Logo Personare vertical
Pesquisar
Loading...

Ainda é tempo de se invernar em agosto para florescer

Agosto é um mês que convida você a se preparar para um novo ciclo

Ainda é tempo de se invernar em agosto para florescer

Agosto, mês do desgosto. Quem nunca ouviu essa frase? Será que é assim mesmo? O mês de agosto nos causa esse “desgosto”, devido ao inverno e a alguns movimentos internos, que faz surgir questões desafiadoras, e com isso, acabamos culpando esse mês.

Julho se foi, e solidão nos convidou para uma conversa, nos contou o tempo de esperas, disse que o barulho das árvores tinha algo a dizer sobre aceitação. Temos desgosto ao desapegar, ao entrar em contato com nossas tristezas, nossas melancolias.

Foi em agosto que descobri que os cachorros loucos são, na verdade, os uivos que não lançamos ao vento. São nossos estremecimentos particulares que a nossa rigidez de certezas não nos permite encarar. O mês de agosto tem muito a nos ensinar.

Como se preparar em agosto para as próximas estações?

Na medicina chinesa, vemos que existem épocas de transições em que  as plantas, os animais, e, claro, nós, humanos, sentimos. Esse momento tem relação com o inverno, que por sua vez, com o elemento mental, trazendo à tona algumas emoções, como tristeza e apego.

Coloco aqui uma reflexão: após várias questões vivenciadas na pandemia da Covid-19, estamos conseguindo exercer as mudanças, que a estação está pedindo? Agosto é mês jardineiro, um zelador. E é dentro dele, berço do inverno, que as sementes dormem. Aguardam seu tempo de brotar, desabrochar.

Agosto é quando o criador deixa a natureza traduzir visivelmente o tempo das transformações, das transmutações, das modificações. Mude, diz agosto, em seu recado para as sementes. Aceite, diz agosto, com seu jeito frio de vento que levanta poeira e faz avermelhar o céu. Compartilhe, diz agosto. Agasalhos, sopas quentinhas, cafés com chocolate, abraços mais apertados. Eles também aquecem a alma e aninham o corpo. Distribua mais afetos, que inverno é acolhimento, é tempo de acolher para poder desapegar.

O desapegar, o desprender dói, e dói muito. Dói porque você tem que abrir mão, as vezes do que você ama. Assim, pensamos que a dor é mental. Mas, não é dor, é sofrimento. O que nos faz sofrer é o medo alimentado pelo ego, pela crença arraigada da possível perda, de uma posse que não existe, que não é real .

Já não podemos possuir alguém que não é nosso, que nunca foi e nunca será . Os nossos pais, os nossos amigos ou o nosso companheiro não nos pertencem. Os nossos filhos não nos pertencem.

São seres livres e independentes, com o seu próprio caminho a percorrer, tal como nós. E é por essa razão que não devemos subjugar a felicidade do outro. Deve entender que se você não está feliz na solitude, você não será feliz com ninguém .

O apego é o controlador de todos os tempos, aquele que o ancora em um presente ausente. Porém, o desapego mantém você no aqui e agora, é liberar o outro, saber que aconteça o que acontecer, TUDO É PERFEITO.

A “verdadeira felicidade” não está em lugares por onde possamos andar, mas sim, dentro de cada um de nós. Não há felicidade em nosso coração se ainda precisamos do outro para ser feliz, porque ser feliz não está ligado a algo ou a alguém. Só quem vive bem os agostos é merecedor da primavera!

Dicas para invernar pensando na primavera 

Como no inverno estamos em hibernação, mas também precisamos de movimentos internos mais eficientes, aqui vai algumas dicas para se invernar, e já se preparar para primavera:

1- Usar chá de gengibre como reforço

Isso mesmo, o chá de gengibre vai ajudar você a se movimentar internamente, aumentando fluxo energético e sanguíneo, ajudando a expelir energias em desarmonia e equilibrando nosso meio interno e nos meio externo. A orientação e tomar 300 ml de chá durante o seu dia, até às 18h.

2- Uso regular de escalda pés

O uso de escalda pés, além de um maravilhoso momento de relaxamento, também promove equilíbrio na movimentação energética em todos os órgãos, canais energéticos e centros de energia. Indica-se utilizar um balde ou bacia com água morna ( temperaturas entre 25 a 30 graus), 3 colheres de sopa de sal fino ou grosso para cada 3 litros de água. Você pode acrescentar sais ou produtos de escalda pés prontos, com ervas e óleos.

3- Uso de florais

Alguns florais falam sobre desapego e o deixar fluir . Na linha do Bach, o chicory é uma opção. Já os florais da linha shen-zi, o uso do metal e fundamental para o desapego acontecer com “bem-estar”. Use e abuse.

4- Meditações de desapego

Algumas práticas de meditação podem ser um diferencial nesse processo de desapego e ainda preparação para florescer. Outros fatores importantes se dá sobre como está seu ambiente. Uma ótima dica é a prática do Feng Shui para facilitação de fluxo e desapego, neste artigo aqui.

O poder das pedras para ajudar no desapego de agosto

Sabemos que alguns objetos e pedras podem ser usados para facilitar esse processo de desapego, então nossa Simone Kobayashi vai ajudar você com essa dica.

Conectar-se ou, simplesmente, respirar com a ametista, meditar com uma fluorita, praticar com um japamala ou caminhar com um mantra de desapego. O que realmente faz efeito é colocar em prática e a partir da sua intenção.

Ametista: Pode-se chamá-la de “a pedra da alma”, pôr enviar sua mensagem a esse nível da existência. Pela sua forte identificação, com essa força de entendimento maior, ela consola a pessoa que tem que lidar com a transição da morte real ou simbólica, seja a da própria pessoa, situações, seja de entes queridos. Ela modula a frequência mental para estados mais altos do que padrões egocêntricos de pensamento, por isso a ametista é muito utilizada para aliviar tensões e excessos mentais.

Fluorita: A mais indicada para mudar de um ciclo para outro, aceitar mudanças e diferenças, ensina a procurar essas afinidades. Por conter diversas camadas coloridas, relaciona-se bem com mudanças, especialmente as mentais. Contêm também elementos que eliminam as impurezas, o ranço e padrões passados para que a transformação interna seja alcançada.

Pode usá-las juntas ou separadas, em meditação ou simplesmente ficar com elas e respirar, conectando com suas vibrações e simbolismos. Colocar em locais que você olhe e lembrem o que trazem como característica, ou em acessórios para ter perto do corpo por uns dias.

Brutas, roladas ou lapidadas, o que tiver ou achar. As lapidadas remetem a momentos de casulo que formam uma esfera de acolhimento e menos energia.

Perceba seu momento, não foque no que se quer, mas no que se precisa. Respeitar seu Tempo é muito importante. Agosto, em particular, tem uma afinidade enorme com o Tempo e respeito com o silêncio interno.

O mês de agosto não precisa ser mais visto com esse olhar de desgosto. Que tal pensarmos que temos a real oportunidade de mudar de gosto. Vamos deixar a primavera chegar?

É importante se preparar para florir na primavera, saiba como aproveitar esses ciclos. Eric Flor Francisco, Simone Kobaysh e Cris Ventura

Olá, essa matéria foi útil para você?
Eric Flor

Eric Flor

Eric Flor Francisco é terapeuta integrativo do RJ formado em fisioterapia, acupunturista e mestre em Reiki. Atendendo em seu espaço na Tijuca com Auriculoterapia, Ventosaterapia, Moxaterapia, Orgoniteterapia, Cristalterapia e PranicHealing para promoção de equilíbrio, vida saudável e bem-estar. Saiba mais