Thaís Khoury
Por Thaís KhouryLeia em 5 min.26/05/2015 

Seus sonhos parecem desconexos?

Símbolos que aparecem nos sonhos trazem reflexões importantes. Entenda melhor

Muitas pessoas não se atentam aos sonhos, pois não percebem conexões diretas e óbvias entre os símbolos que se apresentam durante o sono e suas vivências da realidade concreta. Uma das razões para isso é que somos ensinados desde muito pequenos a atender muito mais as demandas externas do que as demandas internas. Aprendemos a não ouvir o que dizemos a nós mesmos, nem acordados e nem dormindo. Outra razão é a expectativa de que os sonhos funcionem linearmente: vivo isso, sonho isso.

O “problema” é que não necessariamente o foco da psique inconsciente corresponde simultaneamente ao momento que vivenciamos concretamente. Podem ser assuntos diferentes.

A vontade consciente está se direcionando para um assunto e o inconsciente aponta para outro. Um exemplo: na vida concreta, o sonhador está focado na carreira, em seus compromissos profissionais, em dar conta de atender certas demandas da empresa, mas sonha com símbolos que se referem às relações. Isso quer dizer que essa temática é importante de ser avaliada pelo sonhador. É possível que uma coisa esteja ligada a outra, mas não necessariamente. Talvez sejam antagônicas, talvez não. Ocorre que do ponto de vista do inconsciente, esse símbolo da família demanda alguma reflexão, traz ao sonhador algo que ele não tem conhecimento sobre si próprio e que é o tema que o inconsciente pede que seja visto, apesar do foco da consciência ser outro.

Interpretar os próprios sonhos elucida possíveis causas para os nossos problemas

Interessar-se pelos sonhos é buscar uma compreensão dos símbolos que estão sendo produzidos por nós mesmos. É uma aproximação entre nossas experiências na realidade concreta e na nossa realidade psíquica. São aspectos que juntos nos encaminham para uma atitude mais madura e consciente na vida.

As informações contidas em um sonho, quando devidamente compreendidas, têm o potencial de orientar a vontade consciente, isto é, nossas escolhas e decisões, nossa mudança de olhar, nossa familiarização com temas que rejeitamos em nós, enfim…

É sempre uma propulsão para uma compreensão mais profunda de si mesmo.

Uma engrenagem no sistema da realização pessoal

Produzir símbolos é uma capacidade humana, e utilizar esse recurso interno para tornar-se mais consciente auxilia o sonhador a refletir e avaliar suas atitudes na vida concreta, mesmo que a compreensão total do símbolo venha mais tardiamente. O sonho aponta para as temáticas que precisam ser conscientizadas.

Já que, infelizmente, aprendemos culturalmente a nos afastar de nossa vida interior, precisamos criar a necessidade dessa conexão, compreendendo cada vez mais o que ela representa para o nosso desenvolvimento como indivíduos no mundo, melhorando nossas escolhas e decisões e nos permitindo agir de forma mais integrada e menos fragmentária. Quando o sonhador se interessa por seus sonhos, ele aproxima-se do trajeto que o leva à realização de si mesmo.

Thaís Khoury

Thaís Khoury

É psicóloga clínica e utiliza a interpretação dos sonhos, a calatonia e a expressão criativa em seus atendimentos. Também é vegana e fundadora do Veganíssimo, empresa que produz alimentos 100% vegetais.