Logo Personare vertical
Pesquisar
Loading...
Mãe narcisista: o que é e como lidar segundo a Constelação Familiar

Mãe narcisista: o que é e como lidar segundo a Constelação Familiar

Aprenda a identificar o que é uma mãe narcisista e como a Constelação Familiar pode ajudar a superar as feridas emocionais causadas por esta relação

Lidar com uma mãe difícil é um problema enfrentado por muitas pessoas. No entanto, lidar com uma mãe narcisista, que tenha traços ou, pior, o Transtorno de Personalidade Narcisista, gera traumas que poucos conseguem superar sozinhos.

É necessário apoio profissional porque isso traz sequelas importantes que afetam praticamente todas as áreas da vida. Neste artigo, eu explico quais são os comportamentos de uma mãe narcisista, suas causas sistêmicas, os efeitos disso para os filhos, e os caminhos para superação, segundo a filosofia da Constelação Familiar.

Mãe narcisista: o que é

O termo narcisismo foi usado por muito tempo para se referir àquelas pessoas vaidosas e egoístas. Mas só de uns anos para cá que vem sendo difundido no Brasil o que de fato é o narcisismo enquanto Transtorno de Personalidade. Quem possui tal padrão de personalidade manifesta uma série de características rígidas de comportamento, mas as principais, com base no DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), são:

  1. Grandiosidade: se consideram melhores, especiais e dignas de privilégio. São extremamente críticas e desqualificam os outros para se sentirem superiores. Não admitem seus erros ou fragilidades e não pedem desculpas;⠀
  2. Falta de empatia: não consideram as necessidades e dores do outro e, portanto, não se importam em machucar as pessoas. São péssimas ouvintes e têm muita dificuldade em criar vínculos afetivos profundos;
  3. Manipulação: fazem de tudo para conseguir o que querem e estar no controle das relações: se fazem de vítima, mentem, distorcem fatos, culpam o outro por tudo que dá errado;
  4. Intolerância à crítica: podem ter explosões de raiva quando são contrariadas, criticadas ou rejeitadas;
  5. Eu personagem: se comportam de forma abusiva dentro de casa e fora de casa podem ser muito sociáveis e generosas;
  6. Ciúmes e inveja agudos: invejam o sucesso, a felicidade ou qualquer outra coisa que elas não têm.

Os filhos de mãe narcisista

Filhos de lares disfuncionais como este crescem com um forte sentimento de desamparo aprendido, inadequação, culpa e baixa autoestima, pois são constantemente criticados, invalidados, agredidos física, emocional e psicologicamente.

As filhas mulheres costumam sofrer mais, pois são tratadas como bode expiatório, culpabilizadas pelas emoções desagradáveis da mãe e por tudo que dá errado na casa. Também são alvo da inveja e da competição desta mãe.

mãe narcisista

Já os filhos homens frequentemente são tratados como filhos dourados, com predileção explícita. Neste contexto, eles são usados como troféus, para serem exibidos aos outros e validar esta mãe como uma boa mãe para a sociedade. Ele tampouco tem autonomia, pois a mãe o trata como uma extensão de si mesma, projetando todas as suas próprias qualidades e suposta magnificência.

Mãe narcisista: como lidar, segundo a Constelação Familiar?

Em primeiro lugar, é necessário buscar uma distância que seja saudável para você. Alguns especialistas defendem o contato zero, quando existe um afastamento físico e definitivo, sem nenhuma espécie de comunicação.

Outros falam em afastamento físico com poucos momentos de contato — em datas comemorativas e reuniões familiares. O que eu recomendo é que cada um encontre em seu interior, por meio dos sinais do seu próprio corpo, qual é a distância saudável para si. Uma boa dica é definir uma distância que permita que você consiga enviar uma energia amorosa em direção à sua mãe.

Para aqueles que moram junto com a mãe narcisista ou por qualquer razão não podem se afastar fisicamente, o mais recomendável é estabelecer um distanciamento psicológico — conhecido como método da pedra cinza.

Ele consiste em manter uma postura reservada, evitando compartilhar seus pontos de vista, planos, sonhos, evitando qualquer tipo de reação às provocações e discussões desnecessárias. Estas só levarão à perda de energia (narcisistas se alimentam de conflitos, é assim que obtém a sua atenção). Durante o convívio em casa, evite o tratamento de silêncio, que também é uma forma de agressão, e busque sempre uma relação respeitosa e cordial.

Como superar as mães narcisistas?

O primeiro passo em direção à solução é dizer “sim” a essa mãe tal como ela é. Isso não significa concordar com o seu comportamento abusivo e, sim, reconhecer que ela possui um transtorno de personalidade (rígida e imutável), admitindo que ela só pode ser assim e não tem como ser diferente.

Ver essa mãe como uma mulher comum, como ser humano imperfeito, vai te ajudar a abrir mão das suas expectativas de que ela seja diferente do que é. Também vai evitar que você continue voltando para esta relação com a expectativa irreal de receber amor, afeto e respeito. Assim, entendendo que ela é espinho, você sabe que a natureza do espinho é ferir.

Contexto familiar

O segundo passo é buscar o contexto familiar, ou seja, entender a história de vida da sua mãe e, principalmente, como foi seu relacionamento com seus pais na primeira infância, quando provavelmente se originou o Transtorno de Personalidade Narcisista, que tem um forte componente ambiental. Sem isso, é muito difícil conseguir ressignificar sua relação com ela.

O que eu vejo nos meus atendimentos de Constelação Familiar é que a causa dos transtornos e doenças mentais geralmente está na exclusão de homens em várias gerações do sistema familiar. Outras possíveis causas são abuso, negligência e vínculo interrompido de forma precoce na infância com um dos progenitores — um trauma severo que geralmente se repete geração após geração.

Honrar e respeitar a mãe narcisista

O último, mais importante (e também o mais difícil) passo é tomar essa mãe como certa para você e incluí-la no coração. É nessa parte que as vítimas de mães narcisistas costumam se revoltar e rejeitar a Constelação Familiar. “Como vou honrar e amar quem me causou tanto dano?”

E aqui eu faço uma importante ressalva: tomar a mãe (honrá-la e respeitá-la) só é possível depois de ter processado toda a dor e sofrimento acumulados ao longo de anos dessa relação. É preciso primeiro fortalecer o Eu Adulto para então acolher essa criança ou adolescente internos feridos. É nosso Eu Adulto que consegue tomar a mãe, não nossas partes feridas.

Incluir a mãe no coração

E por que é tão importante tomar a mãe narcisista como certa, segundo a Constelação Familiar? Incluindo a mãe no coração e na consciência, você evitará criar uma perigosa exclusão no seu sistema familiar, que só iria perpetuar esse sofrimento através da repetição de padrões na família, pois um descendente inevitavelmente irá imitar o comportamento da pessoa excluída, até que alguém do sistema decida olhar isso com amor.

Ao final desse processo, você saberá que superou essa história quando finalmente conseguir agradecer a existência dela e a sua, que só foi possível através dessa mulher, ser humano imperfeito. Reconhecer que você é fruto dessa árvore também será libertador, pois aí você perceberá que também carrega muitos traços narcisistas. Reconhecendo este fato, você também se perceberá imperfeito e passará a vê-la com mais humanidade e respeito, não com olhar julgador de quem é superior a ela.

Depois de ter entendido o contexto, ressignificado, aceitado a tudo como foi e a todos como são, é preciso seguir em frente, conectando-se com a vida que sempre nos leva à expansão. A melhor forma de honrar e respeitar sua mãe, no fim das contas, é fazendo algo de bom com a vida que ela lhe deu.

Saiba mais sobre a Constelação Familiar

A Constelação Familiar é a ciência das relações humanas. Classificada como terapia complementar pelo SUS, ela trabalha com a representação espacial dessas relações, o que permite identificar, de forma breve e vivencial, as dinâmicas ocultas que atuam por trás das desordens e conflitos que experimentamos nos âmbitos familiar, empresarial, dos relacionamentos afetivos, profissional e da saúde.

Nos ajuda a encontrar uma nova maneira de olhar e lidar com as questões que nos incomodam e por ser capaz de transformar efetivamente nossas relações, a técnica tem efeitos terapêuticos profundos para todos os membros de um sistema, seja ele familiar ou organizacional.

A Constelação pode ajudar a encontrar soluções:

  • Quando há conflitos nos relacionamentos

  • Quando há traumas e golpes de destino na vida pessoal e na família

  • Quando pais que se separam querem encontrar o lugar certo para os seus filhos

  • Quando acontecimentos históricos colocaram um peso sobre a família

  • No caso de doenças frequentes (físicas e mentais)

  • No caso de padrões repetitivos pessoais e transgeracionais

  • Em casos de bullying e baixo rendimento escolar

  • Quando há perda de motivação

  • Em casos de fracassos e bloqueios na vida profissional e financeira

  • Quando há dificuldades para ter ou manter um relacionamento amoroso

  • No caso de relacionamentos abusivos, tóxicos ou disfuncionais

Olá, essa matéria foi útil para você?
Alice Duarte

Alice Duarte

É certificada em Constelação Sistêmica Familiar e Organizacional, graduada em Jornalismo e pós-graduada em Comunicação Audiovisual. Vive em Curitiba e trabalha com grupos terapêuticos, workshops e atendimentos individuais (presenciais e online). Saiba mais