Regina Restelli
Por Regina RestelliLeia em 3 min.27/04/2017 

Depoimento: larguei a carreira de atriz para viver meu propósito

Regina Restelli é terapeuta e inspira pessoas a expressarem seus talentos no mundo

Você está satisfeito com sua vida? Sente-se animado quando acorda para ir trabalhar ou fazer suas atividades? Se está questionando qual é o seu lugar no mundo, seja bem-vindo! Neste momento, parece que a maioria das pessoas resolveu pensar sobre qual é o seu propósito nesta vida. Por que não estou feliz com o que faço e como poderei mudar isso?

A crise que se instalou no Brasil, em parte, é o reflexo de nossas insatisfações diante do dia a dia. Por esta razão, quem ainda não se questionou: “o que eu estou fazendo aqui?”, é possível que venha a fazê-lo.

Hoje quero compartilhar com você uma experiência de vida que entendo ser um exemplo desta busca do nosso propósito. Vou contar um pouco da minha história, para você entender o que estou querendo lhe fazer compreender.

De alguma forma, já nasci com o “chip” que me leva a buscar ser feliz nos serviços que realizo. Tenho que admitir que, por um lado, isso é um facilitador enorme, mas se olharmos para o trabalho que dá responder esta pequena pergunta? Ui! E é disso que vou falar aqui. Quem sabe inspiro você?!

Nasce uma bailarina

Regina Restelli como bailarina do Teatro Municipal de São Paulo (Imagem: acervo pessoal)

Aos sete anos de idade tive a sorte de ser matriculada pela minha mãe em uma escola de balé em São Paulo: D. Kitty Bodenheim. A dona, esta senhora pequenina, silenciosa e firme, salvou minha vida. Ela me ensinou, além de inúmeras outras coisas, que eu poderia ser realmente feliz realizando alguma tarefa.

eu poderia ser realmente feliz realizando alguma tarefa.

Desde a primeira aula que me designei a fazer, pois era muito tímida, pareceu que ela estava ali para me relembrar o que eu já sabia fazer: dançar.

Em meu primeiro espetáculo constatei que era adorável estar no palco dançando, e esta coisa eu decididamente sabia fazer. Era uma segurança, uma falta de ansiedade, um domínio… Era o momento que me proporcionava entrar em contato comigo da forma mais profunda, como jamais havia sonhado. Claro que eu, na época, só tinha a clareza que gostava mesmo daquilo, pois ainda era muito menina. Mas com os anos fui intuitivamente usando aquela atividade tão prazerosa de forma terapêutica. E a partir daí virei bailarina profissional no mesmo Teatro Municipal em que havia realizado minha primeira estreia, aos 7 anos.

Bom, após cinco anos de coreografias maravilhosas, de viagens e muito divertimento, dançando no mínimo 8 horas por dia, veio pela primeira vez a pergunta: “O que eu estou fazendo aqui?”. Tenho que deixar claro que neste momento o Balé da Cidade de São Paulo havia mudado completamente seu rumo, com a nova direção que o prefeito recém-empossado havia determinado. Eu não sentia mais aquele prazer. Onde ele estava? Aí fiquei durante quase um ano com questionamentos intermináveis. Até para a faculdade eu voltei. Lembro-me bem de meu foco na época: eu tinha que achar um novo caminho para ser feliz. Isso era prioridade!

Bailarina sai de cena e dá lugar à atriz

Regina em 3 momentos: no musical Chorus Line, como Madonna brasileira e na peça Cole Porter (Imagens: acervo pessoal)

Desta forma, virei atriz de musical na peça “Chorus Line”. Ah, agora sim eu estava completa. Eu podia dançar, falar e cantar. A satisfação voltou em minha vida na estreia. Vou pontuar aqui que meu primeiro dia como atriz tinha tudo para ser horrível, mas não foi. Ele surgiu de uma necessidade repentina, num susto, pois eu ainda estava me preparando e aprendendo o papel. Por razões indefinidas até hoje, tive que substituir uma atriz no papel principal de manhã, para atuar em seu lugar à noite. Sem nunca ter ensaiado com todo o elenco. Sabe aquele pesadelo que você tem que fazer uma coisa para a qual não está preparado? Foi mais ou menos isso. Todos estavam em pânico, mas eu sabia o caminho para superar este desafio, e ele estava dentro de mim. Só tinha que me concentrar, focar e me divertir. E assim foi feito. Adorei!

Segui carreira até na televisão. Meus anos se passavam assim: uma peça musicada e uma novela, mais uma peça e mais uma novela – uma maravilha! Mas é claro que tive que encarar a perguntinha mais uma vez. E desta vez foi em cena mesmo. Deguste novas experiências e vá se organizando para mudar hábitos e atividades.

Deguste novas experiências e vá se organizando para mudar hábitos e atividades.

Na minha trajetória de ampliar o meu serviço ao ser humano tive que contar com toda a ajuda possível. Durante esses momentos críticos, li muitos livros que me ajudaram como “mestres inspiradores” nesta caminhada rumo à verdade de minhas necessidades de expressão. Mas o livro “Um novo mundo”, de Eckhart Tolle (Ed. Sextante / Gmt), me trouxe este momento de pura poesia que quero compartilhar com você: “Existe uma expressão que revela o segredo da arte de viver, a chave de todo o sucesso e de toda a felicidade: nossa unificação com a vida. Quando formamos um todo com ela, formamos um todo com o Agora. Nesse instante, compreendemos que não somos nós que vivemos a vida, é ela que nos vive. A vida é a dançarina, e nós a dança”. E eu digo que este prazer é inimaginável, você deve vivê-lo para saber.

Espero que tenha ao menos começado seus questionamentos e que meu relato de vida sirva para inspirar você a buscar suas realizações merecidas. Comece sua caminhada escolhendo ser feliz em ao menos uma coisa de cada vez no dia a dia, e depois vá ampliando para tantas outras áreas. Persiga seu propósito até ele perseguir você.

Quanto a mim, espero sinceramente não ter mais que encarar a perguntinha, mas mesmo assim não me iludo. Afinal, a vida é movimento e estarei amadurecendo para sempre e, quem sabe, mudando tudo mais uma vez. Só sei que, no momento, quanto mais realizo meu propósito, mais alegre acordo pela manhã todos os dias.

Não desista de realizar o desejo de seu coração! Não desista de você !

Para continuar refletindo sobre o tema

Caso você queira ler mais livros sobre propósito de vida, indico três que são mais atuais e gosto muito:

  1. “Propósito”, de Sri Prem Baba (Ed. Sextante / Gmt)
  2. “Escolha sua vida”, de Paula Abreu (Ed. Sextante)
  3. “O Poder do Agora”, de Eckhart Tolle (Ed. Sextante)

Estes livros foram escritos para serem vivenciados. Não perca esta oportunidade ao lê-los.

Regina Restelli

Regina Restelli

Criadora da Terapia dos Chakras, que promove autoconhecimento e expansão da consciência amorosa. Faz atendimentos online no Personare. Suas consultas limpam as crenças no campo energético, trazendo bem-estar e energia para autotransformação.