Pesquisar
Loading...

Afinal, o meu signo mudou?

Entenda o movimento das constelações e descubra essa resposta

Astrônomos de Minnesota, nos EUA, afirmaram que a precessão dos equinócios teria mudado o alinhamento das estrelas e, consequentemente, os signos do zodíaco. No entanto, é importante esclarecer que existe uma diferença entre constelações e signos. As primeiras se movem na esfera celeste e podem mudar de lugar, mas os signos são fixos.

Para você entender melhor, imagine que uma faixa circular é projetada a partir da Terra e dividida em doze setores iguais. Isso é o que astrologicamente chamamos de “signos zodiacais”. Os signos, para a Astrologia, são geométricos. Mas como algumas constelações celestes levam o mesmo nome dos signos astrológicos, muita gente confunde e acha que signos e constelações são a mesma coisa.

Por esse motivo, seu signo não mudou, justamente porque nunca foi uma constelação. Os signos da Astrologia são trópicos e não constelacionais.

Seu signo não mudou, justamente porque nunca foi uma constelação. Os signos da Astrologia são trópicos e não constelacionais.

Dizer que alguém é Ariano, por exemplo, não tem a ver com o fato dessa pessoa ter nascido enquanto o Sol passava pela constelação de Áries. O que acontece é que, neste nascimento, o Sol transitava pela zona geométrica que, para a Astrologia, corresponde ao signo de Áries.

Mesmo que tal informação quebre o romantismo de uma noite estrelada, é preciso entender que a constelação e o signo astrológico de Áries são dois assuntos completamente diferentes. Deste modo, você já sabe a resposta quando ler por aí que o seu signo mudou ou quando se deparar com pessoas que acreditam que a Astrologia usa os signos errados.

Alexey Dodsworth

Alexey Dodsworth

Mestre em Filosofia pela USP, atualmente cursando doutorado em Filosofia em regime de dupla titulação pelas Universidades de São Paulo e de Veneza, na Itália. Como pesquisador acadêmico, sua principal linha de investigação envolve os paradigmas decorrentes das diferentes relações estabelecidas entre a humanidade e o espaço cósmico ao longo dos séculos. Sua experiência com temas filosóficos e éticos já o levou a ser consultor da UNESCO e assessor especial no Ministério da Educação. Escritor e roteirista de ficção científica e fantasia, duas vezes ganhador do Prêmio Argos de literatura por seus livros “Dezoito de Escorpião” e “O Esplendor”. Estudioso de Astrologia há mais de 30 anos, autor de livros do gênero e também das análises de Astrologia, Tarot e Runas do Personare. Sua afinidade com temas esotéricos se alinha com sua defesa à liberdade de saberes, sejam eles oficialmente científicos ou não. Alexey Dodsworth também é autor do livro “Os Seis Caminhos do Amor”, da Coleção Personare.

Saiba mais sobre mim