Simone Kobayashi
  • Por Simone Kobayashi
  • Leia em 3 min.
  • 28/12/2018
  • Atualizado em 28/12/2018 às 18:58

Reconexão: atividades de bem-estar em meio à rotina urbana

Especialista visita Templo do Ser, em Ilhabela, e experimenta Dança Xamânica e Deeksha

Reconexão: atividades de bem-estar em meio à rotina urbana

Vivemos cotidianos tão corridos que pequenos “respiros” de reconexão se fazem necessários. Muitas vezes, no entanto, ao pensar em workshops com meditação ou retiros, nos vem à cabeça restrições e sacrifícios como não falar, não comer ou ficar horas em uma mesma posição. Mas não é bem assim. A experiência pode (e deve!) ser alegre e convidativa.

Práticas meditativas, corporais e experiências conectivas estão mais próximas e possíveis. Estamos trazendo para o dia a dia e incorporando-as às nossas escolhas de bem-viver. Existem inúmeros espaços terapêuticos ao redor do Brasil e até festivais gratuitos, como a Virada Zen, que democratizam o acesso às atividade de bem-estar integral.

Moro em São Paulo e experimentei recentemente um “respiro” transformador ao visitar o Templo do Ser, em Ilhabela. Relato a seguir minha experiência para inspirar você a buscar uma pausa na sua rotina para atividades de bem-estar. Seja uma prática meditativa, caso tenha pouco tempo, ou um final de semana, por exemplo, voltado à reconexão, se puder se permitir.

Templo do Ser: acolhimento e energia positiva

Templo do Ser, em Ilha Bela/SP

O Templo do Ser é um desses lugares encantadores de se conhecer, para  passar uma pequena porção de tempo, para meditar ou ler um livro. Ou, melhor ainda, para passar uns dias. O lugar já é cheio de energia positiva, cercado pela Mata Atlântica e próximo a cachoeiras. A bioconstrução integra-se à estrutura física com capricho e uma delicadeza que se percebe em todos os detalhes –  e eles são muitos, como pequenos lembretes de gentileza.

A Cecilia Peres, idealizadora do Templo, conta a história pessoal dela para revelar a do espaço, pois o Templo do Ser é a materialização do seu aprendizado e aperfeiçoamento no caminho de uma vida dedicada à conexão de pessoas. E é essa história pessoal que impregna e direciona todo o processo do próprio Templo, desde as afinidades de propósito com as pessoas envolvidas às atividades proporcionadas.

Logo que se chega, o acolhimento e delicadeza da recepção que, naturalmente, te coloca como parte do grupo, já na apresentação do espaço. A cada encontro com um membro da equipe é te apresentado e explicado qual a participação no Templo, e sente-se uma conexão sincera de se colocar disponível.

Cada espaço é pensado em detalhes, tem as salas de cura, equipadas para tratamentos de terapia holísticas e corporais; o lounge super acolhedor para palestras e reuniões, que a gente quer ficar por lá, e pode; o Mana Bistrô que é um capítulo a parte de tão bom e tão cheio de propósito; e o salão de experiências maravilhoso onde tem as vivências, meditações, dança e yoga; e a loja com produtos escolhidos e trazidos pela Cecilia Peres, idealizadora do Templo do Ser.

No dia a dia e nos finais de semana as atividades são voltadas para o aperfeiçoamento e transformação, que podem ser de poucas horas como aulas ou de dias como um retiro, conforme a agenda do Templo. E a hospedagem, também conto como experiência do Templo, porque vem com o DNA do espaço, alta qualidade e conforto, contato com a natureza (uma varanda para a mata atlântica) e detalhes de gentileza, desde a água saborizada preparada para você, às amenidade fitonaturais de presente ao cartão de porta com dizeres delicados.

Dança Xamânica e Deeksha

Participei da Cerimônia do Cacau, com dança xamânica dos elementos, uma forma deliciosa e alegre de sentir e abrir o coração e seu chakra, com ritual das direções e conexão com a Terra, consagração do Cacau e liberação de tensões e energias através dos movimentos. Da vivência e recebimento de Deeksha, uma bênção da Unidade e de um atendimento xamânico para limpeza e leitura do campo akáshico, que seriam os registros dos eventos, pensamentos, palavras, emoções e intenções. Tudo perfeitamente estruturado e profundo, com seriedade e alegria.

A cerimônia do Cacau tem raízes antigas nos povos Maias e Aztecas, faz parte da cerimônia: a saudação, que é um ritual xamânico de abertura às direções e conexão com a Terra; a consagração do Cacau e meditação com intenção; e liberação de tensões e energias através dos movimentos e a dança xamânica e extásica dos elementos.

O objetivo é proporcionar uma forma deliciosa e alegre de sentir e abrir o coração e seu chakra.

A Amma Sophia Rose, é a xamã e facilitadora do processo rico em simbolismo e ancorado na sabedoria ancestral que nos leva de uma forma acolhedora e fundamentada a abrir nosso chakra cardíaco para sentir e transbordar Amor, Conexão e Gratidão. Fazendo dessa experiência única um momento sagrado e pessoal de conexão e transformação.

Sem nenhuma restrição a religiões ou linha direcionada a qualquer dogma, o Templo do Ser proporciona experiências para o aumento de consciência e reconexão com a nossa própria essência, um ponto de luz no caminho para quem ter Seu momento, ser acolhido(a), e incentivado(a) a melhores escolhas possíveis.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Simone Kobayashi

Simone Kobayashi

Terapeuta Holística atuante em São Paulo e OnLine. Dedica sua vida profissional à junção de técnicas terapêuticas como o Reiki, Florais, Acupuntura, Análise Energética, Limpeza Energética, Harmonização, Barras de Access e Cura quântica. Saiba mais