Yubertson Miranda
Por Yubertson MirandaLeia em 3 min.21/08/2015 

Qual o período de duração do meu Ano Pessoal?

Entenda por que análise do Personare mostra tendências entre janeiro e dezembro

Um questionamento recorrente em quem entra em contato com a Numerologia é saber a partir de quando o Ano Pessoal começa e termina. É de um aniversário ao outro? Ou de 1º de janeiro a 31 de dezembro? No Brasil, alguns profissionais da área já publicaram livros e contribuíram para a disseminação de cada perspectiva.

Na obra “Conhecimento da Numerologia” (Ed. Imperial Novo Milênio), de Anna Maria Costa Ribeiro, a autora afirma que o Ano Pessoal de uma pessoa começa no primeiro dia do ano e termina no último. Já outro profissional da área, Johann Heyss, autor do livro “Iniciação da Numerologia” (Ed. Nova Era), considera ambas as perspectivas.

“Ano Pessoal é o número que representa o clima e o tipo de vivências e acontecimentos reservados para o período em questão. Pode-se considerar o início do Ano Pessoal a partir do aniversário da pessoa (seria, então, o Ano Pessoal interno, referente aos assuntos mais profundos e pessoais) e também a partir de 1º de janeiro (sendo este o Ano Pessoal externo, que reflete aspectos mais gerais de previsão, referente a assuntos cotidianos e materiais). Desta forma, haverá sempre um período do ano em que as duas vibrações se misturarão, e esta fase será sempre aquela compreendida entre 1º de janeiro e o aniversário da pessoa. Tanto mais distante de janeiro alguém fizer aniversário, maior será o período de conjunção de vibrações distintas”, afirma Johann nas páginas 132-133 de seu exemplar.

Ano Pessoal: dúvidas e divergências

No que diz respeito às referências estrangeiras, não há um posicionamento explícito. Os autores simplesmente interpretam os significados de cada Ano Pessoal, sem especificar quando ele inicia e termina. Muitas vezes, precisamos investigar mais a fundo e perceber nos exemplos que tais profissionais apresentam para detectar com qual perspectiva eles trabalham. É o caso de Ellin Dodge, no livro “Numerologia: o guia completo da arte e ciência dos números” (Ed. Bertrand Brasil) e de Helyn Hitchcock, na obra “A magia dos números ao seu alcance” (Ed. Pensamento), que demonstram a validade do Ano Pessoal de janeiro a dezembro, e não a partir do aniversário.

Em meio a essas dúvidas e divergências, como saber quais autores estão certos? Qual perspectiva é válida? Será que é questão de convenção de cada profissional? Mas, antes de considerarmos o que cada numerólogo convenciona para sua prática, vale a pena averiguar qual estratégia o Personare utiliza para calcular o Ano Pessoal. Todavia, esta poderá se deparar com o muro da resistência que tende a ser natural no ser humano. Afinal, quando temos uma opinião definida, tendemos a nos fechar na hora de questioná-la. Nesses casos, há uma inclinação para evitar qualquer estudo ou aprofundamento teórico e prático proveniente de outra perspectiva.

Se realmente deseja encontrar a resposta para esta polêmica do Ano Pessoal, sugiro primeiro abrir sua mente. E pelo menos ouvir (ou ler) o que minha estratégia apresenta.

Por que Ano Pessoal vai de janeiro a dezembro?

O cálculo do Ano Pessoal é a soma do Dia de nascimento + Mês de Nascimento + Ano Vigente. Este último começa sempre em 1º de janeiro e vai até 31 de dezembro. Então, para calcular o Ano Pessoal de alguém que nasceu no dia 30/12/1972, ignoramos seu ano de nascimento e somamos os algarismos do Dia de Nascimento (30) + Mês de Nascimento (12) + Ano Vigente (2018): 3+0+1+2+2+0+1+8 = 17. Depois disso, some novamente os algarismos que compõem o 17, a fim de chegar ao número reduzido: 1+7 = 8. Isso significa que em 2018, esta pessoa estará no Ano Pessoal 8.

Sendo assim, pelo fato do cálculo do Ano Pessoal levar em consideração o Ano Vigente e não o ano que a pessoa nasceu, faz sentido que esse período comece e termine em 1º de janeiro e 31 de dezembro, respectivamente.

Pelo fato do cálculo do Ano Pessoal levar em consideração o Ano Vigente e não o ano que a pessoa nasceu, faz sentido que esse período comece e termine em 1º de janeiro e 31 de dezembro.

Se a gente considerasse que o Ano Pessoal vai de um aniversário ao outro, a pessoa que nasceu no dia 30 de dezembro só entraria no seu Ano Pessoal 8 (referente a 2018) no penúltimo dia deste ano. Ou seja, ela viveria quase todo o ano vigente (mais especificamente de 1º de janeiro a 29 de dezembro) sob as tendências do Número 7. Afinal, só entraria no novo Ano 8 no penúltimo dia de 2018, que é quando faz aniversário. E isso seria uma incongruência ou falta de lógica.

Então, com base nesse raciocínio, fiz alguns testes com pessoas do meu convívio e clientes, cujos acontecimentos e experiências me mostraram que o Ano Pessoal se inicia sempre em 1º de janeiro e termina no dia 31 de dezembro.

Mas aconselho que ao invés de aceitar ou discordar deste raciocínio, você simplesmente teste na prática essa teoria. Redobre sua atenção para verificar o que realmente está sendo vivido – interna e externamente. O que pode ajudar nesta observação são as previsões dos Trimestres Pessoais e do Mês Pessoal. Os detalhes oferecidos por estes ciclos de curta duração – os quais você poderá encontrar nas suas Previsões Numerológicas – são informações valiosas para observar a validade dos significados do Ano Pessoal atuando neste seu momento existencial.

E observe também os seus pensamentos mais frequentes, sentimentos, desejos e medos, além de seus comportamentos, reações e acontecimentos em cada período. Valerá a pena essa experimentação. Afinal, a prática e os fatos são mais convincentes que as teorias e as explicações.

 

Yubertson Miranda

Yubertson Miranda

Yubertson Miranda é numerólogo, astrólogo e tarólogo e é graduado em Filosofia. Ama encontrar significado nos eventos do dia a dia. É autor das análises numerológicas do Personare.