça esse caminho de transformação

Prática ajuda a superar desafios diários

Mantras: conheça esse caminho de transformação

Mantras são energias em forma de som que mergulham nas profundezas da consciência onde causam uma mudança, trazendo tudo à superfície. Ou seja, a prática do mantra é uma forma de limpar e reorganizar a psique no nível causal.

A palavra mantra é composta de duas sílabas: man, que significa contemplação e tra, que significa liberação. Portanto, mantra significa literalmente contemplação sobre aquilo que conduz à libertação.

Para que possamos penetrar nas profundezas da consciência, onde o karana sharira (corpo causal), os samskaras (conjuntos de tendências subconscientes, de caráter inato e hereditário que geram todas as nossas ações condicionadas ou reações) e os karmas (ações) estão guardados, precisamos elevar a frequência do mantra, até tornar a repetição constante e regular.

O corpo causal está em sintonia com os sons transcendentais de frequências incríveis, onde estão os estoques da shakti. Mas, o que é a shakti? É o poder de manifestação inerente à consciência suprema.

Não há lugar algum onde shakti não resida. Ela é pura, energia vibrante no cerne de todos os seres e objetos manifestados e não-manifestados da criação. Shakti está em tudo que é visto e não visto, do pequeno ao maior.

Há um imenso poder dentro de nós que contêm todas as nossas capacidades, potencialidades e latências inerentes, com um poder de transformação e uma característica peculiar inerente das nossas próprias forças.

Apesar de estar relacionada com o feminino, não está relacionada com gênero, mas sim com a força e poder da energia feminina dentro de cada um de nós: homens e mulheres.

Ou seja, a shakti é, na verdade, matrika ou indestrutível como o som transcendental, assim como é shivatmika ou indestrutível como a consciência transcendental.

Há duas energias ou shaktis presente nos mantras: vakya shakti ou energia gerada pela repetição dos mantras e vachakra shakti, a energia correspondente gerada dentro do praticante.

Onde quer que haja atividade, haverá algum tipo de vibração. Onde houver vibração, haverá igualmente a presença do som. A criação é também um tipo de atividade, e a vibração que emanou do redemoinho primordial e o som assim gerado é o auspicioso pranava, na forma da sílaba Om.” – Mantra Yoga Samhita, III

Mantra é um instrumento do pensamento

O som possui quatro frequências: para (cósmica), pashyanti (mental), madhyama (sutil/ sussurro) e vaikharu (densa/ audível/ falada). Para conseguir a liberação da energia precisamos alcançar a frequência mental e cósmica.

Na etapa de pashyanti (mental), a vibração da energia sonora torna a repetição do mantra espontânea e a consciência começa a assumir a forma do mantra.

Mantra significa então: instrumento do pensamento. Servem para limpar a mente e desfazer condicionamentos e padrões mentais.

Os mantras trazem estabilidade do pensamento e expansão da consciência, exatamente porque injetam uma nova força e vibração, deletando aos poucos as antigas tendências destrutivas e negativas.

Repetir um mantra ou um som específico é criar um espaço dentro de nós e da nossa mente, aumentando o silêncio interior e transformar nossa energia sutil e vibracional. Uma reestruturação ou reforma dos conteúdos subconscientes e inconscientes.

Os mantras são compostos sonoros que produzem uma determinada vibração ultrassônica em nosso organismo. Um som com um determinado comprimento de onda que conduz quem o produz a um estado alterado/modificado de consciência.

O mantra, assim como tudo neste universo, é energia, um corpo sonoro que vibra, repleto de energia, irradiando uma determinada vibração através do som e manifestando em nós, uma determinada força e forma mental.

A repetição, constante e intermitente, estabelece um novo paradigma, um novo padrão mental, positivo, no qual podemos nos transformar e renovar, se assim quisermos.
É uma oportunidade de deixar o velho ir e nos recriar através da mágica do som.

Mantras: como praticar

Entoar um mantra é fazer vibrar em nós um aspecto do universo. Tornar-nos sagrados, como a própria língua sânscrita. Nos tornamos o mantra ou melhor: a força que ele vibra.

Para que o mantra alcance seu objetivo mais supremo e sagrado é preciso repeti-lo com consciência e inteireza. É preciso estar presente e realmente ter a intenção de permitir que o mantra integre, transforme e purifique todo o nosso Ser.

Porque quando entoamos ou mentalizamos um mantra estamos evocando e assimilando a força que ele representa e simboliza. Estamos trazendo para dentro de nós, aquele aspecto específico da natureza universal.

O mantra mais conhecido e importante de todos é o mantra Om. Se você quiser, pode começar e terminar todas as suas práticas com três repetições deste mantra, que induz a identificação com a nossa essência divina.

Om é a síntese e onde o “todo” está contido. Uma partícula que aponta para a lembrança de quem somos. Meditar sobre o Om ou recitá-lo é invocar a força do Ser Supremo na Terra.

É uma forma de apontar para nossa essência e fazê-la vibrar. Reavivar a lembrança constante de onde viemos e ao mesmo tempo, lembrar o caminho de volta para casa. Om funde a nossa alma com a Alma Superior. Om nos torna Uno.

Outro mantra simples e que sintetiza uma qualidade ou poder, assim como o mantra Om, é o mantra Ma, que literalmente quer dizer, mãe. Através dele, nós nos conectamos com a energia do feminino em sua totalidade.

Uma prática simples é coordenar esses dois mantras com a sua respiração: inspirando Om e expirando Ma. Ou inspirando Ma e expirando Om. Assim, faz-se uma prática de respiração, meditação e mantras tudo junto. Experimente! Procure fazer por pelo menos cinco minutos durante dias seguidos ou até mesmo várias vezes ao dia, se for necessário.

Este é só o começo. Vamos aos poucos aprendendo mais e mais mantras para questões específicas. Eles nos ajudam nos desafios diários e também contribuem para nossas práticas espirituais.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Ana Paula Malagueta

Ana Paula Malagueta

Utiliza diferentes formas, ferramentas e caminhos como o Yoga, Astrologia, Tarot, Danças Circulares, BodyTalk e movimentos em grupos de mulheres para acessar, desenvolver, resgatar e integrar as energias dos Sagrados Feminino e Masculino em nossas vidas. Saiba mais