Juliana Garcia
  • Por Juliana Garcia
  • Leia em 13 min.
  • 30/05/2012
  • Atualizado em 07/05/2018 às 13:16

Cinematerapia para a vida

Alguns filmes podem ser inspiradores e amenizar o cotidiano

Alguns filmes podem ser inspiradores e amenizar o cotidiano

Cinematerapia para a vida

Não, o termo cinematerapia utilizado aqui não diz respeito a nenhuma nova opção terapêutica, entre as muitas alternativas oferecidas atualmente. Na verdade, reuniram-se aqui as palavras “cinema” e “terapia” como um incentivo a enxergar a chamada “sétima arte” com outros olhos, observando os benefícios que ela pode nos trazer. Existem filmes que nos ajudam a lavar a alma, outros que nos inspiram, filmes que nos fazer chorar de rir, alguns que nos fazem identificar nossas questões mal resolvidas, outros que nos ajudam a levantar o astral…

Na Grécia Antiga os dramas humanos eram encenados, tanto nas tragédias como nas comédias, proporcionando às plateias a possibilidade de catarse. Ver situações cotidianas sendo encenadas diante de nós, nos permite ir além do corriqueiro e observar lados que antes nos passavam despercebidos. Então podemos chorar nossas angústias ali desveladas, bem como rir de nossas posturas estereotipadas. Enfim, a arte dramática tem esse poder de nos transportar para outro ponto de vista e de nos devolver a nossa humanidade.

A riqueza da arte

Em se tratando de cinema, poderíamos fazer uma lista extensíssima e ainda assim ficariam de fora uma série de obras importantes e expressivas. Para isso, não faltam livros e manuais, do tipo “trocentos mil filmes dos últimos séculos”, não é verdade? Mas farei um compartilhar de obras que me tocaram de alguma forma. Como isso é algo pessoal, talvez ao ver o mesmo filme você possa perceber coisas completamente diferentes. Essa é a riqueza da arte: ela amplia, sempre amplia.

Por exemplo, o filme francês “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” me ajudou a enxergar a beleza que há em se abrir a novas perspectivas e entrar em contato com os pequenos e grandes prazeres da vida. A personagem nos inspira a ir vencendo medos e barreiras. A trilha sonora é do músico Yann Tiersen e é uma delícia que já vale por si só!

Outro filme inspirador? A biografia de Frida Kahlo, o filme denominado “Frida”, mostra como essa mulher de garra superou diversas dores e continuou cheia de vida, expondo a alma em suas obras artísticas. Mais da série “inspiradores”? A luta de um pai para encontrar meios dignos de sobreviver e viver: “À procura da Felicidade”. Uma curiosidade é que o ator principal é Will Smtih e o seu filho na trama é interpretado por seu filho da vida real. Talvez essa pitada de realidade incremente ainda mais a emoção dessa jornada.

Mas existem muitas outras inspirações em diferentes estilos: desenhos animados e comédias, por exemplo, podem também nos levar a outro nível de experiência. Eu, particularmente, acho que desenho animado hoje em dia não é mesmo coisa só pra criança! “Procurando Nemo”, por exemplo, traz tantos elementos: repensar a relação pais e filhos, enfrentar desafios, ir além dos nossos medos, a riqueza da amizade e do amor que liberta. Além disso, existem personagens cativantes como a “peixinha” Dori: esquecida, engraçada, perseverante, amiga.

Despertando sentimentos adormecidos

Outra animação linda é “Irmão Urso”, tanto pela beleza cultural que apresenta numa história que fala de totens, animais de poder e a relação com a divindade, quanto pela linda mensagem de amor, amizade e quebra de preconceitos. Outra animação que aborda temas de amizade, amor e incentiva a viver o presente é “Up – Altas Aventuras”. Ao assistir, preste atenção à trilha sonora, que é um primor. Claro que não faltam também momentos divertidos e leves ao assistir desenhos animados. O mágico, o lúdico, a imaginação e o mundo repleto de cores nos transportam para um lado criança que anda adormecido dentro de nós.

No quesito comédia, o filme “Patch Adams – O amor é contagioso” tem seu lugar. Aliás, é um filme de comédia e drama, do tipo para rir e chorar, que nos mostra o quanto o amor pode nos dar asas e transformar tudo ao redor. Outro mais atual é o filme de Adam Sandler, chamado “Click” (foto). Ele traz no tom da comédia uma reflexão sobre nossos automatismos da vida moderna. Um filme estrelado por Jim Carrey, que é bastante interessante é o “Sim, senhor!” (Yes Man). O personagem que sempre diz não a todas as oportunidades e convites é incentivado a dizer sim e aí a história se desenrola, com todos os encontros e desencontros esperados em uma comédia!

Quer descobrir outros filmes interessantes e que podem acrescentar novos elementos em sua vida? Então, se abra a novos estilos, veja a programação dos cinemas ou alugue na locadora mais próxima. Abra-se à possibilidade de conhecer mais sobre você, a tornar mais leve a carga do dia-a-dia e encontre tempo para esse saboroso momento de participar de novas histórias.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Juliana Garcia

Juliana Garcia

Escritora, criadora, consultora, psicóloga, psicodramatista. Seu trabalho gira em torno da Autenticidade e da Criatividade. Psicóloga graduada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), pós-graduada em Psicodrama pelo Instituto Mineiro de Psicodrama Jacob Levy Moreno. Cursou formações em Coaching pela Abracoaching e Condor Blanco Internacional. Foi professora do curso de pós-graduação em Psicodrama pelo Instituto Mineiro de Psicodrama Jacob Levy Moreno. Criadora de diversos cursos livres e conteúdos mais livres ainda. Contato: contato@julianaggarcia.com.br Saiba mais