Cris Ventura
Por Cris VenturaLeia em 3 min.28/08/2014 

Nós testamos: oficina de arte sagrada

Confeccionar estátuas de divindades trabalha calma e paciência

Você já reparou que mesmo quando está na correria diária e com a cabeça cheia de informações, ao deparar com um belo cenário a sua mente parece passar por uma rápida transformação? Ao contemplar uma imagem – desenhada ou numa escultura – os olhos parecem purificados e recebem uma mensagem pacífica. Os objetos de arte devocional ou sagrada existem para transformar a mente e criar marcas positivas nas pessoas.

Essas obras harmonizam os ambientes e representam muito mais do que uma simples decoração. O Feng Shui utiliza muito as simbologias de cores e de objetos para energizar os lugares e levar benefícios às pessoas que por ali circulam. Esses objetos podem ser estátuas de Buda, divindades hindus ou indianas, imagens religiosas, representações de anjos, entre outros. Mas o que dever ser considerado na hora de escolher um deles para fazer parte de um cômodo de sua casa é que a peça realmente agrade o seu olhar e toque a sua alma.

Como funciona a oficina

Eu tive a oportunidade de criar alguns desses objetos para a minha casa, por meio de uma oficina de arte sagrada, que me ensinou a confeccionar estátuas de divindades em gesso, resina ou argila. Durante a prática, senti um estado profundo de tranquilidade, concentração e felicidade ao ver a “obra” finalizada, ou seja, materializada e cheia de boas energias e significados auspiciosos, como amor universal, proteção, sabedoria e saúde.

Para participar de uma oficina de arte sagrada não é necessário prática e tampouco habilidade. Qualquer pessoa, de qualquer idade, crença ou religião, pode se aventurar nessa prática. As instruções são claras e o procedimento é muito fácil, basta seguir a sequência da confecção da estátua com mantras e preces para cada etapa. Todo o trabalho de confecção de uma estátua é feito ao som de mantras, pois entoar sons e preces é o que torna o objeto sagrado, além de ajudar na concentração e fazer com que as pessoas prestem mais atenção em cada detalhe da obra.

Todo o trabalho de confecção de uma estátua é feito ao som de mantras, pois entoar sons e preces é o que torna o objeto sagrado, além de ajudar na concentração e fazer com que as pessoas prestem mais atenção em cada detalhe da obra.

Primeiro é preciso lavar as mãos, escolher o molde e preparar o material que será usado: gesso, água, tinta, recipientes, papeis – que são colocados sobre uma mesa forrada com uma toalha limpa.

Nas palavras da orientadora da oficina, Cris Franco: “arte sagrada é o encontro com uma dimensão invisível. Não a enxergo, mas sei que ela existe. Quando recriamos uma imagem ou estátua com significado e limpamos suas imperfeições, sentimos como se estivéssemos lapidando a nós mesmos. Você retira os excessos, esculpe com carinho e é como se fosse lapidar uma parte de si mesmo, do seu eu interior. Isso faz com que as pessoas acreditem mais em si mesmas e sejam transformadas em um diamante”.

A oficina me proporcionou uma atividade diferente e me ajudou a desenvolver a paciência. Afinal, é preciso esperar o molde de gesso secar, depois esculpir as imperfeições e só então aplicar a pintura e esperar a tinta secar. Depois do exercício de concentração e de paciência, pude levar algumas estátuas feitas por mim para harmonizar a minha casa. E fiquei muito feliz – e purificada – com esse resultado.

Para continuar refletindo sobre o tema

Para saber mais sobre a oficina de arte sagrada, ministrada por Cris Franco, clique aqui.

Cris Ventura

Cris Ventura

Encantou-se com o Feng Shui a partir das aplicações da arte milenar em sua casa e dos resultados em sua vida. Ministra palestras e presta consultorias para residências e empresas.