Rafaela Carrijo Jeckle
Por Rafaela Carrijo JeckleLeia em 4 min.19/08/2014 

Nós testamos: Reconexão, a arte da cura

Trabalho feito por meio de espectro de frequências restabelece saúde e equilíbrio

Às vezes, precisamos viajar para longe para perceber verdadeiramente quem somos e descobrir quais são os nossos propósitos de vida. Para alguns, essa viagem pode ser a uma terra distante, para outros, o trajeto é feito no mundo interior, pois precisam visitar um destino bem íntimo e conhecer as profundezas da própria alma. O ideal é quando essas rotas se cruzam e, ao descobrir o mundo, temos a sorte de escavar os tesouros da personalidade, vasculhar os dons mais brilhantes e alcançar os talentos divinos que cada ser humano tem.

Há muitos meios de experimentar o prazer e a paz do autoconhecimento. Quem é cético faz isso focado na mente, através da busca pelo saber. Aqueles que acreditam numa força maior, que orquestra a dança da existência, buscam outro tipo de sabedoria. Ela nem sempre está nos livros, mas sim guardada nas experiências e no corpo, e é o tal do sexto sentido. A estrada da espiritualidade pode ser encontrada num passeio na natureza, em templos ou catedrais, em doces palavras de uma oração, em lugares místicos como a Índia, em instantes silenciosos de Meditação, nas posturas esculturais da Yoga, através da arte e de muitas outras maneiras particulares. No meu caso, a encontrei na Alemanha. Ao chegar de malas prontas neste lugar chamado destino, a intuição me serviu de guia e como num balé de sincronicidade, descobri um trabalho inédito chamado “A Reconexão”, algo absolutamente simples, mas com um poder avassalador que foi capaz de transformar completamente a minha vida. Foi através desta experiência, que parece nos religar ao Universo, que alcancei um conhecimento claro e uma compreensão tão elevada das coisas como eu nunca havia experimentado antes.

Acho absolutamente fascinante quando fenômenos de cura desafiam a lógica e extrapolam procedimentos médicos. Sempre observei com admiração e espanto o talento daqueles que são capazes de realizar curas inexplicáveis. Notícias misteriosas sobre esse mundo aparentemente inatingível me despertavam uma curiosidade sem fim. Quando minha avó adoeceu, a impotência diante do problema de saúde de alguém que tanto amo afetou a minha própria vitalidade e fez com que eu me questionasse com perguntas existenciais inquietantes: por qual motivo só alguns nascem abençoados com esse tipo de dádiva? Será mesmo que essa habilidade existe? De onde tiram um dom tão divino?

Através da Reconexão tive o privilégio de conhecer um novo nível de frequências que ativam a capacidade de todo ser humano realizar a arte da cura.

Através da Reconexão tive o privilégio de conhecer um novo nível de frequências que ativam a capacidade de todo ser humano realizar a arte da cura.

O processo, que faz com que pessoas comuns descubram talentos tão preciosos, não é religião, nem se trata de crenças ou rituais, é algo inerente a todos nós, que qualquer um pode aprender. Embora seja nomeado como um novo nível de cura, acho que vai muito além disso. Se eu tiver que traduzir em palavras, o que é quase intraduzível, eu diria que é a ativação das nossas virtudes mais puras, é o despertar da habilidade de acessar uma inteligência infinita e sentir um amor incondicional que nos permite interagir de forma mais fluida com tudo. Como diz Eric Pearl, criador deste processo, a Cura Reconectiva é um restaurador de equilíbrio e a Reconexão é um expansor, que nos que permite ativar as nossas potencialidades.

Como a Cura Reconectiva e a Reconexao são feitas e atuam no corpo

A Cura Reconectiva é um novo nível de cura, realizado através de um espectro abrangente de frequências. Normalmente é feita sem sequer tocar o corpo. O profissional brinca com as mãos sobre o campo magnético da pessoa. Na verdade, ele não passa energia, ele interage com o espectro, sustenta as frequências e se torna a ponte que liga a outra pessoa ao campo de frequências. Ao interagir com este espectro, há uma troca acelerada de energia, informação e luz. O resultado dessa interação é o retorno ao estado ideal de equilíbrio, o que pode gerar consequentemente curas.

No caso da cura à distância, o processo é feito através do acesso do profissional ao espectro. Durante as sessões, o facilitador e o cliente se encontram para ressoar na experiência das frequências de cura. A essência do processo é inspiração e, para facilitar a cura de alguém, é necessário interagir com o espectro e servir de instrumento catalizador para a outra pessoa se curar. Uma grande diferença para outras formas de cura é que não há técnicas. Não é preciso posicionar as mãos em pontos específicos ou realizar rituais, evocar espíritos ou cantar mantras. A Cura Reconectiva não é um tipo de tratamento ou de terapia, ela nem sequer é endereçada aos sintomas. O intuito não é diagnosticar, tratar doenças ou medicar, mas reestabelecer o equilíbrio do corpo, que, quando balanceado, consequentemente produz curas.

A Cura Reconectiva não é um tipo de tratamento ou de terapia, ela nem sequer é endereçada aos sintomas. O intuito não é diagnosticar, tratar doenças ou medicar, mas reestabelecer o equilíbrio do corpo, que, quando balanceado, consequentemente produz curas.

Ao acessar essas frequências, há um reequilíbrio em níveis mentais, físicos, espirituais e outros níveis que nem sabemos ainda quais são.

Este é um trabalho quântico, em que um espectro abrangente de frequências provoca uma troca de energia, luz e informação nas células e atua restaurando o equilíbrio e levando o ser de volta para o seu estado balanceado, retirando as interferências que estão impedindo a pessoa de realizar sua autocura. O foco não é curar um mal específico, tratar sintomas ou medicar, mas sim equilibrar o indivíduo como um todo. Inclusive, quanto menos se sabe sobre o cliente, melhor. Não se dissolve um problema com o mesmo foco que ele foi criado. Não é necessário focar na patologia, apenas facilitar as frequências e se deixar ser guiado pela sabedoria interior.

Nós temos frequência cardíaca, respiratória, cerebral, celular, molecular e atômica. O nosso corpo, as emissora de TV, o celular e o rádio, por exemplo, são frequências. E as “frequências da Cura Reconectiva” abraçam todo o espectro eletromagnético que está no planeta e o expande. Os cientistas que a pesquisam a denominaram de “frequências da Cura Reconectiva”, justamente por ser algo novo a que não tínhamos acesso antes e é difícil de definir. Não se sabe 100% o que elas são e de onde vêm, mas sim os efeitos que causam. É algo novo no qual estamos aprendendo a lidar e a conhecer.

Cura Reconectiva e Reconexão são processos diferentes e complementares

A Cura Reconectiva é um retorno ao estado ideal de equilíbrio, não é voltada para resolver sintomas ou curar doenças. É mais abrangente do que isso. É um processo simples, sem técnicas, resulta de pura inspiração. Simplesmente o cliente e o facilitador de cura interagem através dessas frequências, o que pode trazer consequentes curas que são muitas vezes instantâneas e tendem durar a vida inteira. Há casos de cura incríveis, como, por exemplo, a de Dimitri, um garoto grego que sofria de paralisia cerebral e dificuldade motora e que passou a ter uma vida normal. Este caso é documentado no filme “A Matriz Viva”, em que cientistas e pesquisadores da área médica apresentam conceitos inovadores de saúde, baseados em física quântica. Como em qualquer outro procedimento, não há como garantir um resultado de 100%, nem todos recebem exatamente a cura que esperavam, mas sim a adequada para a alma da pessoa naquele momento.

Como em qualquer outro procedimento, não há como garantir um resultado de 100%, nem todos recebem exatamente a cura que esperavam, mas sim a adequada para a alma da pessoa naquele momento.

Eu, por exemplo, experimentei esse processo fascinante depois que tive meu sistema imunológico comprometido por uma síndrome autoimune que fazia com que meu corpo criasse anticorpos contra si mesmo e qualquer tipo de proteína. Este foi o motivo que causou a interrupção espontânea de uma gravidez, provocando uma tristeza profunda numa fase da minha vida, como acontece com muitas mulheres que passam por essa fatalidade. Já tive a cura da síndrome, mas ainda não engravidei, embora eu saiba e tenha fé absoluta que conseguirei atingir o meu objetivo, que é apenas uma questão de tempo. O principal já ocorreu, me libertar de uma síndrome grave e rara, que dificulta muito o sucesso de uma gravidez.

Já a Reconexão é um expansor de energia, é um trabalho mais específico que provoca a troca acelerada de energia, luz e informações encontradas nas frequências de Cura Reconectiva. A Reconexão é uma experiência única, acontece só uma vez na vida, é feita presencialmente em dois dias e nos liga de volta ao sistema atemporal de inteligência. Ela religa as linhas dos nossos meridianos ao sistema de linhas que circundam o planeta e às grandes linhas universais. É criada uma religação, como diz Dr. Pearl, que parece acelerar a plenitude da nossa ligação natural com o Universo. Assim somos colocados mais rapidamente no nosso verdadeiro curso de vida.

A cura está dentro de cada um

Esta prática simples e ao mesmo tempo avassaladora foi capaz de mudar a minha dimensão da realidade, a maneira como vejo o mundo, a forma que experimento as sensações.

Esta prática simples e ao mesmo tempo avassaladora foi capaz de mudar a minha dimensão da realidade, a maneira como vejo o mundo, a forma que experimento as sensações.

O mais arrebatador é que interagir com as frequências traz um empoderamento tamanho, um sentimento de completude tal, que faz o corpo borbulhar, perder a ilusão da solidez e, nesse estado de unidade com tudo, somos capazes de catalizar saúde, alegria e poder para outras pessoas e para nós mesmos, de um modo descomplicado, da mesma forma que uma vela acende a outra.

Encontrei essa via por casualidade, mas brincar com as frequências, como uma criança que descobre a extensão do próprio corpo, foi tão apaixonante que acabei decidindo que é uma estrada sem volta. Escolhi este caminho como parte integrante do meu cotidiano, por desejo de levar essa dávida de energia, informação, luz e amor aos ambientes que frequento e pelo prazer infantil de sentir meu organismo de um jeito que eu nunca havia desfrutado antes. Após fazer atendimentos com a Cura Reconectiva com Karla Kinhirin (Brasil), Brigitte Würtele (Alemanha), minha Reconexão com Raquel Miranda (Portugal) e participar dos Seminários de Cura Reconectiva e Reconexão com Dr. Eric Pearl, nasceu o desejo incontrolável de me tornar praticante deste processo. Por isso, além do meu trabalho em comunicação, decidi virar também profissional desta prática.

Meu principal motivo para aprendê-la, além da vontade de curar a mim mesma, foi o sonho de ver a minha avó saudável, pois sofro com seu estado enfraquecido pela senilidade. A amo infinitamente, por isso quero tocar seu campo energético e oferecer-lhe este carinho formatado em luz. Independentemente se ela receberá uma cura física ou não, sei que terá um balanceamento de energia como nunca experimentou antes.

Sei organicamente da efetividade das frequências, assisti seus efeitos poderosos, mas sem a expectativa de ver minha avó lúcida, de engravidar imediatamente, ou de ser capaz de curar alguém exatamente daquilo que a pessoa espera, acredito que a “Cura Reconectiva” reestabelece o equilíbrio e nos dá a capacidade de reconhecer nosso verdadeiro Eu. Como diz Dr. Pearl, a cura perfeita é aquela que está em maior harmonia com a missão da alma da pessoa aqui na Terra. O curador é um instrumento, é quem abre as portas para o outro se curar. Há sempre uma dádiva que é proporcionada, mas creio que a cura idealizada, da forma exata como as pessoas desejam, depende do que cada um necessita num determinado momento. E o motivo que isso acontece extrapola nossas habilidades, faz parte da inteligência divina, do que alguns chamam de Deus, outros de amor, ou a ciência chama de Universo. A Inteligência Superior permitirá que aconteça o que for apropriado para aquele momento da vida da pessoa. No livro “A Reconexão” (Ed. Cultrix), Eric sintetiza isso com a bela frase: “Se você tiver sorte, receberá a cura que deseja, mas se você for realmente afortunado, receberá a cura que o Universo projetou especificamente para você, sobre a qual nem sequer sonhou”.

Qual a cura que você precisa?

Através das doenças sempre aprendemos algum tipo de lição ou ensinamos algo aos outros. Por isso, sem pensar em alcançar resultados, pois esse não é um trabalho voltado para desafios específicos de saúde e nem sequer endereça sintomas, desejo apenas repassar as frequências do modo que as recebi. Uma forma de cura sempre acontece, mesmo que não seja a específica que a pessoa estava esperando, algumas são imediatas, outras gradativas, outras não são percebidas, mas o grande presente da experiência é o equilíbrio apaziguador.

Quero brincar de salpicar as frequências nas mãos alheias, como fazia com a brincadeira de passar o anel na infância. E, se tiver sorte, ser ponte para fazer a vida de alguém mais completa e feliz. Na Alemanha, já dou meus pequenos passos iniciais como praticante e tenho experiências que me deixam alegre em compartilhar. Algumas pequenas vitórias físicas, como uma senhora alemã que melhorou de uma grave artrose e voltou a usar os sapatos que queria, ou emocionais, como uma grande amiga yogi e jornalista que sentiu que as frequências desbloquearam tensões e despertaram a criatividade, ou um amigo croata, professor de artes marciais, que diz que desde que as experimentou vive tão concentrado e feliz como se estivesse andando nas nuvens.

Os efeitos da Reconexão têm despertado enorme interesse de médicos e pesquisadores de todo o mundo e, embora não exista uma explicação de como exatamente as curas se realizam, o método é realmente eficaz. No entanto, assim como nos sistemas tradicionais, não existem garantias em 100% de resultados. Diversos cientistas tiveram provas tangíveis de que a Cura Reconectiva funciona. Dr. William A.Tiller, professor da Universidade de Stanford, na Califórnia, pesquisou o papel dessas frequências de luz na cura física. Através do seu trabalho, ele concluiu que sua aplicação induz ao equilíbrio molecular e influencia o sistema imunológico de qualquer ser vivo. Além de gerar a reestruturação do DNA, causa a emissão de níveis mais elevados de luz biofotônica. Quando as frequências entram em contato com o nosso corpo de energia, nós passamos a emitir mais luz e a vibrar energeticamente num nível superior, criando mais coerência e ordem no organismo.

O sucesso dos resultados da “Cura Reconectiva” e da “Reconexão”, em inglês “Reconnective Healing” e “The Reconnection”, tornou Eric internacionalmente conhecido. Constantemente entrevistado na mídia internacional e em influentes meios de comunicação, como o New York Times e a CNN. O curador foi orador num fórum das Nações Unidas, e seu trabalho foi destacado no documentário “A Matriz Viva” (The Living Matrix), em que cientistas e profissionais da área médica apresentam conceitos inovadores de saúde, baseados em física quântica, e exploram a descoberta de que o corpo pode ativar o processo de autocura através de interferências bioenergéticas. Neste filme, Eric apresentou o caso de Dimitri, um menino com paralisia cerebral e dificuldade motora, que passou a andar normalmente após sessões de Cura Reconectiva, confirmando o estudo dos pesquisadores de que é a informação energética enviada às células que determina a qualidade da nossa saúde.

Embora Eric seja autor de feitos considerados inexplicáveis, ele defende que não faz nada além do que qualquer ser humano é capaz de fazer e explica que a cura nada mais é que retirar os detritos do organismo. É por toda a magnificência dessa dádiva, que independe de religião, cultura, cor, orientação sexual, e que possibilita a qualquer um de nós vibrar na sua potencialidade pura, que escrevo um desabafo tão íntimo, de como meu desejo de cura me levou a descobrir um dos grandes tesouros da minha vida.

Apesar de muitos estudiosos verem a Reconexão como a descoberta de uma nova habilidade humana, interpreto essa bênção como um dom divino. Veja abaixo minha entrevista com o Dr. Eric Pearl.

Para continuar refletindo sobre o tema

Quem quiser saber a programação da Reconexão, encontrar a lista de profissionais de Cura Reconectiva na sua região, ou saber quando a equipe fará seminário no Brasil, pode clicar aqui para visitar o website.

Aos que desejam aprender a usar as frequências com as próprias mãos, aconselho uma visita ao Seminário do Eric Pearl. O próximo no Brasil acontecerá em Brasília, entre 22 e 26 de agosto de 2014, no Centro de Convenções do Complexo Meliã Brasil 21. Haverá também um Seminário em Portugal, entre 26 e 30 de Setembro, no Centro de Congressos de Lisboa. Ambos terão tradução simultânea para o português. Para mais informações sobre ambos eventos, entre em contato com Karla Kinhirin, pelo e-mail info@reconectarbrasil.com, pelo site www.reconectarbrasil.com, ou com Rogélio Peres e Malu Nóbrega Peres, pelo site www.reconectandooser.com.br. Em Portugal entre em contato com Raquel Miranda (Portugal), pelo endereço raquel.reconnecting@gmail.com

Contatos para os seminários na Alemanha – Brigitte Würtele: brigittewuertele@gmx.de

Rafaela Carrijo Jeckle

Rafaela Carrijo Jeckle

Formada em Comunicação Social. Vive na Alemanha e trabalha como repórter, colunista e profissional de cura reconectiva. Escreve sobre autoconhecimento. Atendimento presencial e à distância. Contatos: rafaelapcarrijo@gmail.com e http://www.rafacarrijo.com