Arte de Viver
Carolina Jourdan
Por Carolina JourdanLeia em 3 min.18/06/2018 

Yoga para gestantes: conexão com seu corpo e com o bebê

Relato de uma mãe que buscou no Yoga uma força interior para conseguir o parto natural

Sou praticante de Yoga e Meditação há mais de dez anos. Na gestação do meu primeiro filho Miguel, hoje com 4 anos, mantive a prática diária, seguindo minha série pessoal com ajustes razoáveis, além de participar de diversos retiros de meditação. Foi uma gestação plena e tranquila, cheia de disposição. Contudo, sempre desejei um parto natural e não consegui. Talvez por ingenuidade ou excesso de confiança, caí na armadilha da cesárea, que em nossa sociedade acaba por ser o “normal”. No momento do parto, algumas horas após ter a bolsa rompida, sem conhecer as contrações e sem dilatação, tive que usar o conhecimento do Yoga para aceitar a situação. Recebi meu filho da melhor forma possível, com toda felicidade desse momento de milagre – mesmo no íntimo sentindo que não era necessário passar por uma cesárea.

Carolina com Miguel no colo e Gael na barriga (Foto: acervo pessoal)

Quando a vida me presenteou outro Ser para gerar, decidi mergulhar mais fundo nesse universo gestante, assumir verdadeiramente essa responsabilidade de parir em melhores condições. Justo nesse país onde a cultura da cesárea é tão predominante, decidi me dar essa chance, e assim procurei me informar melhor. Consultei diversos profissionais que são referência em parto natural, conheci o parto ecológico, conheci educação pré-natal, pratiquei Yoga com parteiras. Foi tudo diferente da primeira gestação. Senti muito mais cansaço físico, enjoos e  inicialmente pouca disposição para exercícios físicos. Eu meditava mais para descansar, passei a ouvir cânticos e mantras.

Durante a gestação,  junto com uma amiga também instrutora e mãe, iniciei o programa da Arte de Viver específico para gestantes no Brasil, o que também me encorajou a fazer uma especialização de Yoga para gestantes. Procurei um grupo para praticar com outras grávidas e uma professora parteira. Todo esse acompanhamento em rede me possibilitou diluir aquele medo de quem veio de cesárea, aqueles mitos de que “eu não dilato “. Passei a conviver com outras gestantes e também iniciamos um canal para maternidade, chamado Mama Amma.

Yoga no momento do parto

Quando chegou o momento do nascimento, apesar da ansiedade natural, dos medos, experimentei uma paz profunda comigo mesma e a entrega absoluta ao milagre da criação . Entrei em trabalho de parto e vivi 15 horas,com satisfação, as dores inimagináveis das contrações. Usei e abusei da respiração, experimentei o Yoga do parto e tive que descobrir essa força das entranhas para gerar um Ser. As posturas que praticava nas aulas com a parteira fizeram sentido ! Foram 5 horas de expulsivo,  achei que não iria aguentar. Mas mesmo estando exausta, uma força vinha de dentro. Foi uma experiência intensa de conexão interior, até que Gael nasceu, com 4,450 kg ( e eu achei que ele era pequenininho!).

Na gestação, o Yoga é especialmente importante porque é a união de dois corpos em um, dois corações.

A prática do Yoga, em qualquer fase da vida é uma decisão por cultivar uma ambiente mais positivo. Possibilita purificar mente e corpo, nutrir a alma e o espírito, viver com mais consciência e estar feliz consigo mesmo,apesar das razões que sempre vão existir para abalar nossa felicidade. Lembro que Yoga significa “união “ do corpo , da mente e do espírito. Então, na gestação o Yoga é especialmente importante, porque é a união de dois corpos em um, dois corações! E nosso corpo é o primeiro ambiente onde esse bebê vai se desenvolver. O bebê capta tudo que sentimos, como costuma dizer a educadora perinatal Laura Uplinger: “será a trilha sonora que o acompanhará ao longo da vida”. Sendo assim, é o momento pra gente se conectar e buscar o melhor em nós, fazer o que amamos!

Benefícios do Yoga na gestação

Alguns dos benefícios que o Yoga proporciona para as mulheres na gestação:

  • Os asanas ajudam a manter o corpo flexível. Aliviam a tensão em torno do colo do útero, abrindo a região pélvica. Isso prepara as gestantes para trabalho de parto e parto.
  • Pranayamas auxiliam a respirar profundamente e relaxar conscientemente. Ajudando a enfrentar as demandas do trabalho de parto e do parto.
  • Ajuda a reduzir o efeito de sintomas comuns, como enjôos matinais, cãibras nas pernas doloridas, tornozelos inchados e constipação.
  • Possibilita se concentrar mais profundamente na gravidez. Se sentir mais conectada consigo mesma, com a natureza e a se dar conta da capacidade de nutrir o seu bebê. 
  • A conexão maior da mãe com seu corpo e sua mente também desperta a consciência do ser que leva dentro e faz com que esse laço seja mais profundo.
Carolina Jourdan

Carolina Jourdan

Carolina Jourdan é instrutora da Arte de Viver e coordenadora do Dia Internacional do Yoga. Também é uma das responsáveis pelo Mamma Ama, coletivo que tem como objetivo difundir o conhecimento do Ayurveda e do yoga, com foco na saúde da mulher e da criança. 
Arte de Viver

Arte de Viver

A Arte de Viver é uma organização internacional fundada pelo líder humanitário e espiritual Sri Sri Ravi Shankar, com o objetivo de disseminar práticas de bem-estar para a redução do estresse e da violência, através de técnicas respiratórias, trabalho voluntário, yoga e meditação. Seus programas educacionais e sociais têm ajudado milhões de pessoas ao redor do mundo a transformarem suas vidas, e oferecem ferramentas que criam uma profunda paz interior e felicidade, capacitando o indivíduo a atingir seu máximo potencial.