Desvendando o Sagrado Feminino

Filosofia ajuda mulher a buscar realização amorosa, sexual e profissional

Algumas mulheres em todo o mundo se orgulham tanto de sua condição que seguem uma filosofia de vida chamada “Sagrado Feminino”. Esse estilo de vida – que vem sendo adotado pelo público feminino há milênios – oferece ensinamentos sobre nosso corpo, nosso emocional e nossos ciclos femininos, e ainda orienta de que forma podemos harmonizá-los com a natureza.

Isso significa que quando as mulheres passam a se desligar um pouco do mundo tecnológico e rotineiro, ou seja, buscam descobrir mais sobre si próprias, se interiorizando, percebendo melhor seus instintos, suas vontades e seus ciclos femininos (como a menstruação e a gestação), elas relatam que o mundo a sua volta – e aquele que existe dentro delas – parece mudar. É como se uma nova consciência as abraçasse.

Esse despertar para uma nova consciência sobre si mesma pode ser interpretado como a saída da supremacia patriarcal – repressora e cheia de regras – para a entrada em um mundo mais maternal, afetivo e artístico, além de menos racional e mais sensível.

O conhecimento do Sagrado Feminino é adquirido através de livros, cursos e grupos de estudos chamados de “círculo de mulheres”. Nesta filosofia, as mulheres estudam um conceito diferente sobre si próprias, que engloba os aspectos emocionais guardados no corpo, a sintonia entre a menstruação e as fases da lua, a veneração das Deusas de todas as mitologias e a semelhança delas com cada mulher, assim como a influência que a natureza tem sobre nosso corpo e psique.

Sagrado Feminino ensina a ter mais autoestima

No Sagrado Feminino, mulheres de todas as culturas, religiões e crenças aprendem a se desvincular de padrões de beleza e regras pré-estabelecidas pela sociedade. Elas descobrem como se amar exatamente como são e passam a se enxergar como verdadeiras “Deusas”. Afinal, o ato de gerar, parir, nutrir, amar e intuir pode ser considerado uma dádiva proporcionada às mulheres.

Nesta filosofia de vida, as mulheres passam a valorizar mais seus ciclos naturais, como a menstruação, a maturidade, a gestação, o parto e a amamentação. No entanto, não são induzidas a serem radicais ao viver esses períodos ou exercer determinadas funções. O valor está em aceitar a naturalidade das coisas, seu histórico de vida, vontades e capacidades. Aprendendo a se conhecer de forma mais profunda e a aceitar os acontecimentos da vida e a si mesma, as feridas começam a ser curadas e as mulheres passam a ser mais felizes, amáveis e únicas.

Você descobre, então, que ser mulher não significa ter um parto natural, amamentar ou se sentir bem na própria pele quando está grávida. Na verdade, o objetivo é entender como você traz seu amor e feminilidade para todas essas fases da vida.

Como o Sagrado Feminino ajuda nas relações amorosas?

O amor pode ser definido por cada pessoa de uma forma diferente. De todo modo, é importante lembrar que não pode haver plenitude e entrega sincera e verdadeira se não houver segurança. E isso é desenvolvido por meio do autoconhecimento. Afinal, quando você se conhece, se entende, sabe do que gosta e o que quer, tudo fica mais fácil.

As energias de atração da vida precisam saber exatamente o que você quer, para que caminhem em sua direção. Esse é o primeiro passo. Então reflita: qual tipo de pessoa parceira você quer pra si? Escreva em um papel todas as características que busca no outro ou até mesmo na cara metade. Você precisa saber o que quer!

Na filosofia do Sagrado Feminino, o segundo passo é viver a experiência de amar sem depender da pessoa para viver, afinal o amor próprio deve vir em primeiro lugar. É através da estima por si mesma que a paixão durará. A independência de cada um dentro da relação traz o desejo de ambos se dedicarem ao outro, favorecendo o relacionamento.

Por fim, o terceiro passo ensinado pelo Sagrado Feminino é descobrir sua Deusa Interior e trazer características dela para sua relação. A Deusa Interior é o simbolismo da essência mais pura que existe em você. Ou seja, são as suas virtudes, suas belezas mais primitivas, a sua guerreira que sabe o que quer e é determinada nessa busca, é a sua fera, a sua loba. É também não ter vergonha de ser você mesma, não se poupar por conta do que a sociedade pede que você seja. Afinal, a pessoa parceira, quando se atrai por você, quer o seu melhor.

Sagrado Feminino também beneficia sexualidade

Problemas como falta de amor próprio ou de expressão criativa e dores e frustrações nos relacionamentos que foram reprimidos serão manifestados nos órgãos sexuais e também no comportamento na cama – o que explica, por exemplo, porque algumas mulheres sentem dificuldades durante o ato sexual.

A cura e a integração da mulher à energia da sua sexualidade dependerão especialmente do entendimento que ela possui sobre suas simbologias físicas, emocionais, mentais e espirituais. Mesmo que não se dê conta, toda sua experiência sexual e descoberta como mulher ficam registradas em sua mente. Suas crenças serão então reproduzidas na sua vida sexual, mesmo que você não perceba.

Mesmo que não se dê conta, toda sua experiência sexual e descoberta como mulher ficam registradas em sua mente. Suas crenças serão então reproduzidas na sua vida sexual, mesmo que você não perceba.

Por exemplo: uma mulher de origem familiar tradicional, com pais repressores, que puniam ou não incentivavam sua expressão sexual, geralmente irá reproduzir comportamentos de autopunição com o sexo, o que pode gerar dificuldade de chegar ao orgasmo, dores na relação, diminuição da libido e fuga do sexo.

Na filosofia do Sagrado Feminino, uma forma de autotratamento para dificuldades sexuais é feita por meio da expressão da criatividade. Ou seja, é através da dança, artesanato, desenho, escrita, maquiagem ou toda forma de autocuidado, que a mulher aprende a manifestar seu lado criativo. O ventre – que está intimamente ligado ao órgão sexual e ao sexo – é uma região que simboliza a criação. Portanto, ele recebe as energias curativas para essas dificuldades por meio da criatividade.

Relação entre Sagrado Feminino e vida profissional

Sua profissão é a expressão da sua função para o mundo. Não importa o que você faz, todo ofício é necessário. E mais importante que pensar “para que esse trabalho me serve?” – levando em consideração que seu emprego traz dinheiro e o próprio sustento – é lembrar que a maior importância da profissão está na reflexão sobre “o que ela oferece para minha identidade?”.

Para aumentar seu sucesso profissional, o seu prazer pela carreira e até mesmo os resultados do que produz, você precisa entender exatamente sua relação com a profissão. O que lhe faz gostar do trabalho? O que você espera com ele? Como ele lhe completa? Ele favorece a sua autoexpressão e suas virtudes?

Para lhe ajudar nestes questionamentos, você pode recorrer aos arquétipos das Deusas que mais se identifica e descobrir como tirar proveito desse conhecimento em sua carreira profissional.

Deusas revelam seu perfil profissional

Afrodite

Buscar o amor pela arte e pela beleza em seu trabalho lhe deixará mais feliz. A mulher Afrodite será aquela que procura interagir com os colegas de trabalho ou os clientes. Além disso, pode trabalhar com beleza e arte, ou simplesmente gostará de embelezar o escritório decorando a mesa em que trabalha, por exemplo. Essa é a mulher que mais necessita trabalhar com o que lhe causa paixão. Sempre está bem arrumada e com um detalhe sedutor e feminino.

Atena

Para essa mulher, o trabalho já é um prazer por si só. Ela poderá buscar ainda mais totalidade em sua profissão através da comunicação com o público ou buscando estar sempre bem vestida no emprego, de preferência de acordo com a tendência de moda. Isso lhe trará mais bem-estar.

Deméter

essa mulher gosta de fazer o papel de mãezona no ambiente profissional, já que é protetora e zelosa com os colegas e as tarefas realizadas. Para se sentir bem no emprego, a Mulher Deméter pode tentar levar o ambiente de casa para o trabalho, colocando fotos da família em sua mesa ou levando a comida de casa para o escritório, ao invés de comer em algum restaurante. Dessa forma, a mulher Deméter se sentirá mais acolhida e tende a ter mais prazer no local de trabalho.

Ártemis

Essa mulher gosta de ter liberdade no trabalho, não se sente à vontade cumprindo ordens e seguindo regras. Quanto mais liberdade de autoexpressão tiver, mais feliz com o emprego estará.

Perséfone

Precisará que o trabalho lhe traga benefícios pessoais, como por exemplo: se trabalhar em uma livraria, desejará poder ler alguns livros comercializados no local. E quanto mais sozinha ela atuar, mais dinâmico será o seu desenvolvimento.

Hera

As mulheres que se identificam com o arquétipo dessa Deusa gostam de liderar no trabalho. Além disso, devem buscar fazer uso da criatividade e de sua facilidade em promover eventos. É nessas tarefas que encontrarão mais realização.

Roberta Struzani

Roberta Struzani

Terapeuta especializada em sexualidade e saúde ginecológica. Realiza atendimentos presenciais e online focados no autoconhecimento, na elevação da autoestima e na saúde do aparelho reprodutor feminino. Sua principal ferramenta de trabalho é o Pompoarismo.