Taísa Bohrer
  • Por Taísa Bohrer
  • Leia em 5 min.
  • 08/10/2015
  • Atualizado em 17/02/2020 às 19:10

7 alimentos que amenizam a ansiedade

Conheça quais comidas incluir no cardápio para ter mais calma e bem-estar

7 alimentos que amenizam a ansiedade

São 6h30 da manhã, seu alarme dispara. Você acorda, dá vontade de ficar na cama, mas já começou a pensar na reunião que vai ter mais tarde no trabalho e a imaginar que seu chefe talvez não esteja num bom dia, afinal “ontem já foi bem complicado”, pensa.

Você vai para o banho e enquanto tenta esquecer o chefe, lembra-se do encontro da sua família que vai acontecer no próximo final de semana, no qual novamente terá que ouvir comentários sobre ainda não ter casado ou engravidado.

Você revira os olhos e já sente a angústia de ser alvo dos questionamentos dos familiares. Sem perceber, você já está lá, criando e vivendo estas cenas nada agradáveis como se fossem reais.

Então, seu coração começa a bater mais rápido, sua respiração fica mais ofegante e superficial, você toma seu café às pressas enquanto pega sua bolsa e sai de casa.

Sem saber que o café só aumentará ainda mais sua ansiedade. Sua mente não está no agora, mas sim no futuro, imaginando o que poderá acontecer, mesmo que talvez nem seja como você pensou. Identificou algo parecido na sua vida cotidiana?

Este é o momento em que você está alimentando a sua ansiedade. Eu comento sempre que não existem pessoas ansiosas, na realidade elas têm momentos de ansiedade.

E ao alimentá-los, os níveis deste sentimento vão aumentando até causar algum mal-estar físico, como dores de cabeça ou nas costas, enxaquecas, constipação, indigestão ou ainda algum problema de saúde mais grave, caso a ansiedade seja alimentada com muita frequência.

A ansiedade também aumenta os níveis de cortisol no sangue, pois faz disparar o estresse, o que prejudica sua saúde física e emocional.

Ao se manter em um estado ansioso por muito tempo, a pessoa sobrecarrega seu coração, podendo agravar o quadro de quem já apresenta hipertensão ou predisposição a outras doenças cardiovasculares.

Além de utilizar terapias de relaxamento e Meditação para amenizar a ansiedade, você pode se beneficiar com a prática de uma alimentação saudável para contribuir com o seu equilíbrio emocional e mental.

Como coach de alimentação consciente, eu ajudo pessoas que têm uma vida agitada a conhecerem melhor os alimentos, entenderem como seus nutrientes, preparo e energia interagem, para quem deseja viver com bem-estar integral e com consciência das suas escolhas.

A saúde integrativa, da qual sou estudiosa, aprofunda este conhecimento sobre os alimentos e seus efeitos no corpo físico e emocional, o que aumenta a consciência sobre a importância do cuidado com a alimentação, utilizando a comida estrategicamente conforme o que o organismo mais está precisando em determinado momento.

Conheça 7 alimentos que amenizam a ansiedade. Eles contêm vitaminas, minerais e outros componentes que possuem relação com a produção do hormônio serotonina – um neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar e, consequentemente, por reduzir os efeitos do estresse, da ansiedade e do nervosismo.

Aveia

A aveia é considerada um sedativo natural, que tem propriedades calmantes, pois contém uma substância chamada alcaloide, que ajuda a amenizar alguns sintomas de depressão, ansiedade e insônia, sem nenhum efeito colateral.

A aveia é o cereal com a maior quantidade de fibras solúveis e também fonte de magnésio, que ajuda a regular a secreção de insulina, o que faz dela uma ótima escolha para amenizar o apetite, já que mantém a sensação de saciedade por mais tempo.

Prefira utilizar a aveia em flocos, pois esta mantém as fibras presentes em melhor estado, o que ajuda a equilibrar os níveis de açúcar no sangue e diminuir os picos de insulina. Consequentemente, os desejos por doces também caem muito.

Portanto, se você corre sempre para o chocolate quanto está ansioso, procure ingerir uma banana com aveia, por exemplo. Isso vai ajudar muito a diminuir a vontade por guloseimas.

Abacate

Abacates e suas variações – como o avocado – são ótimos para a saúde do cérebro e para diminuir a ansiedade, bem como a vontade de comer a todo momento.

Comer uma porção pequena do fruto, em torno de ¼ de abacate ou meio avocado, é uma ótima estratégia para vencer os sintomas da ansiedade.

A presença de gorduras monoinsaturadas, de acido fólico e de potássio neste superalimento faz dele um “tem que ter” na cozinha, pois ajuda a diminuir a pressão arterial e a prevenir as doenças cardiovasculares, que podem ser agravados ou causados pela deficiência destas vitaminas. Uma boa forma de consumir abacate é fazer um molho para uma salada ou uma receita de guacamole.

Espinafre e couve

Hortaliças de folhas verde-escuras, como espinafre e couve, são ricas em magnésio, um mineral com propriedades antiestresse muito importante para a saúde humana.

A carência deste mineral pode gerar, além de ansiedade, agitação, insônia, irritabilidade e outros sintomas relacionados.

O espinafre é rico em folato (ácido fólico), um componente das vitaminas do complexo B, importante para o metabolismo, por regular os sistemas nervoso e digestivo, bem como a produção de novos glóbulos vermelhos. As vitaminas do complexo B são conhecidas por reduzir o estresse e a fadiga, convertendo carboidratos em energia.

Ingerir mais folhas verdes através de saladas, sucos e refogados é uma estratégia básica para quem deseja manter um estilo de vida saudável, com seu corpo nutrido de verdade e sentindo menos ansiedade. As folhas verdes podem ser refogadas rapidamente em fogo baixo para facilitar a absorção dos seus nutrientes, ou fazer parte de um omelete rápido e saboroso.

Grão-de-bico

Fonte de fibras, este grão da família das leguminosas é uma ótima opção de proteína vegetal para quem mantém uma alimentação com pouco ou nenhum alimento de origem animal.

Suas fibras ajudam a manter a saciedade por mais tempo e diminuem os desejos por doce, geralmente causados pela ansiedade. A ingestão frequente de grão-de-bico promove a produção do hormônio serotonina, o neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar e bom-humor, devido à presença do aminoácido triptofano, também presente em outras leguminosas como feijão e lentilha.

Este alimento pode ser um aliado da flora intestinal, promovendo a regularidade dos movimentos intestinais. O grão-de-bico também é fonte de cálcio, fósforo, zinco e magnésio, minerais muito importantes para manter a saúde dos ossos e do metabolismo em geral.

O preparo inclui um período de “molho” de no mínimo 12 horas, antes do cozimento, para retirar os antinutrientes que atrapalham a digestão.

Recomenda-se utilizar o grão-de-bico combinado com tomates em saladas ou molhos, pois o antioxidante licopeno, encontrado nos tomates, trabalha em sinergia com os nutrientes e minerais da leguminosa para combater os radicais livres.

Batata doce

A batata doce é um alimento que deve ser incluído na rotina alimentar de quem deseja diminuir os ataques à comida por ansiedade, pois contém fibras solúveis que ajudam a manter os níveis de glicose estáveis, diminuindo aquela sensação de querer petiscar a todo momento.

Pessoas com diabetes podem fazer uso da batata-doce com orientação profissional, com a intenção de regular os níveis de glicose no sangue.

Além disso, a batata doce tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, que combatem os radicais livres e promovem a saúde do sistema imunitário. Este alimento também é considerado muito benéfico para a saúde da mulher, pois ajuda a regular os hormônios femininos.

Você sabia que uma batata-doce pode conter praticamente 100% da quantidade recomendada de vitamina C para um adulto? Este é um alimento muito versátil, que pode ser consumido assado, cozido, como purê acompanhando pratos principais, ou utilizado na preparação de panquecas e bolos.

Cúrcuma (ou açafrão da Índia)

A cúrcuma, ou açafrão-da-terra, é um ingrediente utilizado na tradicional culinária indiana há milhares de anos. O pó feito do bulbo da planta chamada Cúrcuma Longa é facilmente encontrado e pode ser adicionado a várias preparações, como sopas, carnes e molhos diversos.

Seu sabor picante e cor laranja-dourada traz energia e vitalidade aos pratos. Recomenda-se usar pimenta-do-reino nos preparos com cúrcuma para promover ainda mais os efeitos benéficos da mesma.

Um experimento realizado na Universidade de Califórnia, no departamento de Biologia e Fisiologia Integrativa em Los Angeles, afirma que a curcumina, principal composto ativo da cúrcuma, foi capaz de diminuir comportamentos ansiosos em ratos, ao promover a síntese de um ácido graxo do ômega-3 (DHA), encontrado em peixes de águas frias e alguma algas.

Esta informação é muito importante para pessoas que mantêm uma alimentação vegetariana e não consomem o suficiente de ômega 3, fundamental para a saúde das funções do sistema nervoso e do desenvolvimento do cérebro do ser humano.

Um outro estudo, compilando diversas pesquisas, publicado em 2007 na Advanced Experimental Medical Biology, confirmou que a curcumina apresenta “propriedade antioxidante, anti-inflamatória, antiviral, antibacteriana, antifúngica e, assim, tem um potencial contra várias doenças malignas, diabetes, alergias, artrite, doença de Alzheimer e outras doenças crônicas”.

Agora que você sabe quais alimentos podem lhe ajudar a combater a ansiedade, o próximo passo é manter em casa uma quantidade adequada deles.

Ao invés de correr para as guloseimas cheias de açúcar e conservantes artificiais na próxima vez que a ansiedade surgir, prepare uma refeição com carinho e com propriedades que ajudam a nutrir seu corpo e mente de forma consciente.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Taísa Bohrer

Taísa Bohrer

É coach de Alimentação Consciente e atua online apoiando mulheres a reencontrar sua verdadeira beleza. Saiba mais