Pesquisar
Loading...

Corrimento marrom ou rosa: o que significa?

Entenda todos os significados sobre o corrimento marrom e todos os sinais que ele envia sobre sua saúde íntima

Atualizado em

O corrimento marrom costuma acontecer após o término da menstruação, quando o corpo está eliminando o restinho de sangue que se encontra no útero, ou seja, sinaliza a limpeza final do órgão. 

No entanto, ter um corrimento marrom também pode ser escape menstrual. E o escape menstrual nada mais é do que a inteligência corporal funcionando. 

Ele é uma resposta do útero, que mostra a necessidade de se desintoxicar e libertar das emoções presas neste órgão.

Abaixo, você confere o que pode significar o corrimento marrom e, além disso, descobre como a limpeza emocional beneficia sua vida.

Corrimento marrom pode ser sinal de gravidez  

É normal ter corrimento marrom no começo da menstruação, antes de começar um fluxo mais intenso de sangue. 

Porém, um corrimento marrom ou rosado também pode ocorrer em início de gravidez. Além disso, a implantação do óvulo fecundado no endométrio pode gerar um leve sangramento, descendo na forma de corrimento rosa. 

Vale reforçar que, apesar de bem comum, esse sinal não acontece com todas as mulheres.

Corrimento após o sexo (ou durante)

Durante a relação sexual pode acontecer um escape marrom ou rosado. Isso tem a ver com as contrações involuntárias da vagina durante a excitação ou o orgasmo. Essas contrações vaginais agem, refletindo no útero, que se contrai também e, assim, libera o que é preciso. 

Outra possibilidade é o corrimento marrom ou rosado acontecer após o sexo, principalmente quando há alguma microlesão nas paredes vaginais durante o ato. Assim, se mistura com o muco natural transparente do corpo feminino, descendo em forma de corrimento rosado ou marrom.  

Também é comum ter um corrimento nessa cor quando a mulher toma pílula do dia seguinte e acontece de ter escape.

Corrimento marrom de repetição: atenção!

Quando o corrimento marrom se repete por dias seguidos, pode ser significar alguns problemas, como:

  • lesão vaginal
  • infecção
  • cistos no ovário
  • endometriose
  • salpingite (doença inflamatória nas trompas)
  • inflamação dos ovários
  • Síndrome do Ovário Policístico (SOP)
  • Infecção Sexualmente Transmissível (IST)
  • câncer do colo de útero
  • alterações no colo uterino, como feridas
  • alterações hormonais
  • troca ou interrupção do anticoncepcional

Vale lembrar que o útero é a “caixinha” que guarda todas as emoções de nossa vida. No entanto, a menstruação é a limpeza mensal que o organismo faz de parte desses registros acumulados. 

Quando há muitas memórias nocivas instaladas no útero, o corpo pode se sobrecarregar e tentar se adaptar como pode. Assim, ele tenta se limpar sozinho, como no caso de escapes sem causa definida.

Limpeza emocional

Ter um escape marrom tende a sinalizar que há uma demanda de limpeza emocional muito grande. Ela pode ter ligação com a sua história de vida, a limpeza das memórias celulares de suas ancestrais ou as emoções do mês que estão pesadas. E, assim, o corpo está tentando se esvaziar sozinho ao liberar esse corrimento marrom.  

Por este motivo, recomendo fortemente que faça a Reconsagração do Ventre, uma técnica de limpeza uterina. Enquanto não tirar do seu útero essas emoções nocivas, a tendência é que não exista espaço para que nenhuma reabilitação aconteça. 

Inclusive, aquele escape menstrual mencionado no início do texto é um sintoma muito comum em mulheres que fazem a Reconsagração do Ventre, pois esta é a terapia mais eficaz para limpar as memórias emocionais acumuladas no útero. 

É o corpo reagindo de forma física, mostrando o esvaziamento dessas emoções, por meio do escape menstrual com o corrimento marrom.

Corrimento surge quando mulher é machucada na intimidade 

Quando falamos de um problema físico, não podemos esquecer as causas emocionais que o desencadearam. 

Costumo dizer que qualquer doença ou disfunção deve ser tratada em nossa mente, coração e nas emoções acumuladas no útero. É por meio desta visão integrativa que conseguimos buscar a nossa reabilitação. 

Quando conseguimos interromper o desequilíbrio energético e/ou emocional do nosso corpo, micro-organismos, como fungos e bactérias, não terão mais espaço para se proliferar, mesmo sob condições favoráveis para isso. Afinal, o organismo deixa de estar propenso fisiologicamente para que a doença se manifeste. 

Portanto, quando falamos em corrimento, também é preciso entender as causas emocionais que facilitaram o aparecimento do problema.

Tipos de corrimento

Além do corrimento marrom ou rosa, o corpo feminino libera três tipos de corrimento ao longo de um mês (um pastoso, um transparente e gelatinoso e outro opaco e espesso). Eles são um sinalizador de saúde e ocorrem em fases diferentes do seu ciclo menstrual.   

Mas há, ainda, alguns corrimentos vaginais, que podem sinalizar doenças íntimas ou irritações:

  • Corrimento branco acinzentado ou amarelado: sinaliza que há alguma infecção ginecológica, como candidíase.
  • Corrimento amarelo: pode ser sinal de infecção ginecológica.
  • Corrimento na gravidez: apesar de comum, pode indicar algum problema. Saiba mais neste artigo.

Conhecer seu corpo e como ele age é fundamental para manter sua saúde física e emocional. Preste atenção com carinho aos sinais que ele dá e busque a cura daquilo que impede sua evolução!

Roberta Struzani

Roberta Struzani

Especialista em Sexualidade e Ginecologia Natural. Pioneira no estudo de Ginástica Íntima e Reconsagração do Ventre no Brasil, contribuiu para a formação de diversas terapeutas e desenvolveu um trabalho personalizado que traz benefícios para a saúde da mulher, do físico ao emocional.

Saiba mais sobre mim