Pesquisar
Loading...

Quem precisa fazer psicoterapia?

Psicólogo é coisa de louco? Não é bem assim! Vem entender para que serve a psicoterapia e quem pode se beneficiar dela

Quem precisa fazer psicoterapia? “Eu não sou louco pra fazer psicoterapia”. Algumas pessoas reagem assim quando recebem a sugestão de que um processo de psicoterapia poderia ajudá-las a enfrentar alguma questão.

Do outro lado desta conversa, estão familiares e amigos assistindo uma pessoa querida em sofrimento emocional, e se perguntando o que fazer para ajudar.

Na intenção de facilitar a vida desses personagens (quem está em sofrimento e quem está querendo ajudar) é que este artigo foi escrito. Vamos esclarecer para que serve a psicoterapia, quem precisa fazer psicoterapia e qual a relação dela com as doenças mentais e com a loucura.

Para que serve a psicoterapia?

Resumindo de uma forma simples e precisa: psicoterapia é um tratamento para quem está em sofrimento emocional. Veja alguns exemplos:

  • Se você se sente perdido e cheio de dúvidas, a psicoterapia tem ferramentas de autoconhecimento que te ajudarão a esclarecer quais são seus valores e escolher qual caminho seguir.
  • Se você se sente sozinho ou tem dificuldades em relacionamentos, a psicoterapia te ensina habilidades interpessoais que melhoram a qualidade dos relacionamentos, estimulam o desenvolvimento de relações onde há intimidade, e ajudam a desempenhar melhor em trabalhos que exigem cooperação em equipe.

  • Se você sente muito medo ou ansiedade, a psicoterapia oferece estratégias de manejo emocional e de resolução dos problemas geradores de preocupação.
  • Se você está muito triste ou se uma morte ou uma perda te trouxe sofrimento, a psicoterapia esclarece como lidar com essas emoções e como reconstruir sua vida após uma grande perda.
  • Se você sente muita raiva ou sofre lidando com mudanças, enfim, em todos esses casos, a psicoterapia pode e vai ajudar a lidar com situações e emoções que estão causando sofrimento.

Para onde vai a raiva quando é silenciada? Conheça aqui as marcas físicas, mentais e emocionais que ela pode deixar.

Psicoterapia mesmo que eu não esteja louco?

Sim, mesmo assim! A “fama” da psicoterapia como tratamento para doenças mentais é baseada no fato de que essas doenças causam sofrimento emocional intenso e, por esse motivo, a psicoterapia produz um enorme ganho de qualidade de vida para esses pacientes.

Quem enfrenta doenças mentais, como transtornos de ansiedade, depressão, transtorno bipolar e esquizofrenia, ou mesmo quem só tem uma suspeita ainda não diagnosticada, pode se beneficiar muito da psicoterapia.

Entenda aqui como psicoterapia e/ou remédios podem ajudar em casos de depressão.

Quando devo procurar um psicoterapeuta?

Não há ninguém que nunca tenha experimentado sofrimento emocional. Se isso é algo tão comum, como saber quem precisa e quem não precisa de psicoterapia?

É uma pergunta complexa, mas para ela também tem uma resposta simples: quando o sofrimento emocional está tão intenso que começou a prejudicar outras áreas da vida, causando ainda mais sofrimento, é hora de procurar a psicoterapia.

  • Imagine uma pessoa que fica tão ansiosa por conta de problemas no trabalho, que não consegue dormir. Por não ter dormido, fica irritadiça e com isso começa a brigar com o marido. Por ter brigado com o marido, fica triste e come mais doces do que deveria… essa pessoa está presa num ciclo onde cada sofrimento cria mais sofrimento.
  • É a mesma coisa que acontece com a pessoa tímida que não consegue se colocar numa reunião e perde oportunidades de crescimento profissional.
  • Ou com a pessoa que tem dificuldade no manejo de emoções como a raiva, e acaba criando novos problemas em cima dos antigos.

Para todos esses tipos de pessoas, a psicoterapia é o caminho para desfazer esse ciclo vicioso em que o sofrimento produz mais sofrimento.

O entendimento das nossas emoções é fonte de satisfação pessoal e profissional, bons relacionamentos e boa qualidade de vida, e a psicoterapia é o caminho para chegar lá.

Tatiana Perecin

Tatiana Perecin

Psicóloga pela UFSCar, especialista em Psicologia Clínica / Análise do Comportamento. Trabalha com terapias contextuais, que são referência na intervenção psicológica baseada em evidências científicas de eficácia. Tem mais de 10 anos de atuação em consultório, atendendo adultos em casais em sofrimento emocional, e também casos severos.

Saiba mais sobre mim