Pesquisar
Loading...

Jejum de 21 dias é saudável? Saiba tudo sobre a prática

Será que essa prática é recomendada? Quem pode fazer? Como? Por quanto tempo? Veja as respostas!

Jejum de 21 dias é saudável? Saiba tudo sobre a prática

A participante do BBB22 Bárbara Heck revelou antes de o programa começar que já ficou 21 dias sem comer, os três primeiros sem direito sequer à água, e em silêncio, durante um retiro espiritual. Muitas pessoas ficaram curiosas após a divulgação: ficar 21 dias em jejum é saudável?

Bárbara afirmou que o seu objetivo era se autoconhecer e desintoxicar o organismo. Ela contou, ainda, que aproveitou o período para fazer leituras, aulas de yoga e muita reflexão.

Será que essa prática é recomendada? Quem pode fazer? Como? Por quanto tempo? A seguir, a nutricionista Amanda Regina responde às principais dúvidas sobre jejum.

Antes disso, que tal entrar neste novo o ano em paz com a comida? Para isso, incorporar e criar novos hábitos é essencial. Veja aqui neste artigo 22 dicas para ter uma relação mais saudável com a comida em 2022.

Jejum de 21 dias é saudável?

Jejum, por definição, é a privação de comida ou redução das refeições diárias durante o período.

Os principais motivos de se fazer jejum são práticas religiosas, medicinais, preparo de exames e também a greve de fome por motivos políticos.

Fazer jejum é saudável, desde que seja feito sempre sob supervisão, e também com a orientação de médico ou nutricionista.

Em relação ao jejum de 21 dias da participante do BBB22, espero que ela tenha realizado sob orientação e supervisão, o que quer dizer, que ela seja acompanhada diariamente (glicose, pressão arterial, exames de sangue, equilíbrio de eletrólitos).

Assim como os demais tipos, o jejum de 21 dias é saudável desde que seja bem acompanhado por um profissional e que os exames feitos antes, durante e depois estejam dentro dos parâmetros recomendados.

Quem pode fazer jejum?

Poder ou não praticar o jejum é uma questão que deve sempre ser avaliada pelo seu médico.

De qualquer maneira, NÃO é indicado para:

  • Crianças e jovens em idade de crescimento
  • Gestantes
  • Mulheres que amamentam
  • Pessoas com anemias, diabetes tipo 1, pressão baixa, insuficiência cardíaca, renal ou hepática
  • Pessoas com compulsão alimentar, baixo peso, transtornos alimentares (anorexia, bulimia) e idosos

Quais os efeitos colaterais do jejum?

  • cansaço
  • diminuição da concentração
  • insônia
  • náuseas
  • dores de cabeça
  • dores ou desconforto abdominais
  • fraqueza muscular
  • desmaios
  • perda de consciência.

Se o jejum se prolongar por mais semanas ou meses, pode trazer ainda efeitos mais severos, como:

  • alterações cardíacas
  • pedras nos rins
  • dificuldade gástrica (para evacuar e eliminar gases)
  • até mesmo a morte.

Quais os benefícios do jejum?

  • pode melhorar o metabolismo do organismo
  • proporcionar seleção celular adequada (com a restrição de energia, o próprio organismo fagocita as células mais inadequadas, promovendo uma seleção celular)
  • diminuir o estresse oxidativo
  • diminuir a inflamação celular
  • pode favorecer o emagrecimento, na redução da pressão arterial elevada e no diabetes tipo 2.

Qual tempo ideal de jejum?

Existem vários tipos de jejum — desde práticas religiosas (Quaresma, Ramadã, a restrição de alimentos, como a não ingestão de proteína animal na Adventista, entre outros) e também jejuns terapêuticos.

Um dos principais e com menor risco é a prática do jejum intermitente, no qual se alterna períodos de restrição com períodos de alimentação. Veja aqui tudo sobre jejum intermitente!

Pode ser de 8 horas, 12 horas e até 18 horas (lembrando sempre de fazer sob orientação e supervisão do médico ou nutricionista). O tempo ideal de jejum, portanto, deve ser definido pelo profissional que te acompanha, pois ele vai considerar todos os riscos, seu estilo de vida e real necessidade.

Quero fazer jejum, por onde começo?

  1. Conversando com seu médico ou nutricionista para avaliar a sua saúde e se pode ser indicado para você.
  2. Se sim, minha sugestão é que faça o jejum intermitente, começando com restrição de 8 a 12 horas, e então pode ir aumentando as horas, conforme for se sentindo bem e sob a recomendação profissional.
  3. É muito importante que seja lhe passado como “entrar e sair do jejum”, ou seja, que não se deixe de comer repentinamente e depois a primeira refeição seja uma feijoada! O processo de jejum não envolve apenas o período sem comer, mas também o que você come na janela da alimentação.
  4. Faça uma redução e um retorno gradativos: refeição normal, refeição leve (sem proteína animal, com alto teor de hortaliças), sopas ou sucos, então comece o jejum e, após a janela de restrição, retome a alimentação por sucos, sopas, refeição leve e por último a refeição normal.

Veja aqui como fazer um suco detox!

Olá, essa matéria foi útil para você?
Amanda Regina

Amanda Regina

Nutricionista Funcional, Personal Diet e ampliada pela Antroposofia. Gosta muito de cozinhar! Atua em consultório e palestras, cuidando principalmente de saúde da mulher; emagrecimento trabalhando comportamentos alimentares, transição para o vegetarianismo ou veganismo, e ajudando a estabelecer uma relação saudável e prazerosa com a comida! Saiba mais