Carregando pagina

Beleza > Estética

Unhas mais fortes e saudáveis

Mau uso de esmalte e acetona pode causar quebra, ressecamento e mancha

 

Nossa imagem é o nosso cartão de visitas, não é mesmo? E as unhas fazem parte deste contexto. Mantê-las sempre limpas e bem tratadas é uma das preocupações que todos nós devemos ter, afinal, dependemos de nossas mãos para quase tudo o que fazemos.

Você sabia que é por meio das unhas que percebemos algumas alterações em nosso organismo? Por exemplo, quando elas estão quebradiças pode ser sinal de falta de algum tipo de nutriente, entre eles o ferro. As unhas nos mostram muito do nosso dia-a-dia, e quanto menos agressões sofrerem, melhor será para evitar problemas futuros.

Para deixar o visual das mãos mais bonito, muitas mulheres têm hábito de pintar as unhas. Mas tanto os esmaltes, quanto as acetonas e os removedores provocam algum tipo de alteração em nossas unhas. No caso das acetonas e dos removedores, até pouco tempo atrás sua venda era proibida a menores de 18 anos, por conta dos efeitos alucinógenos que os produtos provocavam. Hoje a acetona vendida não é mais tão concentrada quanto antes. No entanto, se o produto for inalado, ainda pode trazer malefícios para a saúde. Pouca gente sabe, mas hoje em dia há diferenças entre os produtos para unhas.

Acetona pode prejudicar as unhas

A acetona é produzida principalmente por processos de desidrogenação ou peroxidação do álcool isopropanol. Peloo fato de ser um solvente, esse produto possui diversas formas de uso, mas o que todo mundo conhece é a retirada de esmaltes. Mas para vocês terem ideia do quanto este produto é forte, ele serve também para a retirada de supercolas, ou seja, sua função pode agredir demasiadamente as unhas, as cutículas e a pele ao redor das unhas. Como resultado dessa química toda, deixamos nossa unha mais fraca, ressecada, quebradiça e, em alguns casos, com aquelas manchas brancas. Vale frisar que o solvente contido na formulação da acetona também pode prejudicar diretamente a cutícula, que fica mais ressecada e irritada, podendo estimular alguns tipos de dermatite e até causar deformidade na unha.

Removedores de esmalte são menos agressivos

Já os removedores não contêm acetona em sua formulação, e ainda possuem vitamina E e alguns óleos que hidratam unhas e cutículas. Além de cumprirem o seu papel, que é a retirada do esmalte, os removedores também tratam as unhas. Por esse motivo, são melhores e mais recomendados pelos dermatologistas.

É bastante prudente e oportuno falarmos deste assunto, tendo em vista que poucos salões de beleza fazem uso de removedores. Além dos benefícios já citados, esse produto também não possui cheiro forte e não deixa as unhas esbranquiçadas.

Uma dica que eu daria, é que não faça uso de nenhum destes produtos por mais de uma vez por semana. Isso porque, mesmo que no caso dos removedores, eles acabam por prejudicar a saúde das unhas, e consequentemente, da pele ao redor delas. Claro que isso não invalida os benefícios citados anteriormente, mas por se tratar de um produto químico, pode se tornar maléfico para a saúde das unhas, quando usado excessivamente.

Uso de esmaltes pede moderação

Muitas mulheres, por questão de modismo, estão cada vez mais trocando a cor dos esmaltes e experimentando novas nuances. Há quem chegue a pintar as unhas até duas vezes por semana. No entanto, esse troca-troca de cores pode ter reflexos negativos na saúde das unhas. A maioria dos dermatologistas recomenda que as unhas sejam pintadas somente duas vezes ao mês. Quem não quer abrir mão de beleza e desfilar sempre com unhas pintadas, pode usar o esmalte uma vez por semana.

Para amenizar esse impacto negativo, uma medida de precaução é fazer uso de bases transparentes nas unhas, antes da aplicação do esmalte. Esses produtos têm como função tanto dar acabamento à lâmina da unha, como também oferecer ativos como cálcio, formol e timol, que fortalecem as unhas. Vale lembrar que algumas receitas caseiras usadas para fortificar as unhas, como o uso de cravo ou alho nas bases, não possuem comprovação de eficácia.

Para amenizar os efeitos prejudiciais às unhas, foi lançado no mercado os lenços removedores de esmaltes. Sua textura é oleosa, fazendo uma proteção na camada superior da unha. Além disso, o produto tem menos solvente que a acetona e os removedores, além de serem mais higiênicos e descartáveis. Isso diminui os riscos de contrair as doenças causadas pela retirada da cutícula e diminui o impacto do uso de esmaltes.

A única desvantagem desse produto é o preço. Ou seja, tanto os removedores quanto os lenços são mais caros que a acetona, e custam entre R$15 e R$25. Porém, como são mais eficazes na hora de proteger as unhas, muitas vezes esse investimento vale a pena. Esses produtos podem ser encontrados em lojas de produtos naturais e de beleza.

Esta matéria foi útil para você?

SOBRE O AUTOR

Gabriela Casabona

Médica dermatologista, participou da equipe da primeira temporada do programa "10 Anos Mais Jovem", do SBT. Co-autora do livro Cosmiatria em Dermatologia, mantém consultório em São Paulo e colabora no Ambulatório de Laser da Faculdade de Medicina do ABC, Saiba mais »

contato: grcasabona@uol.com.br
  • e-mail
  • Imprimir
E-mail para receber matérias da Revista

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

NOVAS MATÉRIAS A CADA 15 DIAS