Marcia Fervienza
Por Marcia FervienzaLeia em 3 min.11/06/2019 

O que a Casa 7 e aspectos de Vênus sugerem sobre sua vida amorosa?

Seu Mapa Astral revela como você expressa afeto e o tipo de pessoa que costuma atrair

Como todo mundo sabe, relacionar-se não é fácil. Não é simples encontrar a pessoa “certa”. Quando encontramos, sempre é preciso negociar e fazer concessões. E, ainda assim, parece que a gente (ou o outro) nunca está plenamente feliz. São tantas opções fora do relacionamento, que tudo sempre parece mais interessante do lado externo da nossa porta. São mil expectativas que temos para nós mesmos, que os outros têm para a gente e que nós temos para os outros. Como administrar tudo isso? Será que o Mapa Astral pode dar uma ajuda?

Em nosso Mapa Astral, a casa 7 representa nossas parcerias (amorosas e comerciais), nossa relação com o público e a relação estável da nossa vida. Isso não indica que teremos apenas uma relação estável, mas que a cada novo par, a casa 7 estará representando aquela pessoa. De que forma?

Casa 7: o outro em nossas vidas

Costuma-se dizer que, enquanto uma casa análoga a Libra (que fala do outro, por oposição a Áries, que fala do Eu), vemos na casa 7 que tipo de parceiros atrairemos para as nossas vidas. Quem acharemos interessante? Quais nos arrebatarão loucamente e nos deixarão sem rumo? De que forma o outro nos complementará? Se abordarmos a casa 7 por este ponto de vista, todo e qualquer planeta que ali se encontra não é nosso, mas sim do outro. Não podemos jamais estar sem este outro, ou estaremos incompletos.

Mas a coisa não é bem assim. Embora a casa 7 represente o outro das nossas vidas, ela fala dele e o descreve a partir da  nossa perspectiva, porque o Mapa é nosso. Algumas funções psicológicas podem estar projetadas na nossa casa 7 e podemos ter dificuldades em reconhecê-las como nossas. Confira os exemplos abaixo para entender melhor.

Exemplo 1 : Saturno na 7

Pessoas que trazem Saturno na casa 7 costumam dizer que seus pares amorosos são frios, meio distantes, estruturados, rígidos, chatos, e que limitam a expressão da sua personalidade de alguma forma.

Em muitos casos, com Saturno na 7, temos relacionamentos duradouros e que, mesmo quando já acabaram e não somos felizes nele há muito tempo, temos dificuldades em colocar um ponto final. Aquela coisa sem vida se arrasta eternamente. Isso é compreensível porque todas essas são manifestações de Saturno.

Existem várias manifestações positivas de Saturno: estabilidade, maturidade, constância. Mas o que salta aos olhos nestes relacionamentos são todos os aspectos difíceis.

No entanto, o mapa com o Saturno na 7 é o mapa do nativo que está reclamando da frieza, distância e rigidez do outro. É o dono do mapa que, mesmo com toda essa dificuldade, não consegue partir. Logo, as perguntas que cabem aqui são:

  • Por que você continua escolhendo este relacionamento (apesar de tudo isso) e por que você atrai/escolhe este tipo de parceiro para você?
  • Por que você precisa do outro para te dar limites e estrutura?
  • Por que você precisa de outra pessoa para exercer a parte “responsável” (Saturno) da sua vida?

Planetas na casa 7 representam funções psicológicas nossas das quais ainda não nos apoderamos e que, como tal, estão projetadas. Assim, buscamos inconscientemente (ou atraímos) parceiros que exerçam essa função pela gente.

Exemplo 2 : Plutão na 7

Um outro exemplo: Plutão natal na 7. Plutão representa tanto o nosso poder pessoal quanto a sombra da nossa personalidade. Em Plutão encontramos tudo que repudiamos de nós mesmos e tudo aquilo que precisamos manter a sombra (por julgarmos feio, vergonhoso ou muito difícil de lidar).

É com Plutão que temos a capacidade de morrer e de renascer, ou seja, de nos transformarmos tão profunda e completamente que nos tornamos algo que não nos sabíamos capazes de ser. Ali também encontramos nossa capacidade de manipulação, nossa necessidade de controle, nossos maiores medos e tudo aquilo que desconhecemos (e desgostamos) de nós mesmos.

Assim, aqueles que nascem com Plutão na 7 costumam encontrar somente pessoas manipuladoras para se relacionar. Seus pares nunca se revelam ou se entregam totalmente. Sempre têm uma carta na manga que não revelam até os 45 minutos do segundo tempo (se é que algum dia revelam).

Seus relacionamentos costumam envolver uma boa dose de controle, manipulação e toxicidade. São aqueles que se sentem atraídos por pessoas que exercem um poder tão grande sobre eles, que eles não conseguem entender ou explicar.

A relação pode ser de combate constante (onde o outro tenta exercer o controle e o nativo resiste) ou de submissão absoluta (ou de um pouco dos dois). Seja como for, o relacionamento está sempre imerso em uma atmosfera de toxicidade, onde eu sei que aquilo não é bom para mim, mas não consigo partir.

O que está em jogo aqui? O nativo precisa do outro para ver o lado negro da sua própria personalidade, seus próprios vícios, compulsões e aquilo de tóxico que existe em si mesmo. Mas como Plutão está projetado, ele não reconhece nada daquilo como seu, senão que assume a parte recebedora de tais agressões, sem reconhecer nenhuma parte naquilo que busca ou atrai. “Sempre acontece assim comigo”, costumam dizer. Mas o que em você busca isso, e por que?

O poder de transformação inerente a todos, neste caso, só ocorre dentro e através das relações, o que é muito limitante, já que deveríamos estar curados e inteiros antes de entrarmos em uma relação com qualquer outra pessoa – se quisermos uma relação saudável.

Exemplo 3 : Netuno na 7

Um dos posicionamentos mais difíceis para relacionamentos é Netuno na 7. Estes nativos são aquelas pessoas que brincamos dizendo que têm “dedo podre” para escolher parceiro. Isso porque seu radar está sintonizado com aqueles que precisam ser salvos, ou que elas acreditam que poderão salvá-las de alguma forma.

Para Netuno na 7, o dia a dia do relacionamento tende a ser entediante e sem magia. Então, a pessoa está sintonizada com tudo que ela acredita que poderá trazer magia para a relação, aquela conexão espiritual, aquela coisa de cinema. E se este alguém estiver num momento difícil, precisando ser salvo ou resgatado, mas ela achar que existe o menor potencial do par lhe oferecer aquele mundo de sonhos, ela se joga de corpo e alma.

A pessoa espera, se doa, se autossacrifica, porque ela tem fé que aquele é o seu grande amor, é algo de outra dimensão, de outra vida. Com isso, ela entra em relações que já têm tudo para dar errado desde o início, mas ela aposta, porque ela acredita que amor de verdade envolve sacrifício.

Aqui, sacrificar-se em nome do amor equivale a “carregar a cruz para chegar ao paraíso”. A pessoa não quer um relacionamento, ela quer um conto de fadas. E qualquer coisa menos do que isso, nem desperta seu interesse.

Aspectos entre Vênus e os planetas transpessoais: como expressamos afeto e amor

Enquanto a casa 7 nos mostra como encaramos relacionamentos e o tipo de parceiro que costumamos atrair, os aspectos entre Vênus e os planetas transpessoais costumam indicar como expressamos afeto e amor, e como precisamos ser desejadas e apreciadas.

Aspectos de Vênus podem mostrar também porque algumas relações acontecem de determinada forma, ou não acontecem. Por exemplo:

  • Aspectos tensos entre Vênus e Saturno costumam ser complicados para relações amorosas, porque o nativo tem literalmente uma lista de qualidades que o potencial par precisa cumprir antes de se relacionar. Para Vênus-Saturno, a frase “o amor tem razões que a razão desconhece” é falsa. Para quem possui tais aspectos, amor tem razão e motivo de ser sim, e ele vai te mostrar quais são.
  • Vênus-Netuno também pode ter dificuldade em encontrar o par ideal porque, para ela, qualquer pessoa pode ser o par ideal. Ela idealiza seus amores e os veste com as roupas que deseja vê-los, sem necessariamente permitir que o outro se mostre como é. Aí, vive desenganada e desiludida, sempre é traída ou mal usada, tudo isso porque não se deu tempo de conhecer o outro com suas qualidades e defeitos antes de considerá-lo o homem de sua vida.

A pessoa Vênus-Netuno é a rainha das desilusões, mas o pior é que é ela mesmo que se ilude. Quando a realidade não permite mais que ela banque sua ilusão, ela desmorona em seu amor e em suas idealizações.

  • Vênus em aspecto tenso com Urano costuma acreditar e valorizar um amor mais livre, baseado na amizade e na confiança. Claro que o signo da Vênus vai modificar essa manifestação, mas no geral ela confia na autonomia de cada um em uma relação amorosa – tanto que, muitas vezes, o outro se sente não visto, não cuidado, não amado, meio que “abandonado” e, com isso, acaba rolando traição – e a dona da Vênus-Urano não tinha nem ideia de que o outro se sentia assim! Porque ela o amava sim, e não pensava jamais em deixá-lo ou que poderia ser traída por ele. Mas aqui entra o ditado de que “quem não dá assistência, abre espaço para a concorrência”, e é exatamente aqui que a pessoa Vênus-Urano peca: ela não dá assistência, mas não tem ideia disso.
  • Com Vênus-Plutão caímos nos mesmos padrões abusivos e tóxicos de Plutão na 7. Aqui, entendemos amor como algo intenso, profundo, visceral, mas também compulsivo, obsessivo e controlador. Podemos temer o amor porque amar é perder o poder sobre si mesmo e submeter-se ao outro. Então, quando amamos, estamos sempre naquela disputa inconsciente de ver quem pode mais, quem sabe mais, quem ama mais, quem sofre mais, quem tem menos controle na relação.

Especialmente em aspectos tensos, a relação pode ser muito patológica e difícil de terminar. Ou, se a entrega não for completa e absoluta, onde até a nossa alma colocamos a disposição da relação, simplesmente não nos interessa.

Aqui não é possível cobrir todas as manifestações  de todos os planetas na casa 7 ou de todos os aspectos com Vênus. Mas a ideia principal é ajudar a entender que, aquilo que o nosso Mapa Astral mostra tem a ver com a gente, não com o outro.

Em todos os exemplos citados nesse artigo, se estamos vivendo determinada situação em nossos relacionamentos, vale refletir se não há uma função psicológica projetada.O que é tão difícil para a gente naquilo (que está representado pelo planeta ou pelo aspecto) que precisamos projetar no outro para podermos lidar?

Marcia Fervienza

Marcia Fervienza

Astróloga há mais de 15 anos e psicóloga, atua como colaboradora em Astrologia para diversas revistas e possui trabalhos publicados em vários países. Oferece atendimentos astrológicos presenciais e virtuais.