ARCANO DO MÊS: A SACERDOTISA

A carta do Tarot estimula a intuição e pede reflexão no início do ano

ARCANO DO MÊS: A SACERDOTISA

Como regente de Janeiro, A Sacerdotisa é o arcano do Tarot que sussurra com alguma insistência sobre a necessidade de pensar muito bem antes de tomar qualquer medida. Meditar, refletir e considerar possibilidades é mais que indicado neste começo de 2019, porque A Sacerdotisa simplesmente assegura alguns dos desígnios do Arcano do Ano: ponderação, reflexão e atitudes extremamente bem pensadas.

A Sacerdotisa ou A Papisa

O segundo Arcano Maior do Tarot vem nomeado como A Sacerdotisa, embora seja comumente chamado de A Papisa. Essa carta dos mistérios femininos, já que retrata uma mulher reclusa, em vestes religiosas, segurando um livro ou escritura considerada sagrada.

Geralmente está entronizada entre duas colunas, uma escura e outra clara, que aludem às duas colunas do templo de Salomão: Jaquim e Boaz, que por sua vez são referências à luz e às trevas, ao yin e ao yang dos orientais, ao dia e à noite, ao masculino e ao feminino. Sendo portadora dos segredos, a sua postura é sempre fechada, silente e meditativa, embora esteja atenta ao ambiente ao seu redor e, principalmente, ao que diz a sua intuição.

Este arcano é considerado denso em muitos casos porque sugere uma grande força emocional bloqueada ou fechada devido aos seus compromissos religiosos ou às suas resoluções enquanto representante de algo divino, A Sacerdotisa é uma agente passiva de suas relações e posicionamentos.

Como conselheira, A Sacerdotisa geralmente trabalha em silêncio e comunga com a vida de maneira moderada, respeitosa e meditativa.

Relações e afetos sobre revisão

Para quem está em uma relação afetiva, A Sacerdotisa rege os momentos em que tudo parece estável, embora haja tédio na rotina amorosa. A fidelidade e a dedicação ao envolvimento emocional existe e acaba sendo preservada, como se Janeiro fosse justamente o mês mais propício para zelar pelos interesses em comum e pelas coisas construídas em conjunto.

Ressentimentos, mágoas, irritações, faltas e carências também podem assombrar a relação, mas o melhor é fazer um balanço sobre o que tem sido guardado e alimentado sobre a pessoa amada, principalmente em segredo.

Para os que não estão em um envolvimento afetivo, A Sacerdotisa assegura os amores platônicos e os afetos que acabam não sendo correspondidos a contento.

De acordo com esta carta, os sentimentos não são exteriorizados devidamente, daí a impressão de que pouco ou nenhum interesse existe entre uma pessoa e outra. E, mesmo havendo, não há garantias de que seja correspondido — A Sacerdotisa é uma figura religiosa que então alude ao celibato, ou seja, à inexistência de envolvimento sexual ou afetivo, pelo menos público e declarado.

Assim, quem está à procura de alguém, deve manter as expectativas em baixa e deixar a vida acontecer. Mas é importante lembrar: quem se esconde ou quem espera demais, continua só.

O Dinheiro que vem aos poucos

De acordo com esta carta, as burocracias relacionadas a trabalho e a dinheiro podem ser cada vez maiores em janeiro. O mês é propício para ler e reler contratos, acordos e compromissos para não deixar nada passar despercebido. Toda idiossincrasia relativa ao profissional e ao financeiro merece um estudo e um posicionamento mais firme e forte.

Para quem trabalha, o momento tende a ser de muita atividade e pouco retorno imediato, já que diversos fatores devem ser levados em conta ao longo dos dias — disposição, comunicação e dedicação são alguns deles.

Ainda assim, o tédio e o marasmo podem ser a tônica do momento, como se a rotina de trabalho fosse cada vez mais monótona. O melhor a fazer é respirar fundo e fazer as mudanças que cabem. O que não pode ser mudado no ambiente de trabalho, pode (e deve) ser tolerado. As mudanças mais significativas demoram mesmo.

Para quem não está trabalhando, não há hora melhor para tonificar o currículo, distribuir, estudar e aprimorar a própria formação. A Sacerdotisa é um arcano naturalmente lento, por isso é preciso aproveitar o tempo em janeiro para rever posturas, aceitar limites e aprender a esperar.

Honrar a intuição

Uma das dádivas deste começo de 2019 é o possível desabrochar da intuição. A sensação de que algo deve ser dito ou feito precisa ser respeitada, assim como a reclusão e o silêncio são estratégias válidas sob a regência do arcano A Sacerdotisa.

Janeiro é o tempo de pensar e de sentir mais e melhor, como se as decisões dependessem de uma postura cuidadosa. A Sacerdotisa é a guardiã dos segredos e dos mistérios, e ela só fala quando tem certeza do que vai dizer. Assim deve ser neste início de ano: falar pouco, mas bonito. E forte.

Para mapear seu mês com mais detalhes, experimente o Tarot Mensal.

Tudo é possível em janeiro

Mas nem tudo pode ser dado como certo. Com A Sacerdotisa, o primeiro mês de 2019 é de reflexão profunda sobre o que foi vivido, sofrido e aprendido ao longo de 2018, por isso é imprescindível manter a devida calma e aprender a agir de modo paciente diante do que não sai como queremos. A ansiedade é um dos primeiros problemas a serem tratados a fundo neste começo de ano. E, com A Sacerdotisa, a sensação de que as coisas não dão certo pode ser cada vez maior. Mas o mais sensato é respirar fundo e agir de modo tranquilo sempre que possível. Não é perdendo estribeiras que as situações se resolverão, por mais adversas que sejam.

Os decretos da Sacerdotisa

As afirmações positivas são uma ferramenta importante se você deseja fazer mudanças significativas na maneira de pensar e de agir em relação às coisas e às pessoas. É por meio da palavra falada que entendemos claramente situações, comportamentos e crenças, por isso recomendamos trabalhar essas quatro frases, uma por semana, todos os dias. Pode ser na frente do espelho, pode deixá-las escritas num papel ao alcance ou serem trazidas na bolsa, mas o importante é que sejam lidas, se possível em voz alta.

Primeira semana

Eu recebo o novo com o coração e a mente abertos. Sou um canal de prosperidade, sabedoria, saúde e felicidade. A vida passa por mim e me fortalece.

Segunda semana

A intuição é minha irmã. Ela nunca me abandona. Respeito minha intuição e recebo orientações que me levam ao melhor da vida e de mim mesmo. A vida faz de mim uma pessoa iluminada.

Terceira semana

A vida e seus mistérios me protegem. Sou uma pessoa iluminada e repleta de experiências de grandeza. As dores do mundo não me atingem, mas procuro estar em dia com minhas obrigações e meus propósitos.

Quarta semana

Eu paro, respiro, reflito e ajo. Tenho paciência com as coisas e com as pessoas. A vida me traz experiências valiosas e eu retribuo com amor e perseverança. Sou uma fonte de serenidade, alegria e amor.

Imagem de destaque do artigo: Tarot of Prague – Baba Barock, 2016

Leo Chioda

Leo Chioda

É escritor e tarólogo. Dedica-se a palestras sobre Tarot, pesquisas históricas e prática da leitura das cartas. É também autor da análise de Tarot Mensal do Personare.