Equipe Personare
  • Por Equipe Personare
  • Leia em 5 min.
  • 07/02/2020
  • Atualizado em 13/02/2020 às 22:16

Como lidar com a rejeição e superar dificuldades no amor?

Você acredita que o amor machuca? Exercício pode te ajudar a entender o sentimento de rejeição

Como lidar com a rejeição e superar dificuldades no amor?

Aprender a se relacionar com alguém afetivamente é aprender a lidar com a dependência emocional, com a rejeição, a não repetir padrões dos pais ou seus próprios e a superar crises. Então, como lidar com a rejeição e superar dificuldades no amor?

Este artigo, produzido a partir de uma Live do Personare com Mari Mel Ostermann, nossa especialista dos canais Amor e Autoconhecimento, traz algumas dicas sobre como entender o amor que machuca, que doi, que perguntas podemos responder para entendermos o sentimento de rejeição.

Por fim, ensina um exercício, que você pode fazer sozinha (o), em casa, em cerca de meia hora, e que pode te ajudar  a lidar com qualquer tipo de incômodo no relacionamento – inclusive o sentimento de rejeição.

O amor pode machucar?

O que é o amor para você que sente dor de amor? “A palavra amor se tornou um tanto quanto genérica, até mesmo banalizada, mas a verdade é que as pessoas encaram esse sentimento – conscientes ou não – de formas muito variadas. Tem gente que acha que amor é apego, outros que é tesão, paixão, posse, projeção”, explica Mari.

“O amor pode machucar, por exemplo, quando eu me relaciono com alguém e me posiciono na forma de busca de fusão, de projeção de pai ou mãe, de tentativa de salvação do outro, de vitimização de si mesmo ou de outra das sombras que a gente tem quando se apaixona”, conta a terapeuta.

Quer dizer que o amor pode machucar quando algo acontece que traz à tona um comportamento sombrio do outro ou meu. Nesses momentos, é preciso refletir qual parte cabe a si mesmo para que essa dor esteja acontecendo.

“Está em crise? APROVEITA”, recomenda Mari. “Esse é o momento em que a nossa massinha de modelar está mais molinha, mais vulnerável para que possamos conhecer nossos padrões, entender nossas necessidades e decifrar de onde vem a dor, que não vem do outro, vem da gente”.

Quando uma pessoa entra na dor de amor está em contato com as suas reais necessidades não atendidas, com o que gostaria que fosse, com os sonhos que construiu achando que eram sinônimo de felicidade.

“Por isso, é um momento muito lúcido e claro para buscar entender o que a pessoa vem construindo e o que acha que lhe faria feliz, o que, na verdade, às vezes, é uma grande autocobrança que nada tem a ver com o amor e nada tem a ver com felicidade”, afirma.

Não se pode culpar apenas o outro pela dor, pelas dificuldades do relacionamento, apontando a pessoa parceira como o “errado”. Isso porque a outra pessoa também está vivendo um processo de autoconhecimento e amadurecimento e não se sabe tudo que ela carrega de bagagem.

Você está sofrendo de amor? Olhe para si mesmo. Esse é um momento muito, muito rico para aprender sobre você.

Como lidar com a rejeição?

Você conhece o exercício “3,2,1 da Sombra”? Essa atividade pode ajudar a lidar com qualquer tipo de incômodo que você tenha com alguma situação ou pessoa, inclusive a rejeição em um relacionamento. Vamos ao passo a passo:

  1. Reserve entre 20 a 30 minutos para a atividade.
  2. Fique em um local tranquilo.
  3. Separe um caderno e uma caneta ou lápis, caso queira anotar. Você também pode pensar ou falar em voz alta.
  4. Pense na situação que está te fazendo mal. Você vai pensar nisso a partir de “três pessoas”
    Terceira pessoa: fale ou escreva SOBRE a pessoa parceira, descrevendo a situação e apontando o que te incomoda nele, por que e desde quando. Fale da dor, o que a pessoa te faz sentir e sobre como isso te afeta. Fale ou escreva sobre tudo isso como se tivesse conversando para uma terceira pessoa.Segunda pessoa: fale ou escreva COM a pessoa parceira sobre a situação incômoda. Você pode representá-la com um travesseiro, uma cadeira vazia ou qualquer objeto que possa facilitar sua encenação mental. Converse com a pessoa e exponha todas as coisas que te incomodam, o motivo que te faz sentir rejeição. Fale tudo o que você gostaria de falar e não foi  possível por algum motivo. Tente fazer perguntas para a pessoa parceira.

    Primeira pessoa: fale COMO SE VOCÊ FOSSE o seu parceiro (a). Empaticamente, entre na posição mais madura possível do seu ser e se esforce na tentativa de compreender a outra pessoa. Tente enxergar como ele ou ela vê a situação que te desagrada. Aponte as justificativas que você ouviu e analise de que forma a situação impacta na pessoa. Por que ele ou ela estaria te rejeitando (se é que está)? Por fim, tente responder as questões feitas na etapa anterior.

    Feito isso, reflita sobre o processo, principalmente sobre os insights que vieram à tona sobre o que a outra pessoa pode estar sentindo no relacionamento. Esse exercício funciona principalmente por dois motivos: porque você mesmo pode mudar a forma como pensa e age em relação ao outro e, também, como uma “mini Constelação Familiar”, e porque você mexeu no campo oculto e, por isso, vai gerar mudanças.

Bora?

Olá, essa matéria foi útil para você?
Equipe Personare

Equipe Personare

Nós, da equipe Personare, também estamos em um processo constante de conhecimento sobre nós mesmos, sobre o mundo e sobre as relações humanas. Saiba mais