Aprenda a lidar com a sua sensibilidade

Como você tem se relacionado com as suas emoções?

Aprenda a lidar com a sua sensibilidade

Fomos devidamente ensinados a esconder ou anular sentimentos como medo, saudades, raiva ou dor. Fomos treinados a sorrir na hora da dor. A deixar o corpo presente onde a alma não está. A fingir que não importa, a ouvir o coração disparado e fazer cara de paisagem. E de tanto fingir, começamos a assumir um personagem. Somos pressionados a conter a sensibilidade, a segurar a respiração, não nos expor, a segurar a onda. E de tanto segurar, nos sentimos presos.

Como é a sua relação com os seus sentimentos? É algo natural ou que você evita? Tem vergonha, medo? Quando aparece um sentimento, você consegue identificar? Demonstra? Esconde? Explode? Se perde? Para você, sensibilidade é é elogio ou um problema? Já ouviu que não deveria se sentir sensível? Para você, sentir-se assim é respiro ou afogamento?

Primeiro, é importante dizer que esse não é um desafio só pessoal, é um desafio dos nossos tempos, da nossa cultura. Mas como não costumamos a falar abertamente sobre isso, achamos que é um problema exclusivo, que pode tomar uma dimensão muito grande internamente.  

Aceite sua sensibilidade

Eu já briguei bastante com a minha sensibilidade. Até começar a perceber que as figuras que eu mais admirava uniam a sensibilidade à sua potência, vulnerabilidade e força. Talvez seja exatamente essa união que proporcione ainda mais verdade, autenticidade, vibração. Como diz Clarissa Pinkola Estés, autora de “Mulheres que correm com os lobos, “para criar é preciso que sejamos capazes de nos sensibilizar.”

Você pode se questionar: “Ah, mas se o que sinto me dominar? Se eu não tiver controle?”. Bem, muitas vezes perdemos o rumo justamente porque não nos escutamos, observamos, tampouco nos acolhemos. Se eu estiver presente, se puder contar comigo, poderei aprender a lidar com o que vem. E, claro, pedir ajuda se considerar necessário, por que não? Sem negar nenhuma parte de nós. Só assim podemos nos sentir inteiros. Faz sentido?

Aprenda a sentir e a vida ganha espaço

Quer usar mais a sua sensibilidade junto com a criatividade? Participe da oficina de escrita criativa e autêntica, focada no sentir. O projeto se chama Coração na Palavra, veja mais informações aqui.

Olá, essa matéria foi útil para você?
Juliana Garcia

Juliana Garcia

Escritora, criadora, consultora, psicóloga, psicodramatista. Seu trabalho gira em torno da Autenticidade e da Criatividade. Psicóloga graduada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), pós-graduada em Psicodrama pelo Instituto Mineiro de Psicodrama Jacob Levy Moreno. Cursou formações em Coaching pela Abracoaching e Condor Blanco Internacional. Foi professora do curso de pós-graduação em Psicodrama pelo Instituto Mineiro de Psicodrama Jacob Levy Moreno. Criadora de diversos cursos livres e conteúdos mais livres ainda. Contato: contato@julianaggarcia.com.br Saiba mais