Logo Personare vertical
Pesquisar
Loading...

Andropausa e câncer de próstata: como o Yoga pode ajudar

Entenda como os asanas podem reduzir sintomas da andropausa e auxiliar homens em tratamento de câncer de próstata

Andropausa e câncer de próstata: como o Yoga pode ajudar

Não são somente as mulheres que têm baixa hormonal depois de um certo período da vida. A diferença entre homens e mulheres é que a menopausa (conheça os tipos de menopausa e veja dicas para amenizar os sintomas) marca o fim do período reprodutivo, enquanto a andropausa é somente uma diminuição na produção do hormônio masculino, testosterona.

Neste artigo, vamos entender um pouco mais sobre essa fase masculina. Confira.

Como funciona a produção hormonal masculina?

Os hormônios masculinos são produzidos em sua maioria nos testículos, e uma pequena porção nas glândulas suprarrenais. A produção desses hormônios está ligada à integridade do eixo hipotálamo-hipófise-gonadal.

A hipófise e o hipotálamo estão localizados no cérebro; as gônadas ou testículos são os responsáveis pela produção de espermatozoides e ficam protegidos pelo saco escrotal.

A dosagem de testosterona começa a diminuir a partir do período entre 45 e 50 anos. O distúrbio androgênico não é generalizado, como nas mulheres, mas 33% dos homens acima dos 60 anos sentirão os sintomas da diminuição da taxa hormonal de testosterona.

Como consequência, há a diminuição na produção de espermatozoides. O médico que trata desse período e pode indicar a melhor forma de lidar com essa fase é o urologista.

Quais são os sintomas da andropausa?

  • Alterações de humor;
  • Cansaço;
  • Sensação de perda de energia;
  • Diminuição da libido e disfunção erétil;
  • Ausência de ereções espontâneas pela manhã;
  • Perda de massa óssea e massa muscular;
  • Sentimentos de tristeza frequentes;
  • Suores e ondas de calor;
  • Diminuição de pelos no corpo, incluindo na barba;
  • Acúmulo de gordura no abdômen.

Qual a importância da próstata?

A próstata é uma glândula que só o homem possui, localizada na parte baixa do abdômen. É um órgão pequeno, em forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto (parte final do intestino grosso).

Ela envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. Essa glândula produz parte do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozoides, liberado durante o ato sexual.

Câncer de próstata

É o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens. Sua incidência é maior a partir dos 65 anos e é considerado um câncer da terceira idade. Saiba mais sobre o câncer de próstata.

Alguns tumores levam até 15 anos para atingir 1 cm³ e não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do homem.

Entretanto, outros podem ser extremamente agressivos, crescendo de forma rápida, atingindo outros órgãos e podendo levar à morte, por isso a importância do exame de próstata feito pelo médico urologista anualmente. 

Câncer de próstata e yoga

Uma pesquisa realizada na Universidade da Pensilvânia pela doutora Neha Vapiwala mostra que a prática regular de yoga melhora a recuperação de homens em tratamento do câncer de próstata, além de diminuir a fadiga e manter a função sexual e urinária.

Na pesquisa, constatou-se que homens que fizeram duas sessões de yoga — cada uma de 75 minutos — por semana, na época em que estavam se submetendo à radioterapia, tiveram resultados melhores que os que estavam no grupo de controle.

Como o Yoga pode ajudar na saúde do homem?

O yoga trata os sintomas da andropausa e pode ajudar a reduzir os efeitos secundários do tratamento de câncer de próstata. Confira algumas sugestões de asanas.

Asanas para alteração de humor, irritabilidade, tristeza, insônia e ansiedade

As glândulas suprarrenais são responsáveis pela produção do cortisol, que adapta o corpo humano ao estresse. Se o organismo está em desequilíbrio, pode haver alterações de humor, tristeza e quadros de ansiedade, além de afetar o sono.

Os esteróides adrenais, principalmente o C-19, sofrem uma redução na andropausa. Por isso, asanas de flexões para frente em pé ou sentado ajudam a acalmar as suprarrenais e favorecem a atitude de aceitação.

As torções revigoram e tonificam as suprarrenais e acalmam o sistema nervoso simpático que se descompensa com o estresse.

As inversões simples como adho mukha svasana e prasarita padottanasana acalmam a mente e ajudam no controle dos humores erráticos. Se o homem já é praticante de yoga pode optar pelo sarvangasana, ardha halasana, halasana ou viparita karani.

Asanas de flexão para frente como uttanasana e adho mukha virasana favorecem a aceitação e diminuem a irritação. Caso o problema seja tristeza, as extensões são mais recomendadas, como o urdhva dhanurasana e supta baddha konasana, com o sem o apoio de almofadas.

As torções em pé como parivrtta trikonasana ou sentada como bharadvajasana restauram o sistema nervoso, energizam e estabilizam todo o organismo.

Asanas para perda de massa óssea

Os homens também podem sofrer de osteoporose, e ela se instala por uma combinação de fatores, como a diminuição da absorção de cálcio intestinal, ativação reduzida da vitamina D, declínio do tempo de vida dos osteoblastos e diminuição da concentração dos hormônios sexuais.

O yoga pode ajudar na retenção do cálcio desde que a ingestão do mesmo seja suficiente, portanto o ideal além da prática dos asanas é uma alimentação equilibrada para a idade.

Para isto, recomendo os asanas em pé como tadasana, virabhadrasana I, virabhadrasana II, utthita trikonasana e parivritta trikonasana.

Asanas de extensão como ustrasana e urdhva dhanurasana e a invertida viparita karani com apoio no quadril são os indicados para a diminuição da perda da massa óssea.

Perda de massa muscular

Todos os asanas em pé ou sentados trabalham a isotonia, que é a contração dinâmica do músculo. Geralmente, a isotonia concêntrica é utilizada na entrada e a isotonia excêntrica na saída do asana.

Também ajuda a isometria, que é a manutenção da contração na permanência da postura. Portanto cai por terra a ideia de que fazer yoga é somente sentar e respirar.

Períneo e Próstata

Durante a prática de yoga, para a saúde da próstata e do períneo, é importante fazer o Mula Bandha, que é o fecho do assoalho pélvico, especificamente do períneo e do ânus.

Para iniciar, você deve fazer a contração dos esfíncteres do ânus e da uretra, elevando o assoalho pélvico em direção ao centro do seu peito, plexo solar, e ao mesmo tempo levar o umbigo na direção da coluna. Este estágio ainda não é o Mula Bandha, mas ajuda a despertar a musculatura.

Para executar corretamente Mula Bandha, devemos levantar o diafragma pélvico, principalmente contraindo os músculos chamados levator ani, ou músculo elevador do ânus.

Este diafragma é a camada mais interna do assoalho pélvico, uma faixa de músculos que se estende da púbis ao cóccix e suporta a metade superior da vagina, o útero, a bexiga, a próstata e o reto.

Além de apoiar todos esses órgãos, o diafragma pélvico também ajuda a regular o intestino. Seu fortalecimento previne a incontinência urinária, além de propiciar uma vida sexual prazerosa.

Confira uma prática de yoga para a saúde da próstata

Para encerrar coloco aqui um vídeo com uma sequência de asanas para a saúde da próstata, mas lembro que nada substitui a prática regular de yoga e a visita anual ao seu médico.

Prática de yoga para a saúde da próstata:

Olá, essa matéria foi útil para você?
Rosine Mello

Rosine Mello

Formada em Educação Física, é praticante de Hatha Yoga desde 1998. Atua como professora desde 2005, certificada pelo Simplesmente Yoga. Saiba mais