Minimalismo e armário cápsula: ter menos e ser mais

Especialista Personare conta experiência que resultou num guarda-roupas com 40 peças e autoestima elevada

Minimalismo e armário cápsula: ter menos e ser mais

“Que a beleza floresça de toda leveza e que me reste SER e nada mais”

Tudo começou em 2014, quando decidi entrar no desbravador caminho para o meu autoconhecimento. Iniciei a terapia, práticas de Mindfulness e entrei em um processo de transição de carreira. Ao longo deste período, em 3 anos, me mudei de casa 4 vezes! E me vi “obrigada” a cada mudança a fazer doações e “destralhes”.

A cada desapego eu me sentia mais leve e nada do que eu doava me fazia falta. Tudo ficava mais fácil de arrumar. Claro, menos coisas, menos bagunça. Dessa forma, o minimalismo começou a fazer parte da na minha vida.

Quanto menos, melhor

O meu desejo era que todos os meus bens coubessem em uma mala vermelha que tenho, para ter agilidade nas próximas mudanças. Ter apenas uma mala vermelha não quer dizer que eu não busco prosperidade para mim, quero deixar isso claro, mas a minha felicidade hoje não depende de estímulos externos e isso já é libertador.

Toda a bagunça externa que existia na minha vida também pelos excessos, era claramente o reflexo do meu interno.

Toda a bagunça externa que existia na minha vida também pelos excessos, era claramente o reflexo do meu interno.

A medida que fui me centrando, me autoconhecendo, tendo mais clareza mental e sendo mais gentil comigo mesma, com as minhas emoções e “vigilante” dos meus pensamentos (principalmente os negativos), tudo ficou mais leve. O excesso de coisas e a bagunça estavam virando um peso para mim, que não combinava com o meu estado interno. Quando a pessoa está mais consciente isso fica muito claro: a leveza precisa ser interna e externa. O desapego é apenas um gatilho.

A história do armário cápsula

Entrar no processo de autoconhecimento profundo envolve florescer com autenticidade. Além de ainda achar que eu tinha muita roupa, eu estava me transformando como pessoa e o meu armário não era o reflexo do meu eu interno. Na verdade, neste ponto, precisava de ajuda…

Até que, por uma sincronicidade, conheci uma consultora de moda que trabalha com armário cápsula e moda consciente. O objetivo da cápsula é reduzir o número de peças de roupa que se tem dentro do armário. Deve-se tirar todas as peças e analisar quais você realmente precisa continuar tendo. A ideia é fazer com que sobrem aproximadamente 40 peças, ou seja, as que mais são usadas no dia a dia.

Com esse auxílio, me dediquei a mais de 3 meses de desapego, aulas de estilo, limpeza do armário, compras conscientes e, consequentemente, mais autoconhecimento.

A mudança interior

Após todo este trabalho de desapego, me tornei uma pessoa mais organizada e fiquei mais autocompassiva com o meu corpo. Comecei a me amar exatamente da forma que sou, sem preocupações com medidas, pois me sinto feliz e bonita em todos os meus looks.

Comecei a me amar exatamente da forma que sou, sem preocupações com medidas, pois me sinto feliz e bonita em todos os meus looks.

Ganhei também praticidade e aprendi a escolher rapidamente o meu look do dia, já que agora cada modelo reflete a minha verdade interna. Tenho a sensação de liberdade por causa da minha autenticidade – independente de modismos.

Hoje eu me sinto mais bonita, mais leve e mais firme. E quando as situações externas estão difíceis e tudo parece desabar eu agradeço a todas as células do meu corpo pela minha existência. Aprendi a perceber a minha respiração, meu bem mais precioso que acontece no eterno agora e tudo segue…

Fernanda Miguez

Fernanda Miguez

Instrutora de Mindfulness pela Mindfulness Trainning International (MTI), sócia da Parceria Humana, engenheira elétrica formada pela UERJ. Experiência de 7 anos em gestão na área de Marketing e Comercial, com liderança Mindfulness. Email: fmiguez@parceriahumana.com.br 
Parceria Humana

Parceria Humana

Tem como missão contribuir para que qualquer indivíduo acesse a si mesmo de forma simples e natural, através das práticas Mindfulness, visando uma vida mais plena.