Com raiva? Thich Nhat Hanh aconselha a não ignorá-la

Livro mostra como acolher o sentimento pode evitar que ele aumente

Thich Nhat Hanh é daqueles autores para se ter sempre um livro de cabeceira. Tem uma linguagem poética, simples e fácil, deixando o texto leve e a leitura muito agradável. Adoro e recomendo os livros dele. Aqui vamos falar um pouco sobre o “Aprendendo a lidar com a raiva – sabedoria para a paz interior”. Só com o título já podemos refletir muito, não é mesmo?

Neste livro, o autor traz maneiras de lidarmos com a raiva. Uma emoção que deve ser abraçada, olhada e cuidada. Quando sentimos raiva, existe um sofrimento a ser cuidado e trabalhado da melhor forma para que seja resolvido. Não adianta ignorar, pois pode retornar de outra forma.

Quando não cuidamos, essa semente começa a crescer e permear várias áreas de nossas vidas. Pode ter iniciado com um mal entendido, depois se perder e aumentar de tamanho. Cuide do que está presente para você.

Thich Nhat Hanh: atenção à raiva que consumimos

Thich Nhat Hanh  “consumimos raiva através de outros sentidos”. É importante notar como consumimos a raiva pelos sentidos, como a visão, audição ou paladar. Esses sentidos podem nos alimentar com a raiva, desde os alimentos que podem conter a raiva, dependendo de como o animal foi tratado, como é o cultivo e sua história. E também programas que assistimos na televisão, um filme, uma reportagem que lemos ou conversas que temos ao longo do dia.

Por isso, estar consciente e atento ao que está consumindo é tão importante para reconhecer como aquilo está afetando.

Os pensamentos também podem influenciar muito no consumo e cultivo da raiva, quando ficamos remoendo uma situação ou até na expectativa de algo que poderá ocorrer. A famosa ruminação fica nutrindo a raiva, fazendo-a crescer dentro de nós.

Mindfulness para ter clareza sobre seus sentimentos

O autor reforça muito como as práticas de respiração, andar, sentar e deitar conscientes podem trazer a clareza necessária para ajudar a esclarecer a questão. É a prática da atenção plena, Mindfulness.

Thich Nhat Hanh diz: “A plena consciência é a energia que nos ajuda a ter consciência do que existe.” Ele reforça que para entrar em contato com a energia da raiva, da irritação, precisamos estar consciente do que está sentindo, reconhecer, estar em contato e abraçar. E reforça: “A respiração consciente é a prática que pode nos ajudar a cuidar das emoções.” Confira um áudio ensinando a fazer a respiração consciente. 

Também devemos estar conscientes do corpo e aprender a cuidar dele, reconhecer as sensações físicas e como o afeta.

“Quando a energia da raiva, do ciúme ou do desespero se manifesta em nós, devemos saber como lidar com ela, caso contrário seremos esmagados e sofreremos intensamente. A respiração consciente é a prática que pode nos ajudar a cuidar das nossas emoções.”15

Luiza Camargo Mendes

Luiza Camargo Mendes

Nutricionista, instrutora de Mindfulness, praticante de Meditação e Yoga, que encontrou no Mindful Eating um grande significado para sua atuação.