Rosine Mello
Por Rosine MelloLeia em 3 min.09/05/2018 Atualizado em 19/06/2018

Hatha Yoga e pranayamas ajudam a controlar a ansiedade

Prática diária é aliada para calar a mente tagarela

Hatha Yoga e pranayamas ajudam a controlar a ansiedade

A ansiedade se caracteriza por uma mente tagarela, que atrapalha a concentração no momento presente e pode transformar o cotidiano em uma batalha. O Yoga, cujo objetivo é acalmar as flutuações mentais, pode ajudar quem sofre de ansiedade a descobrir caminhos para trazer a mente para o ato no presente, não deixando que ela escape para o futuro ou o passado.

É indicado iniciar em pequenos passos da sua rotina, antes mesmo de praticar asanas e pranayamas. Quando estiver  cozinhando, por exemplo, tente se concentrar em cada processo do ato. Não deixe a mente vagar: se ela tentar escapar,  inspire, expire e volte a sua atenção para seus movimentos ao cozinhar. Quando caminhar, concentre-se em seus passos um de cada vez. Observe como você pisa, como sua respiração tem sincronia com o seu caminhar. Observe seu coração enquanto caminha. Se a mente tentar escapar:  inspire, expire e volte a observar o seu caminhar. Procure fazer tudo em silêncio. Mesmo que pessoas estejam ao seu lado falando, mergulhe no ato presente e no seu silêncio. Essa é uma forma de meditação ativa. Já que é muito difícil parar a mente, experimente dar-lhe algo para se ocupar no presente.

Quando a concentração no ato presente ficar mais fácil, comece a observar suas ações. Note como você reage quando está com as pessoas, como você se sente mediante algumas situações. Questione suas reações, o que faz com que você reaja dessa ou daquela forma. Mas tente fazer isso sem críticas ou discussões mentais. Esse caminho é um pouco árduo, pois podemos nos deparar com coisas que não queremos ver em nós, que geralmente apontamos nos outros, mas é necessário para nossa evolução tirar as máscaras sociais. Saber de que forma reagimos em certas situações nos ajuda a parar de reagir e começar a agir, quebrando o estigma da reação e iniciando o caminho da ação consciente. 

Agora que você já sabe como a  concentração no presente pode ser inserida na sua rotina, aprenda também quais asanas e pranaymas podem ser seus aliados quando perceber  sintomas da ansiedade. 

Asanas que aliviam a ansiedade

Cansaço físico e mental, agitação, confusão mental, tensão muscular, respiração alterada são alguns dos sintomas de ansiedade. Existem vários asanas que tratam esses sintomas. Escolhi três, dos quais dois colocam a cabeça para baixo. A importância da inversão da posição natural da cabeça é que o cérebro é irrigado com mais sangue oxigenado melhorando o funcionamento das funções cognitivas: concentração, memória, raciocínio e processamento de informações. A experiência de sentir a cabeça no espaço de uma maneira diferente altera o ponto de vista e estimula uma mudança nos padrões de comportamento e de percepção, tornando a pessoa mais flexível em seus padrões comportamentais, aumentando a sua capacidade de se adaptar a mudanças e situações adversas. O asana sentado com flexão é um convite à introspecção, é o fechar as portas para o exterior para se aconchegar no seu interior, na sua essência.

Prasarita Padottanasana

Foto: Eduardo Riganelli (@eduardo_fine_art)

Ativa o sistema nervoso parassimpático, dessa forma reduz a ansiedade e melhora o estado psicológico.

Adho Mukha Svanasana

Foto: Eduardo Riganelli (@eduardo_fine_art)

Alivia o cansaço físico e mental, acalma a mente e  energiza o corpo.

Janu Sirsasana

Foto: Eduardo Riganelli (@eduardo_fine_art)

Acalma a mente e alivia a ansiedade.

Pranayamas para combater ansiedade

Prana é a energia vital do corpo e ayama é a expansão dessa energia. Consegue-se dominar a expansão do prana no corpo do praticante executando-se determinados exercí­cios, que dão  um ritmo diferente à respiração. Para aliviar os sintomas de ansiedade sugiro utilizar Ujjayi – Estágio I, que leva à consciência respiratória, relaxa o corpo,  acalma a mente e fortalece o sistema nervoso.

  • Ujjayi Pranayama – Estágio I

Deite e coloque uma manta dobrada, três dedos de altura, embaixo da sua cabeça e pescoço, o restante do corpo deve estar totalmente apoiado, solto e tranquilo no chão. Estenda os braços  ao longo do corpo e coloque as palmas das mãos voltadas para o teto. Feche seus olhos fechados e relaxe o rosto. Durante todo o processo do pranayama você deve observar e sentir o fluxo da respiração de forma consciente. Respire normalmente durante alguns minutos. Aos poucos,  assegure-se que os dois pulmões estão se enchendo de maneira uniforme. Sinta o peito expandir-se harmoniosamente para cima e para fora. Expire com calma, esvaziando os dois pulmões. Continue assim por dez minutos mantendo os olhos fechados. Ao terminar role para o lado direito, fique um pouco na postura fetal e empurre o chão com as duas mãos para sentar-se.

Rosine Mello

Rosine Mello

Formada em Educação Física, é praticante de Hatha Yoga desde 1998. Atua como professora desde 2005, certificada pelo Simplesmente Yoga.