Mari Mel Ostermann
  • Por Mari Mel Ostermann
  • Leia em 3 min.
  • 12/02/2019
  • Atualizado em 06/01/2020 às 15:45

O poder das danças circulares: autoconfiança e bem-estar

A dança circular é uma é uma prática em grupo muito poderosa energeticamente

O poder das danças circulares: autoconfiança e bem-estar

Eu tenho contato com as danças circulares há alguns anos. Para mim, os círculos dançantes são uma prática de grupo muito poderosa energeticamente, além de serem deliciosos e desafiadores ao mesmo tempo. Participei do Festival Ilumina, em Alto Paraíso de Goiás na Chapada dos Veadeiros e conto um pouco dessa experiência para você.

A dança circular é uma experiência guiada, em grupo, porém completamente inédita e íntima a cada círculo.

O que são danças circulares?

É uma dança que mexe com nossa ancestralidade, com nossa história, com a nossa criança interior. É uma ciranda profunda.

Ao dançar em passos iguais com todos na roda, você passa a “fazer parte” e colaborar para o ritmo e andamento do círculo. Essa “exposição” pode tocar aspectos como comparação, vergonha, medo de errar, julgamentos.

A dança circular despertam sentimentos e sensações

É muito interessante perceber o que a mente traz durante uma dança circular,. Os os sentimentos e sensações que afloram. Eis aí a oportunidade terapêutica de ir além dessas barreiras que também aparecem no nosso dia a dia, na relação com o coletivo.

Participei de círculos pequenos e círculos gigantescos e, se há entrega à proposta, não importa o tamanho da roda, ele vai espiralar algo dentro de você.

Como praticar danças circulares: música ideal

A trilha sonora é muito importante. Nas danças circulares não há regras, há sim propostas. Então pode-se dançar ao som de canções tradicionais de povos ancestrais ou composições contemporâneas, pode-se dançar para os elementos da natureza, para arquétipos, para curas pessoais ou coletivas.

Os simbolismos da dança circular

A roda como símbolo de união, circular como as células, e a própria vida, cria um campo de confiança e troca onde os estranhos tornam-se cúmplices na dança. Os sorrisos e olhares naturalmente florescem.  Pulsamos juntos. E levamos do círculo a experiência amorosa, profunda, acolhedora e refrescante de dançar a vida.

Eu sou grata por cada dança circular que participei. Cada uma delas me enriqueceu um pouquinho. Indico essa prática tão linda e terapêutica para todas as pessoas. Dançar faz parte da história humana. O círculo e o movimento coletivo também.

Dicas para começar as danças circulares

Mesmo que você não tenha experimentado uma dança circular, você pode experimentar sua relação com a dança de forma diferente. Escolha uma intenção e uma música que te remete à coisas que gostaria de dançar para e entregue-se para a dança. Crie passos, sinta a música, a intenção e o corpo entrando em comunhão. Aproveite!

Olá, essa matéria foi útil para você?
Mari Mel Ostermann

Mari Mel Ostermann

Formada em Naturologia pela UNISUL, faz leitura de aura, é mestre em Reiki Essencial e co-fundadora do curso Integral Way (http://cursointegralway.com/). Trabalha em prol da liberdade das pessoas, combinando técnicas estudadas com suas vivências pessoais. Saiba mais