Casas interceptadas no Mapa Astral

Entende como as energias dos signos interceptados se manifestam através dos assuntos regidos pelas casas em que estão presentes, e o que tem a dizer sobre a personalidade

Casas interceptadas no Mapa Astral

Existem três conceitos amplamente utilizados e difundidos em Astrologia que nem sempre são bem compreendidos: signos interceptados, planetas interceptados e casas interceptadas.

Um signo está interceptado quando não se encontra na cúspide – ou início – de nenhuma das doze casas astrológicas. Ao invés disso, está inteiramente contido em uma casa, sem um lugar natural de “saída”, ou manifestação.

Por outro lado, quando temos planetas presentes em signos que estão integralmente contidos em uma casa, temos o que chamamos de planetas interceptados. Mas, para fins deste artigo, exploraremos mais a fundo apenas o terceiro conceito, que é o de casas interceptadas.

Afinal, o que são casas interceptadas no mapa?

Sempre que temos um signo interceptado, temos o seu signo oposto também interceptado na casa oposta. Ou seja, se a casa 2 da sua mandala astrológica começa a 29 graus de Câncer, Leão está inteiramente contido na casa 2; e a casa 3 começa a 2 graus de Virgem, no lado oposto da mandala – ou seja, na casa 8 – teremos Aquário interceptado (totalmente contido dentro da casa 8), com a casa 8 começando a 29 graus de Capricórnio e a casa 9 começando a 2 graus de Peixes.

Considerando que, invariavelmente, sempre teremos 12 casas astrológicas, ao termos dois signos interceptados, restam apenas 10 signos para serem distribuídos em 12 casas astrológicas.

Com isso, inevitavelmente teremos pelos menos duas casas com o mesmo signo na cúspide. No exemplo acima, teríamos Gêmeos no início da casa 12 e da casa 1 (ou do ascendente) e Sagitário no início da casa 6 e da casa 7 (ou do descendente).

Logo, o início do signo de Gêmeos estará na casa 12 e o final do signo de Gêmeos no ascendente (e o mesmo para Sagitário, e para as casas 6 e 7).

O que causa signos e casas interceptadas?

Teremos signos ou casas interceptadas segundo alguns fatores. Primeiro, a latitude / longitude do lugar de nascimento influenciará na distribuição dos signos pelas casas das mandalas astrológicas.

Quanto mais ao norte ou mais ao sul do globo nascemos, maior as distorções observadas nos tamanhos das casas. Por exemplo, uma pessoa nascida em Levanger, na Noruega, tem o ascendente a 10 graus de Câncer, a casa 2 a 18 graus de Câncer, a casa 3 a 27 graus de Câncer e a casa 4 começando a 9 graus de Leão.

No lado oposto da sua mandala, ela tem a casa 7 (ou o descendente) começando a 10 graus de Capricórnio, a casa 8 começando a 18 graus de Capricórnio, a casa 9 começando a 27 graus de Capricórnio e a casa 10 começando a 9 graus de Aquário.

Em outras palavras, seis de suas 12 casas astrológicas têm apenas 8-9 graus de tamanho, quando a média é de 30 graus por casa, assim como temos 30 graus por signo.

Ainda olhando o mapa dela, suas casas 6 e 12, por outro lado, têm 70 graus de amplitude. Sua casa 6 começa a 1 grau de Escorpião, Sagitário está inteiramente contido na casa 6 e a casa 7 começa apenas a 10 graus de Capricórnio.

Embora ela tenha apenas dois signos interceptados (Gêmeos e Sagitário nas casas 6 e 12), ela tem seis casas interceptadas (três casas com o signo de Câncer na cúspide e três casas com o signo de Capricórnio na cúspide).

Outro fator que influencia na existência de casas e signos interceptados é o sistema de casas usado para cálculo do mapa. Astrólogos medievais costumam trabalhar com o sistema de signos inteiros, o que significa que se a casa 1 da pessoa começar em qualquer grau de Câncer, ele colocará o início da casa a 0 graus de Câncer, e as demais casas serão distribuídas em consequência disso.

Outros astrólogos trabalham com o sistema de casas iguais, que não permite a oscilação do número de graus de um signo contido numa casa, tornando o tamanho de todas as casas iguais (ou fixo).

Alguns profissionais mais modernos, inclusive, usam intencionalmente o sistema de casas iguais ou de signos inteiros para calcular mapas de pessoas nascidas nos extremos norte ou sul do globo para não ter que lidar com toda essa complexidade na análise do mapa.

Tenho casas interceptadas no mapa astral, o que isso significará na minha personalidade?

Da mesma forma que os signos interceptados têm dificuldade em fazer-se ouvir, por não terem um caminho claro de saída (como oferecem as cúspides das casas), as casas interceptadas que têm o mesmo signo em suas cúspides funcionarão mais ou menos da mesma forma, sob a batuta do signo da cúspide que a rege.

Voltando ao primeiro exemplo: se uma pessoa têm os signos de Aquário e Leão interceptados e essas energias são de difíceis expressão ou identificação para o nativo, esta mesma pessoa terá grande facilidade em expressar e identificar as energias de Gêmeos e Sagitário, que estão presentes em suas casas 12, 1, 6 e 7.

Podemos dizer, com isso, que haverá um “excesso” de manifestação destas energias através dos assuntos regidos pelas casas em que estão presentes.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Marcia Fervienza

Marcia Fervienza

Astróloga há mais de 15 anos e psicóloga, atua como colaboradora em Astrologia para diversas revistas e possui trabalhos publicados em vários países. Oferece atendimentos astrológicos presenciais e virtuais. Saiba mais