Pesquisar
Loading...

Afinal, quantos chakras existem? Conheça a função de cada um no corpo

Saiba tudo sobre quantos chakras existem, como identificar que não estão bem e técnicas para cuidar do funcionamento de cada um deles

Calma: o que você sabia sobre os centros energéticos do corpo não mudou! A resposta para a pergunta quantos chakras existem é: sim, existem, originalmente, sete chakras. No entanto, é importante que você saiba que há alguns estudos e vivências também consideram outros pontos do corpo como chakras secundários.

Nas medicinas energéticas, nos baseamos, por exemplo, nas raízes da ayurveda tradicional chinesa, que ensinam a descrição dos chakras (ou centros de energia) que perpassam nosso corpo. É um dos olhares que nos guiam na anatomia energética.

Com o apoio de novos estudos e vivências, além do surgimento de outras técnicas, desenvolvemos novos olhares. Sabia, por exemplo, que todos os pontos da acupuntura podem ser considerados pontos energéticos? São os chamados chakras secundários, que trazem outra perspectiva. Quer entender como eles funcionam? Acompanhe a seguir:

De onde “surgiram” os chakras secundários?

Quando se fala do Pranic Healing (conheça aqui mais a fundo essa técnica) – sistema de origem tibetana que pode ajudar a curar sintomas físicos através de limpeza energética -, o Mestre Choa Kok Sui estabelece a presença de 11 chakras, e não apenas os sete principais.

É fato que esse olhar da técnica não substitui os centros energéticos tradicionais. Trata-se, na verdade, da inclusão de novos chakras, além de conhecimento sobre sua categorização e funções.

Não custa lembrar: quando esses centros energéticos estão em desarmonia, podem nos levar a doenças físicas, psicológicas, emocionais e espirituais. Por meio destes 11 chakras, é possível buscar a cura com o prana.

Como nosso bem-estar passa pelos por todos os chakras que existem

Nossa força vital – ou prana – é imperceptível ao olhar. No entanto, há muitas pessoas com uma natureza mais sensível que podem sentir, ver e experimentar a existência de energia.

A partir de treinamento específico pelo Pranic Healing, olhos mais sensíveis conseguem distinguir e visualizar um campo luminoso envolvendo o corpo físico. A energia vital, através dos chakras, é absorvida e circula entre os nossos órgãos. O chakra é um centro energético presente no corpo, que fica girando e absorvendo essa força vital. Cada um é responsável por vários órgãos e glândulas.

De acordo com os ensinamentos da técnica tibetana, a energia vital pode ser aumentada ou suprimida de acordo com a necessidade de atividade no chakra a ser trabalhado. Consequentemente, a função dos órgãos, além das psicológicas, são afetadas.

“Os chakras principais têm funções psicológicas correspondentes. Tratando os chakras, o paciente ficará curado”, ensina o mestre Mestre Choa Kok Sui.

Quantos chakras existem? São 11! Conheça as funções deles:

1. Chakra Base

Localizado na base da coluna, na região do cóccix, é responsável pelo instinto de sobrevivência e preservação. Tem controle sobre o sistema muscular e esquelético, coluna vertebral, produção e qualidade de sangue, glândulas suprarrenais, tecidos e órgãos internos do corpo. Também afeta a taxa de crescimento de células, o coração e órgãos sexuais.

Percebe-se seu mau funcionamento por doenças cardíacas, sanguíneas, cerebrais e sexuais. Também pode ter relação com problemas como artrite, reumatismo, dores na coluna, alergia, baixa vitalidade, cicatrização lenta e fraturas ósseas.

Veja alguns exemplos:

  • Crianças ou pessoas hiperativas podem ter uma superativação deste chakra.
  • Pessoas idosas tendem a notar a coluna mais curvada, sofrer com problemas nos ossos e cansaço cerebral. Elas costumam ter esse centro energético exaurido e não conseguem mais transmutar a energia da coluna para o cérebro.
  • Essa exaustão também aparece em pessoas mais novas. Neste caso, são indivíduos que podem sofrer com depressão pela inatividade ou mau funcionamento deste chakra.
  • Pessoas com insônia, ou que não conseguem realizar seus planos. Como esse é um centro de dinamismo, a diminuição deste chakra impossibilita uma vida mais ativa.

Uma boa forma de olhar para esse ponto energético do seu corpo é aliar reiki e cromoterapia para equilibrar seus chakras.

2. Chakra sexual

Fica na região pubiana, e é responsável pelo instinto de procriação, impulso sexual e criatividade inferior.

Controla o órgão sexual, bexiga e uretra. Pernas, garganta e região da cabeça são substancialmente afetadas por esse chakra. Seu mau funcionamento pode ser notado por problemas urinários, impotência, esterilidade e dilatação da próstata, dentre outras doenças sexuais.

A hiperatividade deste chakra tem como sintoma o grande apetite sexual, além de impulsos sexuais fortes. O contrário pode ser percebido pela impotência ou frigidez.

Esse é o centro criador inferior ou físico. Seu correspondente superior direto é o da garganta, e parte da energia de um é transmutada para o outro. Logo, pessoas com problemas mentais têm esse chakra com atividade diminuída.

3. Chakra do umbigo

É o instinto central do saber. Responsável pelo intestino delgado e grosso, além do apêndice, afeta tanto a velocidade do parto quanto a vitalidade geral.

Seu mau funcionamento pode ser percebido por questões como constipação, baixo peristaltismo, incapacidade de assimilação dos nutrientes, apendicite, doenças intestinais e baixa vitalidade.

Caso esse centro de energia esteja sujo ou sem atividade, certamente vai bloquear a circulação da energia do chakra sexual para os superiores.

4. Chakra Meng Mein

Localizado atrás do umbigo, na coluna vertebral, age como uma bomba da energia do chakra sexual para cima.

Tem controle sobre os rins e glândulas suprarrenais, além de regular a pressão sanguínea. Seu mau funcionamento se evidencia por baixa vitalidade, problemas renais, de pressão sanguínea e nas costas.

Pessoas que demonstram uma força fora do comum quando ficam violentas costumam apresentar superfuncionamento deste chakra. Ele atua diretamente nas glândulas suprarrenais – que produzem hormônios responsáveis por fornecer força temporária.

A súper ou a baixa atividade do chakra Meng Mein pode revelar o aumento ou a diminuição da pressão sanguínea. Está diretamente relacionado com o baço, logo é o centro de energia correspondente.

5. Chakra do baço

Fica entre a costela flutuante e a inferior esquerda. Energizador, desempenha um papel vital na sensação de bem-estar.

É responsável por receber o prana e compartilhar com os outros chakras – ou seja, tem a missão de energizar os demais. Também controla e traz energia ao baço físico por causa da sua função e mantém a viatalidade do corpo. Ainda afeta a qualidade do sangue e o sistema imunológico.

Por outro lado, um mau funcionamento acarreta em doenças no baço, baixa vitalidade, nível baixo de imunidade, artrite e reumatismo.

6. Chakra do Plexo Solar

Localiza-se entre a área vazia das costelas e também na mesma direção nas costas. É considerado o centro das emoções “inferiores”, voltadas para o “eu”, como raiva, ódio, irritação, ressentimento, preocupação, ansiedade, tensão, medo, egoísmo, agressividade etc.

Como você pode imaginar, pessoas violentas – assim como no caso do chakra Meng Mein – têm esse centro energético em desarmonia, porque ambos se relacionam. Mas esse também é o centro da assertividade, então promove coragem, ímpeto e perseverança.

O Plexo Solar é o controlador do diafragma, fígado, pâncreas e estômago. Em certo grau, também atua no intestino grosso e delgado, além das glândulas suprarrenais (aquelas que produzem força humana fora do comum).

Por ter ação no fígado, que é o órgão responsável por desintoxicar o sangue, quando está em pleno funcionamento percebe-se logo uma melhora da qualidade do sangue do indivíduo.

Quando está em pleno funcionamento, esse chakra pode estimular a melhora da qualidade do sangue, já que atua no fígado (órgão responsável por desintoxicá-lo). Quando há desarmonia, o Plexo Solar faz todos esses órgãos trabalharem mal. Pessoas com artrite reumaitóide, doenças autoimunes ou lúpus costumam ter problemas neste centro de energia.

Ajuda da natureza: descubra como as descubra aqui como as plantas podem equilibrar os sete principais chakras

7. Chakra do coração

Fica no centro do peito e também nas costas. Considerando que o chakra do Plexo Solar é o centro das emoções inferiores, esse é responsável pelas emoções superiores. Enquanto o sexto chakra reflete as emoções para o seu “eu”, o sétimo espelha as emoções para os outros, sempre os demais encarando com a mesma importância que dá para si próprio.

Aqui, domina sentimentos como paz, serenidade, alegria, compaixão, bondade, gentileza, suavidade, zelo, consideração, paciência e sensibilidade. Sua ativação pode fazer com que as emoções inferiores sejam transmutadas em superiores.

Este chakra controla o funcionamento dos pulmões, do timo e do coração. Aliás, afeta esse último a tal ponto que melhora a capacidade do organismo de lutar contra infecções. Já do ponto de vista médico, o timo é uma glândula importante para o sistema de defesa do organismo.

8. Chakra da garganta

Como o nome indica, está localizado no centro da garganta. É o centro da mente concreta e da faculdade mental inferior. Está diretamente conectado aos estudos, pintura, capacidade de planejamentos e da criatividade superior em geral.

Tem controle sobre a garganta, laringe, traquéia e tireóide, e ainda afeta o chakra sexual. Se está mal ativado, problemas como esterilidade, doenças relacionadas à garganta, perda de voz e outras questões respiratórias podem surgir.

Em geral, as pessoas criativas têm tanto este chakra quanto o sexual em boa atividade, porque ambos são centros de criação – um físico e o outro superior.

9. Chakra Ajna

Fica entre as sobrancelhas. Caracteriza-se por ser o centro da faculdade mental abstrata, centro dirigente e força de vontade superior. Também está ligado ao chakra do Plexo Solar, sendo o centro de direção e vontade superior.

Em pessoas emocional e psicologicamente desequilibradas, é possível que esse centro de energia esteja em desordem.

Controla a glândula pituitária e o corpo inteiro. É chamado de chakra mestre, já que tem ação fundamental nos principais centros de energia, além do sistema endócrino e dos órgãos vitais.

Os problemas neste chakra podem ser evidenciados por doenças nas glândulas e no sistema endócrino, oculares e câncer, por exemplo.

10. Chakra da testa

Está localizado bem ao centro da testa e controla a glândula pineal e o sistema nervoso. Logo, o mau funcionamento deste centro de energia se estabelece em problemas no sistema nervoso.

É a nossa consciência búdica ou cósmica inferior. Trata-se de um centro de sabedoria, que promove também a intuição e a sabedoria inferior. Sua ativação permite acesso ao mundo espiritual.

11. Chakra da coroa

Fica exatamente ao centro da cabeça, bem ao topo. Controla o cérebro e funciona como a faculdade búdica ou cósmica superior.

É o centro do amor divino e da realização da alma. Também é considerado o ponto de entrada da energia espiritual.

Quando este chakra está em perfeita ativação, é possível perceber pela percepção ou conhecimento direto. Isto significa que estamos falando de uma pessoa com a capacidade de entender e compreender algo sem a necessidade de muito estudo ou explicação. Em alguns casos, é o saber sem a necessidade de estudar de fato.

Doenças e chakras tem alguma relação?

Você talvez já tenha ouvido por aí que cerca de 80% das doenças são psicossomáticas. A razão por trás desse fato é a existência do corpo de energia e dos centros de energia, como vimos acima. Ou seja, as energias podem melhorar e curar uma pessoa com problemas físicos, emocionais ou mentais.

O Pranic Healing e a ativação harmônica dos chakras descritos acima propõem uma melhor qualidade de vida a partir da energia vital que temos à disposição. A técnica tibetana tem sido cada vez mais usada para o tratamento de doenças físicas e ganhado espaço.

Também é importante falar da Psicoterapia Prânica (clique e entenda mais), que ajuda a tratar de questões como dependência de álcool e drogas, depressão, ansiedade etc. Quando tratamos os chakras, influenciamos não apenas os órgãos de alguém, mas também as condições psicológicas individuais do indivíduo.

Conheça o Pranic Healing para cuidar dos chakras

Como vimos, os chakras estão relacionados ao bom funcionamento de vários órgãos e glândulas vitais. Já a ativação excessiva ou insuficiente destes centros de energia leva ao desenvolvimento de várias características e padrões de comportamento.

Mudar o tamanho dos chakras e desintegrar os pensamentos e emoções venenosas de nosso sistema pode afetar a forma como pensamos, sentimos e agimos.

Quando a energia fica diferente, as pessoas mudam: sua atitude perante a vida será diferente, e até o seu grau de sucesso e criatividade pode melhorar. É assim que a cura prânica pode afetar nossa vida e a maneira como lidamos com os desafios diários.

Não custa lembrar: a cura prânica não é apenas para quem está doente. Pessoas saudáveis ​​e bem-sucedidas também encontram inúmeros benefícios na prática. Uma curiosidade é que uma consulta de Pranic Healing pode ser feita online (saiba mais aqui).

Eric Flor

Eric Flor

Eric Flor Francisco é terapeuta integrativo do RJ formado em fisioterapia, acupunturista e mestre em Reiki. Faz atendimentos no Rio de Janeiro com Auriculoterapia, Ventosaterapia, Moxaterapia, Orgoniteterapia, Cristalterapia e PranicHealing para promoção de equilíbrio, vida saudável e bem-estar.

Saiba mais sobre mim